FERRÃO E PAYSANDU SE ENFRENTAM PELA QUARTA VEZ NA HISTÓRIA

Holanda: goleiro contra o Paysandu em 1971

Os famosos Tubarão da Barra e Papão da Curuzu jogam nesse domingo, em Fortaleza, pela Série C do campeonato brasileiro de 2020. Os dois têm muita história em suas respectivas praças, porém poucas vezes se enfrentaram no decorrer dos anos, ainda assim, somente em pelejas amistosas, em 1946, 1955 e a última em razão de uma excursão coral à Região Norte do país, na já distante temporada de 1971. Nesse terceiro encontro entre ambos, o Ferroviário se apresentava com a fama de fabulosa equipe, o `Timão` como era chamado na qualidade de campeão cearense do ano anterior, conquista esta sacramentada apenas cinco meses antes. Depois de disputar o chamado Torneio Amazonense, em Manaus, contra Rio Negro/AM, Rodoviário/AM e Nacional/AM, a delegação coral desceu até Belém e bateu o Remo/PA por 2×0 em seu primeiro amistoso na capital paraense. Na sequência, jogou contra o Paysandu. O amistoso foi disputado no estádio do Remo e terminou empatado em 1×1. O ponta esquerda Alísio marcou para o Ferrão e Benê empatou, aos 42 minutos finais, para o Papão da Curuzu. Estamos falando do dia 5 de Fevereiro de 1971. Treinado por Alexandre Nepomuceno, o time coral jogou com Holanda, Wellington, Esteves, Gomes e Eldo; Zé Maria Paiva (Simplício) e Coca Cola; Simão, Amilton Melo, Odacir (Facó) e Alísio (Nei). A equipe paraense formou com Arlindo, Paulo Tavares, Osmani, João Tavares e Carlinhos; Beto e Alfredinho; Edilson Freitas (Vila), Jorge Costa (Mário), Benê e Antônio Maria. Dessa formação, Paulo Tavares e Jorge Costa jogariam ainda no Ferroviário naquela década. Dois dias depois desse amistoso, Remo e Paysandu juntaram seus melhores jogadores num combinado, uma espécie de selecionado paraense, para finalmente tentar bater o Ferrão. Não conseguiram. Tentativa em vão, pois foi registrado mais um empate, dessa vez por 2×2, e assim encerrava-se a excelente performance coral no Norte do país.

VÍDEO DA PRIMEIRA VITÓRIA CONTRA O TREZE EM CAMPINA GRANDE

Resgatamos mais um vídeo raro em nossos arquivos, motivados pela vitória do Ferroviário em cima do Treze/PB, dentro de Campina Grande, no último domingo. A vitória por 3×0 frente ao Galo da Borborema foi apenas a segunda na história verificada dentro da bela cidade paraibana. A primeira ocorreu no já distante ano de 1992, no domingo de páscoa, dia 19 de abril, e as imagens acima apresentam os melhores momentos daquele jogo, válido também pela Série C do campeonato brasileiro. A disputa ocorreu no estádio Presidente Vargas e o Ferrão era treinado pelo ex-zagueiro Djalma Linhares, que utilizou a seguinte formação: Joel, Caetano, Evilásio, Hermes e Roberto; Ednardo, Júnior Piripiri e Gilson; Cantareli (Jó), Jorge Veras (Aloísio) e Arnaldo. Treinado por Zé Lima, o Treze jogou com Luciano, Airton, Lima, John e Humberto; Porto, Warison e Beto; Betinho, Tobi e Washington. O público foi de apenas 771 pagantes e o árbitro potiguar Charles Elliot, mal colocado, marcou um pênalti inexistente para o Ferroviário, convertido pelo ídolo Jorge Veras. O lateral direito Caetano marcou o gol da virada coral, após pela assistência do meia Júnior Piripiri. Warison fez o gol do Treze. Favor não confundir na escalação o ponta esquerda Arnaldo, ex-Tiradentes/PI, com o meia Arnaldo que foi campeão cearense pelo Ferroviário em 1988. Naquela temporada de 1992, pela primeira vez na história, o Ferroviário fez o artilheiro maior de uma competição nacional. Jorge Veras foi o artilheiro da Série C com 9 jogos, fato este só repetido por Edson Cariús, que marcou 11 gols na Série D de 2018 e ainda sagrou-se campeão brasileiro pelo Ferrão.

