JOSEOLY MOREIRA E O GOLEIRO CAVALHEIRO EM RETRATO DE 1968

Joseoly e Cavalheiro em 1968

Registro histórico da chegada do novo goleiro do Ferroviário Atlético Clube para a temporada de 1968. No retrato antigo, o dirigente coral Joseoly Moreira e o arqueiro Cavalheiro. O goleiro conquistou o título estadual invicto daquele ano aos 23 anos de idade, depois de atuar por Internacional/RS e Vasco/RJ, no futebol brasileiro, e pelo Deportivo Lara da Venezuela. Sua passagem no futebol carioca rendeu a indicação para o Tubarão da Barra por intermédio do diretor Joseoly Moreira, que militava profissionalmente no Rio de Janeiro e apoiava a direção coral notadamente no setor de comunicação do clube, além do crivo do eterno ídolo Pacoti, que o conhecia das categorias de base da equipe carioca. Ao todo, foram 35 jogos do gaúcho Cavalheiro como goleiro do Ferrão. Ele largou o futebol ainda jovem e preferiu terminar a faculdade de Direito para seguir a carreira de advogado, inicialmente em Minas Gerais e depois no Rio Grande do Sul, onde reside e completará 74 anos de idade no próximo mês de outubro.

ATACANTE LENDÁRIO RECEBE HOMENAGEM EM COLEÇÃO DE COPOS

Ex-atacante Pacoti estampa o segundo número da série de copos colecionáveis ´Legendários`

Depois de homenagear o ex-goleiro Marcelino no lançamento da primeira edição de copos colecionáveis de sua história, a coleção chega nessa semana ao exemplar de número dois e o ex-atacante Pacoti estampa o inédito mimo coral. Intitulada de ´Legendários`, a série de copos presta homenagem a ex-jogadores que tenham alcançado feitos inéditos ou pioneiros em suas carreiras. No caso do novo homenageado, Pacoti foi o primeiro jogador coral a atuar profissionalmente no futebol europeu, onde defendeu a camisa do Sporting de Lisboa no início da década de 1960, chegando inclusive a defender o clube português em uma edição da hoje famosa Champions League, constituindo-se como uma verdadeiro pioneiro nesse aspecto e abrindo o caminho para outros atletas que trilharam o mesmo caminho nas décadas seguintes como Mirandinha e Jardel. Simpático e carismático, Pacoti é muito querido pela torcida do Ferroviário e já serviu até de garoto propaganda em campanha do Governo do Estado do Ceará, conforme anúncio abaixo veiculado em outdoors na cidade de Fortaleza e em outras mídias publicitárias no início dos anos 2000. Homenagem mais do que merecida ao grande Pacoti, agora como Legendário em copos comercializados exclusivamente no estádio durante as partidas do Ferrão pela Série C do Brasileirão desse ano. Esse é contra o Globo/RN amanhã no Castelão.

Pacoti em campanha promocional do Governo do Estado do Ceará no início dos anos 2000

DOIS ÍDOLOS NA INAUGURAÇÃO DA PRIMEIRA LOJA DO FERROVIÁRIO

Um ídolo do passado e um ídolo do presente na inauguração da primeira loja do Ferroviário

Na semana passada, o Ferroviário Atlético Clube inaugurou a sua primeira loja oficial. Prestes a completar 86 anos de existência, a primeira loja do Ferrão localiza-se no Shopping Riomar Kennedy, na zona oeste da cidade de Fortaleza, uma área tradicionalmente preenchida por bairros reconhecidos como de alta densidade populacional de torcedores corais. Na ocasião, vários jogadores, torcedores, curiosos e ex-atletas identificados com o Tubarão da Barra estiveram presentes. Entre eles, os artilheiros Pacoti e Edson Cariús, um grande ídolo do passado e  outro ídolo extremamente identificado com o recente e vitorioso momento coral na Série D nacional e da Taça Fares Lopes do ano passado. Ambos colocaram seus pés no cimento que futuramente comporá uma espécie de ´calçada da fama` coral.

