FERROVIÁRIO É FINALISTA DO ESTADUAL DEPOIS DE 19 ANOS

Ferrão volta a uma final depois de 19 anos

Em mais um confronto histórico contra um tradicional adversário, o Ferrão segurou o empate em 0x0 contra o Fortaleza ontem à noite e está garantido na final do campeonato cearense de 2017. Comemore, torcedor coral! Além de finalistas, estaremos no ano que vem de volta à Copa do Brasil, ao campeonato brasileiro da Série D e à Copa do Nordeste. Sem dúvida alguma, um momento mágico para o clube no ano de seu aniversário de 85 anos. O jogo novamente teve requintes de sofrimento, heroísmo e emoção. Mais uma vez, o Ferrão atuou apenas com 10 jogadores durante boa parte do jogo já que Moisés Lucas foi expulso aos 18 minutos do 2º tempo. Foi bonito e inesquecível. O clube enfrentou o Fortaleza em quatro partidas durante a competição e não perdeu nenhuma. Se alguém duvidava da grandeza do Ferroviário, agora não há mais dúvidas: o Ferroviário é gigante, pois só os gigantes se mantém vivos depois de tantas adversidades ao longo das últimas duas décadas. Confira abaixo os melhores momentos de ontem através do Esporte Interativo.

DISPUTA DE PÊNALTIS, EMOÇÃO VITÓRIA, SEMIFINAL E BRASILEIRO

Vale a pena ver o vídeo acima. São imagens da disputa de pênaltis entre Ferroviário e Horizonte no último domingo. A narração é de Irismar França e a reportagem é de Danilo Queiroz, ambos da Tribuna Bandnews FM de Fortaleza. Depois do empate em 1×1 no tempo normal, as cobranças de pênaltis definiram por 4×2 a passagem do Ferroviário para a semifinal do campeonato cearense e, de quebra, garantiu o time coral na Série D do campeonato brasileiro de 2018, algo que não acontecia desde a temporada de 2009. Assisinho, Maxuell, Jonathas e Vitinho converteram suas cobranças para o Tubarão da Barra. O goleiro Mauro defendeu a cobrança de Doda e depois o que se viu foi uma autêntica festa coral em pleno estádio do adversário. Foi o jogo 3.574 da trajetória coral e já faz parte de uma das nossas histórias mais bonitas e emocionantes. Com final feliz.

FERRÃO TEM A CHANCE DE ACABAR COM TABUS NA ATUAL TEMPORADA

Ferroviário e Horizonte vivem semana decisiva no campeonato cearense. As duas equipes se enfrentam nos dias 12 e 26 de março em confrontos de ida e volta. O primeiro jogo será no Castelão e só uma das duas equipes passam para a semifinal do campeonato cearense de 2016. Pra seguir em frente, o Ferrão precisa fazer o que há 4 anos não consegue: vencer o Horizonte. É verdade que dois empates e vitória nos pênaltis também resolve, mas derrotar o adversário no jogo de 180 minutos credencia o time coral a buscar uma final estadual depois de 19 anos. A vaga na Série D também é um dos objetivos. Mas você é capaz de lembrar do time que derrotou o Galo do Tabuleiro pela última vez? Veja a foto abaixo. Foi no dia 6 de fevereiro de 2013: 1×0 no Domingão.

Ferroviário Atlético Clube em fevereiro de 2013 – Em pé: Fernando Júnior, Cleylton, Valdo, Henrique, Giancarlo e Lima; Agachados: Everton, Leandro Sobral, Foguinho, Ted e Tinga

Naquela oportunidade, o gol da vitória foi marcado pelo volante Leandro Sobral, que depois defendeu o próprio Horizonte, Campinense/PB e atualmente está no Altos/PI. Treinado pelo gaúcho Gilson Maciel, o Tubarão da Barra venceu com Fernando Júnior, Everton, Valdo, Cleylton e Tinga; Lima (Luisinho), Foguinho, Leandro Sobral e Henrique (Chico); Ted (Sami) e Giancarlo. O Horizonte perdeu com Jéfferson, Moisés Lucas (Jack Chan), Breno, Airton Júnior e Thalison; Válter, Albano, Erivélton e Moisés Rato (Rennan); Júnior Mineiro e Reginado Júnior (Torres). Dos quatorze jogadores utilizados pelo adversário nesse jogo, nada menos que 11 atletas haviam vestido ou vestiriam depois a camisa do Ferroviário, mais um indicativo da concepção do embrião do Horizonte dentro da própria estrutura coral ao longo do tempo, fato este já abordado em postagem anterior.

