PONTA ESQUERDA WANKS NO GRANDE FERROVIÁRIO DE 1994

Ferroviário Atlético Clube no início do Campeonato Cearense de 1994 – Em pé: Luís Sérgio, Nasa, Santos, Edgar, Branco e Batista; Agachados: Batistinha, Basílio, Acássio, Wanks e Cícero Ramalho

Wanks nasceu em Tauá, no interior cearense. Foi um jogador revelado pelo Ceará em meados da década de 1980 e chegou posteriormente a jogar no futebol paulista, mais precisamente na Portuguesa de Desportos. Em 1990, o jogador foi campeão no Santa Cruz/PE, comandado pelo conhecido técnico Erandy Pereira Montenegro, e tinha como companheiro no ataque, o também tauaense Mazinho Loyola, cria do Ferrão. No início de 1994, o experiente ponta esquerda foi uma das principais contratações para o Campeonato Cearense daquele ano, mas as coisas não andaram bem. Aos 29 anos de idade, Wanks fez apenas 4 jogos oficiais pelo Ferroviário e participou de alguns amistosos. O registro acima é do dia 3 de março de 1994, no PV, numa das poucas derrotas da equipe coral na temporada inteira. O algoz foi o Tiradentes e aquela se tratava apenas da segunda partida do certame estadual. O jogo marcou a estreia do experiente goleiro mineiro Luís Sérgio, ex-Sampaio Corrêa/MA. Após aquela derrota por 2×1, a temporada de 1994 transcorreu de forma auspiciosa para o Ferrão. O time foi campeão no início de dezembro. Como se nota, os Estaduais duravam praticamente o ano inteiro. Wanks permaneceu somente até maio.

JOGARAM NOS ADVERSÁRIOS E ENCONTRARAM PORTAS ABERTAS

O vídeo acima apresenta o gol da vitória coral contra o Ceará na narração do competente Brenno Rebouças, semana passada, na estreia de ambos na Taça Fares Lopes, competição cearense que movimenta os clubes no segundo semestre. O tento foi marcado pelo atacante Rinaldo, 40 anos de idade, no melhor estilo da velocidade que o caracterizou há poucos anos como ídolo do Fortaleza em mais de 100 gols assinalados. Rinaldo é certamente o jogador de mais idade que passou por Ceará ou Fortaleza e que depois encontrou guarida no Ferroviário. Que brilhe na Barra como vários outros o fizeram. O Almanaque do Ferrão recorda os principais casos. São mais de 50 nomes. Alguns internautas sentirão saudades, outros podem até sentir dor de cabeça ao recordar certos atletas, mas vale a pena a confecção da lista abaixo.

artuzao

Artur do Carmo: zagueirão pai d´égua

Por ordem alfabética, recorde alguns jogadores que se destacaram no Ceará e que depois atuaram pelo Ferroviário em suas respectivas temporadas: Aírton (1993), Arlindo Maracanã (2011), Argeu (1993), Artur (1979), Daniel (1972), Djalma (1988), Erandy (1975), Erasmo (2000), Expedito Chibata (1965), Guilherme (1959), Ivanildo (2002), Jangada (1981), Januário (2003), Jéfferson (2006), João Carlos (1967), Jorge Costa (1974), Juju (1951), Luciano Oliveira (1974), Marcos do Boi (1967), Marquinhos Capivara (1993), Mastrillo (1998), Magela (1977), Paulo Tavares (1974), Ramon (1984), Roberval (1994), Samuel (1974), Sérgio Alves (2006), Wanks (1994), Wolney (1987), Zezinho (1970) e Zezinho Fumaça (1971).

paulomauricioeroner

Laterais Paulo Maurício e Rôner

Do Fortaleza, ganharam destaque e depois passaram pelo Tubarão da Barra os seguintes nomes: Adílton (1985), Alexandre (1986), Birungueta (1971), Caetano (1989), Celso Gavião (1979), Cícero Capacete (1979), Da Silva (1988), Eliézer (1997), Facó (1967), França (1939), Geraldino Saravá (1980), Gilmar Furtado (1990), Haroldo (1981), Jombrega (1940), Jorge Pinheiro (1994), Louro (1969), Mano (1968), Maradona (2001), Mozart (1966), Lupercínio (1986), Luizinho das Arábias (1985), Nélson (1985), Paulo Maurício (1978), Rôner (1981), Sérgio Monte (1985), Solimar (1998) e Zé Félix (1939).