DOCUMENTÁRIO DA TV ASSEMBLEIA EM TRECHOS SOBRE O FERROVIÁRIO

Que tal iniciar a temporada de 2019 com um pouco mais de história sobre o Ferroviário Atlético Clube? Há alguns anos atrás, a TV Assembléia do Estado do Ceará produziu um excelente documentário sobre a história do futebol cearense. Acima, você pode conferir uma compilação das partes do material que tratam exclusivamente sobre o Ferrão, trazendo inclusive uma das últimas gravações em vídeo com Valdemar Caracas, registrada pouco tempo antes de seu falecimento em janeiro de 2013. Além do fundador coral, o material conta a participação de historiadores e nomes importantes que contribuíram para o progresso do futebol cearense e principalmente para a evolução do Ferroviário ao longo do tempo, como o supervisor Chicão, falecido em fevereiro de 2014, os ex-atacantes Pacoti e Mazinho Loyola, o ex-zagueiro Celso Gavião e o ex-dirigente Hamilton Pereira. Conteúdo de grande qualidade! Deleite-se!

RETRATO HISTÓRICO DE QUANDO O FUTEBOL ANDAVA DE TREM

Jogadores elegantemente uniformizados após viagem de trem para o interior do Ceará em 1957

´Quando o Futebol Andava de Trem` é o nome do livro escrito há quase duas décadas por Ernani Buchmann, ex-presidente do Paraná Clube. Nele, o autor percorre todos os estados brasileiros mostrando a força do movimento da classe ferroviária na formação de vários times de futebol. Cria da Rede de Viação Cearense em 1933, o Ferroviário costumava viajar de trem para seus compromissos no interior e até em outros estados. Na foto acima de 1957, ano da criação da histórica Rede Ferroviária Federal (RFFSA), é possível observar nomes lendários da vitoriosa caminhada coral nos anos 1950 como os zagueiros Nozinho e Manoelzinho, o meia Aldo, um dos maiores craques cearenses em todos os tempos, o lendário centroavante Pacoti e o atacante Macaco, o maior goleador da história do Tubarão da Barra até os dias de hoje. Na imagem, vê-se os jogadores elegantemente uniformizados em mais uma viagem de trem para uma apresentação amistosa em alguma localidade do interior cearense. Belo retrato coral!

FOTO HISTÓRICA DE UM TIME QUE HUMILHOU O CAMPEÃO DE 1957

Ferroviário Atlético Clube em 1957 – Em pé: Manoelzinho, Macaúba, Eudócio, Ferreira, Nozinho e Gilvan; Agachados: Zé de Melo, Macaco, Pacoti, Kitt, Fernando e o treinador Durval Cunha

O retrato de hoje é bem antigo e foi tirado antes do início de uma partida amistosa entre Ferroviário e Ceará, marcada como entrega de faixas de campeão cearense de 1957 para a equipe alvinegra. O time coral não entrou pra brincadeira e fez 4×0 no placar, com gols dos eternos ídolos Pacoti, Zé de Melo e Macaco. O atacante Pacoti, que depois jogaria no Vasco/RJ e no Sporting de Portugal, marcou duas vezes. O jogo teve o maranhense Sandoval Ramos no apito e foi realizado no PV. Apesar de mostrar nomes consagrados na história coral como Manoelzinho, Macaúba, Nozinho, Kitt, Fernando e os autores dos gols, essa foto traz uma raridade: na meta coral, o goleiro Gilvan, ex-Gentilândia e Ceará. Isso aconteceu em apenas quatro oportunidades na carreira do ex-goleiro, que depois foi técnico do próprio Ferroviário em 1974. José Gilvan Lemos Dias também foi cronista esportivo e, na década de 1980, comentava jogos do futebol cearense, sempre exibidos na TVE, aos domingos à noite. Em 10 de julho de 2007, Gilvan faleceu em Fortaleza vítima de problemas cardíacos.

ENTREVISTA NA TV SOBRE O LANÇAMENTO DO ALMANAQUE

Evento de lançamento do Almanaque do Ferrão no Náutico Atlético Cearense em 2013

Foi no dia 25 de Junho de 2013. A versão impressa do Almanaque do Ferrão foi lançada no salão nobre do Náutico Atlético Cearense diante de um bom número de torcedores, desportistas, jornalistas e ex-jogadores corais, como Mazinho Loyola, Pacoti e Facó. Passado esse período, alguns poucos exemplares ainda existem disponíveis da tiragem única de 2.000 exemplares. Em alusão ao aniversário do livro, recorde nos vídeos abaixo a reprise da participação de Evandro Ferreira Gomes, autor da obra, no programa de televisão ´Trem Bala`, veiculado pela TV O Povo poucas horas antes do evento, explicando o processo de pesquisa e falando sobre várias curiosidades da história coral.