IMAGENS DA FESTA NA BARRA NO BICAMPEONATO EM 1995

Hoje é o aniversário de 88 anos do Ferroviário Atlético Clube. E para comemorar, o Almanaque do Ferrão publica acima as raras imagens, da extinta TV Manchete, filmadas na comemoração do Bicampeonato Cearense ocorrida no Estádio Elzir Cabral, exatamente uma semana depois da grande conquista no PV contra o Icasa. O material inédito esteve guardado durante um quarto de século no acervo pessoal do torcedor Davi Mapurunga, que gentilmente cedeu-as ao blog após digitalizar as imagens antigas gravadas originalmente em fita VHS. Além de trazer os gols do jogo de entrega de faixas contra o Guarany de Sobral, na Barra, o vídeo traz imagens e depoimentos de nomes importantes da nossa história como Zezé do Vale, Zé Limeira, Valdemar Caracas, o atacante Reginaldo e o presidente Clóvis Dias. Vale a pena recordar esse belo registro relativo à maior conquista coral em nível Estadual, que agora fica disponível para todos os torcedores e desportistas em geral. E como não poderia deixar de ser no dia de hoje: Feliz Aniversário, Ferrão!

RARIDADE: VERSÃO ORIGINAL DO HINO OFICIAL DO FERROVIÁRIO

Hoje seria mais um aniversário de José Cecílio do Vale, conhecido no meio artístico como Zezé do Vale. Autor do hino oficial do Ferroviário, ele nasceu na cidade de Ipu, em 22 de novembro de 1900, e faleceu em 29 de março de 1996, depois de conferir o bicampeonato estadual do Ferrão, conquistado apenas três meses antes. A versão acima é de uma contribuição histórica grandiosa. Trata-se da primeira gravação do hino coral, gravado na segunda metade dos anos 1960, na voz de Wilson Lopes, em duas versões originais, respectivamente distribuídas no lado A e no lado B, ambas como participação do próprio Zezé do Vale e seu conjunto nos instrumentos. Vale a pena a audição com muita atenção. Você vai perceber algumas mudanças nos acordes e na própria letra em relação à versão mais conhecida, gravada no início dos anos 1980, e tida muitas vezes, erroneamente, como a versão original de tão difundida. A buzina do trem e o som das rodas da locomotiva dão um charme especial à versão do hino em questão. Sem dúvida, um resgate portentoso da indústria fonográfica cearense.