FERRÃO QUEBRA MAIS UM TABU DISPUTANDO A SÉRIE C DESSE ANO

A Série C do campeonato brasileiro desse ano continua rendendo frutos para o Ferrão. Depois de quebrar um tabu de 65 anos contra o Botafogo/PB na primeira rodada, mais um time paraibano sofreu nas mãos do Tubarão da Barra dentro do campeonato e outro tabu foi quebrado. No jogo de ontem, depois de 28 anos, o time coral voltou a bater o Treze/PB dentro de Campina Grande. A última vez que isso tinha acontecido havia sido em 19 de abril de 1992, também pela Série C da mesma competição nacional, quando o Ferroviário fez 2×1, com gols de Jorge Veras e Caetano, o que era também até ontem, a única vez que o Ferrão havia batido o Galo da Borborema dentro de seus domínios em toda a história. Mesmo quando o Ferrão sagrou-se campeão brasileiro da Série D, justamente contra o Treze em Campina Grande, o placar final não havia sido favorável ao time coral. No jogo de ontem à noite, o Ferrão fez um implacável 3×0, tentos de Willian Lira, Diego Lorenzi e Wesley, quebrando o tabu e marcando a segunda vitória coral contra o Treze dentro de Campina Grande, num total de 13 jogos. Vale a pena conferir abaixo os gols do time coral na edição da TV Artilheiro, com narração de Irismar França, pela rádio Joven Pan News de Fortaleza.

ESTREIA, RETORNO DE CAMISA E QUEBRA DE TABU DE 65 ANOS

E depois de um atraso de três meses por conta da pandemia mundial de Coronavírus, que continua a ameaçar fortemente a população nacional, a Série C do campeonato brasileiro de 2020 finalmente começou. O Ferrão bateu o Botafogo/PB por 2×0, gols de Lucas Hulk e Wellington Rato, na Arena Castelão. Além da estreia coral na competição, dois outros fatores merecem grande destaque no dia de hoje: o retorno modernizado de um design de camisa utilizado pelo Ferrão no final dos anos 1960 e a quebra de um grande tabu sem vitórias contra o adversário paraibano. Curioso pra saber os detalhes dessas duas curiosidades? Pois saiba que depois de utilizar com bastante ênfase esse padrão de uniforme entre 1967 e 1972, referido modelo ensaiou um retorno, sem nenhuma repercussão positiva, no final de 1998, sendo a ideia logo abandonada após a confecção de um modelo um tanto quanto descaracterizado em relação aos padrões originais. E sim, a última vez – e única – que o time coral tinha derrotado o Botafogo/PB havia sido no dia 19 de novembro de 1959, por 5×1, em jogo amistoso no PV. Portanto, ontem foi quebrado um tabu de longos 65 anos na história, além de ser a primeira vitória em cima do Belo numa partida oficial! Parabéns Ferrão!

