FUTEBOL CEARENSE E FERRÃO SE DESPEDEM DO PONTA DIREITA MANO

Mesmo com a saúde já debilitada, ex-jogador Mano esteve no Ferroviário em novembro de 2018

Essa semana, o ex-ponta direita Mano faleceu em Fortaleza depois de uma dura batalha contra o câncer. Cria das categorias de base do Fortaleza, quando foi descoberto pelo ex-treinador Moésio Gomes, Mano chegou ao Ferroviário em 1968 para fazer parte de um elenco que, de tão vitorioso, tornou-se histórico. Os títulos estaduais de 1968 e 1970 foram sua maior façanha no time coral, além da conquista da Taça Estado do Ceará em 1969. Em síntese, três temporadas e três títulos. Em 2014, Mano se reencontrou com alguns dos ex-campões invictos de 1968 e, no ano passado, esteve na Barra do Ceará, apesar da saúde já debilitada, para doar suas faixas de campeão cearense para o memorial coral que está sendo montado nas instalações da sede do clube. Mano, que se chamava Dionísio Muniz Trajano, era filho de Vicente Trajano, lendário atleta do Ferroviário na década de 1950. No cômputo geral, Mano defendeu o Ferrão em 99 jogos e marcou 19 gols. Para sempre na memória coral.

JARDEL É LEGENDÁRIO DO FERRÃO E LEGENDÁRIO DO FUTEBOL EUROPEU

Ex-atacante Mário Jardel estampa o oitavo copo da série ´Legendários` do Ferroviário em 2019

A direção de marketing do Ferrão anunciou o nome do ex-atacante Jardel como novo ´Legendário` na série de copos distribuídos nos jogos do clube na Série C nacional desse ano. Apesar de ter feitos poucas partidas com a camisa do nosso time profissional, o ex-centroavante é a cria das bases do estádio Elzir Cabral que mais sucesso alcançou no futebol mundial em todos os tempos, imortalizado na Europa por ter recebido duas vezes a ´Chuteira de Ouro`, troféu atribuído ao maior artilheiro da temporada no velho continente. No Ferrão, Jardel foi lançado no time profissional pelo treinador José Maria Paiva, no dia 25/8/1990, quando ainda não havia completado 17 anos de idade. No ano seguinte, após grande performance numa competição nacional de base, foi negociado com o Vasco/RJ e ganhou o mundo de forma espetacular depois de brilhar no Grêmio/RS, onde até hoje é lembrados por seu faro de artilheiro.

A série de copos colecionáveis do Ferroviário já chega a seu oitavo número e traz Mário Jardel

Dez anos atrás, antes de pendurar as chuteiras, Jardel voltou ao Ferroviário gerando muita empolgação na ocasião. De forma completamente inédita, a apresentação do filho pródigo aconteceu em rede de televisão para todo o Estado do Ceará, ao vivo, durante a transmissão pela TV Verdes Mares do jogo Icasa 3×4 Ferroviário, no dia 1° de fevereiro de 2009. Jardel vestiu a camisa coral no ar e anunciou seu retorno, convocando o torcedor coral para sua volta triunfal de helicóptero, três dias depois, no Elzir Cabral, num dos momentos mais emblemáticos do futebol cearense em todos os tempos. Cerca de um mês depois, após intensiva preparação física, em um Estádio Elzir Cabral completamente lotado, Jardel entrou aos 28 minutos do segundo tempo e voltou a vestir a camisa coral depois de 18 anos. Aos 37 minutos, após cruzamento da direita, a bola chegou no peito do centroavante, que tirou a marcação do zagueiro e, com uma facilidade impressionante, chutou por cobertura, marcando um golaço, naquele que foi o seu primeiro gol no profissional do Ferrão. A volta de Jardel ao time que o projetou teve repercussão mundial, principalmente em Portugal, onde foi ídolo das torcidas do Porto e do Sporting de Lisboa. Pra rememorar a grandeza daquele momento, o Almanaque do Ferrão reproduz abaixo o vídeo daquele belo gol e toda emoção do momento em matéria do Globo Esporte nacional no dia seguinte.

PRIMEIRA FOTO DE MARCELO VEIGA LOGO QUE CHEGOU NO AEROPORTO

Marcelo Veiga no Pinto Martins

A foto ao lado permaneceu guardada nos arquivos do Almanaque do Ferrão por mais de trinta anos. Chegou a hora de divulgá-la! Trata-se do primeiro registro fotográfico do nosso atual treinador, logo que ele chegou para defender o Ferroviário como jogador no início da temporada de 1988. Estamos falando da segunda quinzena de janeiro daquele ano, quando Marcelo Veiga e o meia Arnaldo desembarcaram no antigo aeroporto Pinto Martins, provenientes de São Paulo. Ambos vinham da equipe do Santo André/SP e o lateral esquerdo, que teve sua rota desviada do Avaí/SC, acabou chegando por empréstimo em substituição a Agnaldo, também lateral da equipe paulista e ex-jogador do Fortaleza, que havia sido anunciado previamente pelo diretor de futebol Vicente Monteiro, mas que não pôde vir em razão de um acidente de motocicleta. O destino mudou a rota de Marcelo Veiga e ele fez história no Ferrão. Na ocasião, o jornal O Povo mandou uma equipe ao aeroporto para cobrir a chegada dos novos reforços do time coral. Essa é justamente a foto registrada no desembarque de Marcelo Veiga, que tinha 23 anos, e chegava em Fortaleza pela segunda vez na vida. Na primeira, em 1986, ele era o lateral direito do Comercial/MS que bateu o Fortaleza por 1×0, no Castelão, pelo Brasileirão. Ironicamente foi no Fortaleza que Marcelo Veiga marcou o gol do título.