Uma outra vitória do Ferrão dentro de Horizonte aconteceu em 2009, também pelo campeonato cearense, no dia 5 de março. Triunfo por 3×2 que você pode conferir no vídeo acima. Os gols foram marcados por Wescley, duas vezes, e Menezes. Dudu e o falecido Ton Ton descontaram para o Galo do Tabuleiro. Confira a formação coral naquela noite: Jéfferson, Rodrigo, Paulo Paraíba (Guto), Menezes e Cleiton Cearense; Válter, Róbson Simplício, Diego e Vidinha (Dino); Wescley e Léo Jaime (João Neto); O Horizonte perdeu na ocasião com Fábio Lima, Andrezinho, Da Silva, Ton Ton e Tiago; Reginaldo, Tiago Costa (Preto), Júnior Cearense e Anderson (Teles); Stênio e Dudu. Desses, seis jogadores vestiram a camisa do Ferroviário em temporadas anteriores. Voltando para 2017, o desejo é que a atual geração de jogadores do Ferrão quebre o tabu de 4 anos sem vitórias contra o Horizonte e que possam se inspirar nos exemplos citados acima.

EX-MEIA DO FERROVIÁRIO CONSEGUE ACESSO COM O BRASIL DE PELOTAS

download (3)

Diogo Oliveira comemora gol no Brasil/RS

Levante a mão se você lembra da passagem do meia carioca Diogo Oliveira pelo Ferroviário! Prestes a completar 34 anos de idade, ele acaba de conquistar o acesso nacional com a camisa do Brasil de Pelotas, depois de jogar com destaque nos últimos anos por Chapecoense/SC, Joinville/SC, Criciúma/SC e Juventude/RS, entre outras equipes importantes do sul do país. O atleta foi autor de alguns gols do time gaúcho durante a bem sucedida campanha da Série C desse ano. O Almanaque do Ferrão recorda que o experiente jogador foi uma das principais contratações do Ferroviário Atlético Clube para a quarta divisão do campeonato nacional de 2009, mas acabou ficando um breve período de tempo e não chegou a se destacar no time coral, apesar da condição de titular na grande maioria das partidas na competição.

diogonofac

Time base do Ferroviário na Série D de 2009

Diogo Oliveira estreou pelo Tubarão da Barra em 24/6/2009, num amistoso contra o time B do Fortaleza, no Estádio Domingão. Ao todo foram apenas 9 jogos, sendo uma única partida inteira em campo e infelizmente nenhum gol marcado com a camisa coral. Na prática, o futebol altamente técnico do jogador acabou desaparecendo em meio a um time mal treinado e uma campanha sofrível marcada por derrotas contra Alecrim/RN, Treze/PB e Sergipe/SE. O atleta rescindiu contrato com o Ferroviário após a competição e partiu sem deixar saudades. Além do Ferrão, Diogo vestiu no futebol cearense as camisas do Ceará, Icasa e Uniclinic. Na foto acima, ele aparece em destaque ao lado de jogadores na seguinte sequência: Dionantan, Cícero César, Clemílson, Felipe Espada, ele e Rafael; Eliélton, Victor Cearense, Cristiano, Júnior Cearense e Alberto.

EX-TREINADORES CORAIS FAZEM SUCESSO NA SÉRIE D NACIONAL

amapariver

Ríver: as mesmas cores do Ferroviário

Dois ex-treinadores do Ferroviário começaram a semana de um maneira bem sucedida. No último final de semana, eles conquistaram o acesso para a Série C brasileira comandando Ríver/PI e Botafogo/SP. Estamos falando de Flávio Araújo e Marcelo Veiga respectivamente. E não é a primeira vez que ambos conseguem tal feito em âmbito nacional. O primeiro já conseguiu subir de divisão com América/RN, Sampaio Corrêa/MA e Icasa/CE, enquanto que o segundo já foi até campeão brasileiro da Série C no comando do Bragantino/SP. Curiosamente, seus clubes atuais possuem as mesmas cores do Ferroviário. Mas você é capaz de lembrar da passagem deles pelo Ferrão?

marcelo_veiga

Marcelo Veiga: ex-jogador e ex-técnico coral

ídolo do Ferroviário como jogador na década de 80, Marcelo Veiga chegou para ser treinador no campeonato brasileiro de 2004. Foram 15 jogos entre junho e setembro daquele ano. O Ferroviário chegou na última rodada precisando de um empate contra o Parnaíba/PI, fora de casa, para passar para a 2ª fase da Série C, mas perdeu o jogo por 1×0 numa cobrança de falta e deu adeus à competição. Neófita e incompetente no futebol, a direção coral na época não renovou com Marcelo Veiga para a temporada seguinte, preferindo apostar no técnico local Alencar Mota para o campeonato cearense. Marcelo seguiu para o Bragantino com a promessa de fazer um trabalho de longo prazo e, três anos depois, na Série C de 2007, sagrava-se campeão brasileiro como técnico. Depois de dirigir equipes como Guarani de Campinas, Portuguesa/SP, Remo/PA e São Caetano/SP, esse ano ele começou um trabalho no Botafogo de Ribeirão Preto que culminou com mais um acesso nacional no currículo de Marcelo Veiga.