O GOL DO ÚNICO JOGO DO FERRÃO CONTRA O SÃO PAULO GAÚCHO

O vídeo acima é mais uma grande raridade resgatada pelo pesquisador Zidney Marinho. Trata-se do gol do meia Nilsinho, marcado no PV, após jogada do atacante Almir, na única vez na história que o Ferroviário enfrentou o Sport Clube São Paulo, time gaúcho da cidade de Rio Grande, que fica a 318 quilômetros de Porto Alegre. A partida foi válida pelo Campeonato Brasileiro de 1980 e aconteceu no dia 16 de março daquele ano. A vitória em cima da equipe gaúcha credenciou o Ferrão a passar para a segunda fase da competição duas rodadas depois. Nilsinho foi considerado o melhor jogador em campo, não apenas pelo gol da vitória, mas também pela desenvoltura dentro das quatro linhas. Treinado por Aristóbulo Mesquita, o time coral venceu com Salvino, Jorge Luís, Lúcio Sabiá, Celso Gavião e Ricardo Fogueira; Artur, Bibi (Doca) e Nilsinho; Ari (Hélio Sururu), Almir e Babá. O São Paulo/RS jogou com Sérgio, Marinho, Carlão, Tadeu e Radar; Zé Augusto, Motor e Paulo César; João Carlos (Romário), Néia e Almir (Astronauta). O treinador era Laoni Luz. O público foi de 7.655 pagantes e a partida teve o potiguar César Virgílio na arbitragem. As duas equipes tinham Náutico/PE, Ponte Preta/SP, Flamengo/RJ, Itabaiana/SE, entre outros, como adversários na mesma chave. Abaixo, a matéria publicada no Jornal O Povo sobre o jogo, já apresentada aqui no blog em postagens anteriores.

Cobertura do Jornal O Povo criticando a inoperância do ataque coral contra o São Paulo gaúcho

PARABÉNS! MAIS UM ANIVERSÁRIO DO TÍTULO DE CAMPEÃO BRASILEIRO

Hoje, o Ferroviário comemora o segundo aniversário do título de campeão brasileiro de 2018. Em dois jogos decisivos contra o Treze/PB, o segundo jogo ocorreu há exatos dois anos, no estádio Amigão, em Campina Grande, ocasião em que a torcida coral testemunhou a maior conquista da história coral, representada atualmente com uma estrela amarela na parte superior do escudo oficial do clube. E para comemorar, você pode conferir, acima, um mini-documentário produzido na ocasião pela Confederação Brasileira de Futebol, reunindo nomes e personagens diretamente envolvidos naquela brilhante conquista. Feliz aniversário pra você, torcedor coral, que tem Nacional.

LIVE NA ÍNTEGRA DIRETAMENTE DO INSTAGRAM COM LEANDERSON

Você confere acima mais uma Live do Almanaque do Ferrão realizada no Instagram, dessa vez com o nosso ex-volante Leanderson, campeão brasileiro com a camisa do Ferroviário na temporada de 2018. O ex-capitão coral compartilhou suas principais memórias daquela conquista, falando sobre os principais jogos, os momentos mais emblemáticos, alguns de seus gols e também sobre as duas outras vezes que levantou troféus pelo Ferrão, na Taça Fares Lopes em 2018 e na Taça dos Campeões em 2019. Foi mais um bate-papo para a posteridade da memória coral com aquele que foi o nosso capitão em três conquistas inéditas ocorridas no intervalo de apenas cinco meses. Aos domingos, às 21h30, no Instagram, a nossa Live recebe sempre um jogador do passado para resgatar resenhas e boas lembranças da trajetória coral em cada época. Não deixe de conferir, pois serão apenas dez episódios por temporada.

CAPITÃO DE TRÊS TÍTULOS NA LIVE DO ALMANAQUE DO FERRÃO

Leanderson na Live do Almanaque do Ferrão

Depois de passagens por equipes importantes como Grêmio/RS, Sport/PE e Juventude/RS, o volante Leanderson chegou para o Ferroviário vendendo experiência, no auge de seus 35 anos de idade. Ao chegar na Barra do Ceará, efetivou-se como titular e teve grande importância no título brasileiro da Série D de 2018. Entre agosto daquele ano e janeiro de 2019, levantou três troféus com a camisa coral. Além de campeão nacional, conquistou também com seus companheiros o título da Taça Fares Lopes e a Taça dos Campeões. Foram duas temporadas no Ferroviário, totalizando 65 jogos e 4 gols marcados com a camisa coral. Pra falar das conquistas corais e de sua longeva carreira no futebol brasileiro, Leanderson é mais um convidado da primeira temporada de Lives do Almanaque do Ferrão no Instagram, no próximo domingo, dia 26 de julho. O ex-volante coral vai se incorporar à galeria dos já entrevistados Tiago Gasparetto, Arnaldo, Giancarlo, Ramirez, Acássio, Mazinho Loyola e Ricardo Lima, totalizando oito gravações que ficarão para a posteridade coral e memorabilia histórica do futebol cearense. Estão todos convidados, portanto, para conversar com o atleta que, em três títulos, ergueu a taça mais valiosa de nossas conquistas, que rendeu a inesquecível cena abaixo.

ÁUDIO COM GOL DE LUIS SOARES NA SÉRIE D DO BRASILEIRO DE 2018

Essa semana completou dois anos da famosa decisão por pênaltis contra o Campinense/PB, que selou o acesso do Ferrão para a Série C do campeonato brasileiro. Para celebrar esse momento, o Almanaque do Ferrão eterniza agora um dos gols daquela brilhante campanha, em jogo disputado ainda na primeira fase da competição. No dia 28 de abril de 2018, o time coral recebeu o 4 de Julho do Piauí, no PV, e amargou mais um empate na competição, o segundo consecutivo naquele início de certame. No entanto, vale o registro em áudio do belo gol do atacante Luís Soares, que abriu o placar. Posteriormente, o atacante Ted, ex-jogador do próprio Ferrão, decretou o empate final. Veja a escalação coral e compare-a com o time que, pouco mais de três meses depois, sagrou-se brilhantemente campeão nacional. Ainda treinado por Maurílio Silva, o Ferrão formou com Léo, Lucas Mendes, Luís Fernando, André Lima e Marcelo Bispo (Vitinho); Mazinho, Leanderson, Janeudo (Róbson Simplício) e Esquerdinha; Luis Soares (Juninho Quixadá) e Edson Cariús. O time piauiense, treinado pelo ex-goleiro coral Jorge Pinheiro, atuou com Fábio Lima, Barata, Índio, Gilmar Bahia e Diguinho; Célio, Edinaldo (Dudu), Paulinho Mossoró (João Pedro) e Ted; Fabinho e Cleitinho (Chapinha). O baiano Reinaldo Silva de Santana apitou a partida, que teve 1.249 pagantes naquela tarde de sábado. Nesse jogo, o meia Janeudo perdeu um pênalti e o lateral direito Lucas Mendes foi expulso de campo. Abaixo, você recorda a narração de Kaio César e a participação de Dênis Medeiros na cobertura da Rádio Verdes Mares.

VITÓRIA CONTRA O CAMPINENSE COM GOL LINDO DE JANEUDO

Há exatos dois anos, o Ferroviário ganhava do Campinense/PB por 3×2 e se credenciava para seu primeiro acesso em nível nacional, fato este concretizado, nos pênaltis, no jogo de volta em Campina Grande. Os tentos do Ferrão foram do artilheiro Edson Cariús, do craque Juninho Quixadá e um verdadeiro golaço do meia Janeudo, que fazia aniversário justamente naquele domingo. Você recorda a escalação coral naquele jogo? O treinador Marcelo Vilar escalou o time coral com o futebol de Gleibson, Lucas Mendes, Luis Fernando, André Lima e Sávio; Mazinho, Leanderson, Janeudo e Esquerdinha (Valdeci); Edson Cariús (Vitinho) e Juninho Quixadá (Dudu). Treinado por Ruy Scarpino, ex-goleiro da Portuguesa/SP, o time paraibano jogou com Jeferson, Douglas (Marcelinho), William Goiano, Rafael Jensen e Zeca; Jorginho, Felipe Macena (Beto), Gustavo Henrique e Thiago Potiguar (Marcinho); Denilson e Danilo Bala. Os gols da raposa campineira foram dos dois atacantes, Denilson e Danilo Bala. Dessa equipe, os volantes Jorginho e Felipe Macena se encontra hoje no elenco do Ferroviário. Vale a pena recordar abaixo o vídeo com os cinco gols da partida, na narração sensacional de Dênis Medeiros, da Rádio Verdes Mares de Fortaleza, além das imagens da TV Artilheiro. Reviva o domingo à noite de uma vitória histórica.