675a4fdf80f8e0f0ed34e8c093382527

Flávio Araújo foi treinador do Ferrão em 2002

Por sua vez, Flávio Araújo não chegou a jogar no Ferroviário como jogador profissional, mas passou pelas equipes infantis corais na década de 70. Foi volante do Ceará nos anos seguintes e começou a treinar o Icasa quando pendurou as chuteiras. Depois de treinar a dupla Fortaleza e Ceará, chegou para dirigir o Ferrão em 2002, entre março e agosto. Fez um bom trabalho e ajeitou a equipe coral no meio do campeonato cearense, porém sem chance de brigar por título em razão da limitação técnica do elenco. Foram ao todo 35 partidas no comando do Tubarão da Barra. Hoje, Flávio é um treinador requisitado no futebol nordestino e o acesso com o Ríver/PI é apenas mais um em sua carreira, ele que também já foi campeão brasileiro, na Série D, quando dirigia o Sampaio Corrêa em 2012.

Botafogo-de-SP-consegue-acesso-para-a-Série-C

Botafogo: as mesmas cores do Ferroviário

Um dos dois ex-corais pode conquistar mais um título brasileiro na atual temporada. Seus times têm como adversários o Ypiranga/RS e o Remo/PA. Se passarem, podem se enfrentar numa grande final e comemorarem o grande momento vivido na atualidade. Voltando no tempo como atletas, em 1988, Flávio Araújo e Marcelo Veiga se enfrentaram dentro de campo apenas 3 vezes. O ex-lateral coral nunca perdeu para o ex-volante alvinegro, sendo 1 vitória e 2 empates naquela já distante temporada. Detalhes que só o Almanaque do Ferrão é capaz de lembrar.

GOL 6.000 DA HISTÓRIA CORAL SAIU HÁ 6 ANOS NO ESTÁDIO DOMINGÃO

ori_a7be75eb8c6835f5514ffddb3d40547c

Eliélton marcou o gol 6.000 da história

Nesse 19 de Julho faz 6 anos que o pernambucano Eliélton marcou o gol de número 6.000 da história do Ferroviário. Foi exatamente num domingo como hoje, no Estádio Domingão, diante de um público pífio de 456 pessoas que se aventuraram a ir até o município de Horizonte acompanhar o Tubarão da Barra. O adversário foi o Flamengo/PI pela disputa da Série D do campeonato brasileiro. O Ferrão fez 3×0 no placar e foi justamente o segundo gol do jogo que levou a marca emblemática. Mais que isso, o gol de Eliélton foi sensacional, histórico não apenas pela relevância numérica na história, mas sobretudo pela beleza plástica. Foi exatamente o “gol que Pelé não marcou” contra a Tchecoslováquia na Copa do México em 1970. O gol que Pelé não conseguiu marcar, outros jogadores do futebol mundial conseguiram. O meia Eliélton, do Ferrão, foi um deles. Coisas do futebol que não têm explicação.

aucélio

Ex-volante da década de 70: Aucélio

Acompanhe o vídeo com a matéria da vitória coral contra o Flamengo piauiense. Além do gol antológico de Eliélton, também pode se recordar os gols dos atacantes Wescley e Cristiano. Era a primeira vitória coral na competição após derrotas nos dois primeiros jogos. Treinado por Gilmar Silva, o Ferroviário atuou com Jéfferson, Ivan, Cícero César, Lúcio e Victor Cearense (Marcelo); Válter, Eliélton, Clébson e Diogo Oliveira (Diego); Cristiano (Júnior Cearense) e Wescley. Por sua vez, o Flamengo do Piauí perdeu com Beto, Niel, Marcelão (Maranhão), Laércio e Binha; Alessandro, Célio (Marcelo Sá), Luciano e Bruno Potiguar (Tote); Roni e Michel. O técnico flamenguista era o gaúcho Paulo Moroni. Nas arquibancadas do Domingão, três ex-jogadores corais chamaram a atenção entre os poucos torcedores presentes: o lateral esquerdo Vila Nova, o volante Aucélio e o lateral esquerdo Marcelo Veiga, destaques nas décadas de 70 e 80. Confira o vídeo abaixo e relembre o golaço de Eliélton, o gol 6.000 da história do Ferroviário.