FOTO RARA DO FERRÃO NO CAMPEONATO BRASILEIRO DE 1991

3mar1991

Ferroviário no Elzir Cabral em 1991 – Em pé: Jaime, Celso Gavião, Naldo, Valdecy, Guará e Toninho Barrote; Agachados: Magno, Basílio, Cacau, Ademir Patrício e Arnaldo.

A foto acima não é nada comum. Voltemos até 1991. Repare no patrocínio verde em cima das listras corais. Era da tradicional loja varejista ´A Esmeralda`, de propriedade do ex-presidente Moacir Pereira Lima. Nela, vê-se o vitorioso zagueiro Celso Gavião já no final de sua carreira, além dos experientes jogadores Valdecy, ex-Guarany de Sobral, e Ademir Patrício, ex-Ceará. Perceba também o goleiro piauiense Guará, irmão do também goleiro Jorge Luiz, bicampeão no Ferrão em 1995. Também do Piauí, mais precisamente do Tiradentes/PI, o ponta esquerda Arnaldo. Favor não confundir com o paulista Arnaldo, campeão em 1988 e que também chegou a jogar na temporada de 1991. O registro foi feito no Elzir Cabral, antes de um jogo contra o Parnaíba/PI pelo Campeonato Brasileiro.

DOS TREINOS NA BARRA DO CEARÁ PARA O FUTEBOL DA FINLÂNDIA

marcomanso

Ex-zagueiro do Ferroviário Atlético Clube em matéria nacional do Globo Esporte

Um ex-jogador do Ferroviário foi destaque ontem na versão nacional do Globo Esporte. A matéria do noticiário esportivo nada tinha a ver com sua passagem pelo time coral ou até mesmo com o futebol do Brasil. Tratava sobre o futebol da Finlândia – isso mesmo – e alguns brasileiros relacionados com o futebol daquele país foram destaque, entre eles, Marco Antônio Manso, ex-zagueiro do Tubarão da Barra no início dos anos 90.

Segundo o Almanaque do Ferrão, foram apenas dois jogos com a camisa do time principal. Em 07/4/91, Manso entrou no lugar do meia Júnior Piripiri e estreou entre os profissionais na derrota por 1×0 para o Auto Esporte/PI, dentro do Elzir Cabral, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro. Um mês depois, o treinador Djalma Linhares o colocou durante um amistoso contra o Maria Clara no lugar do experiente zagueiro Valdecy. E só. O promissor Manso não teve mais oportunidades e seguiu para o futebol paulista para ganhar o mundo.

Em matéria do portal Tribuna do Ceará em 2013, Manso recordou sua saída do Ferroviário. Após treinar a semana inteira como titular para uma partida contra o Guarany de Sobral, pelo Campeonato Cearense, foi informado no vestiário que ficaria no banco a pedido da diretoria. “Verdade ou não, aceitei e assisti ao jogo do banco mesmo. Mas, como sabia do potencial que eu tinha, não poderia aceitar aquele tratamento e na semana seguinte fui embora para São Paulo”, contou.

Manso chegou a Finlândia em 1998 depois de atuar na Arábia Saudita e Ilha de Malta. Foram 10 anos como jogador do MYPA, o que valeu depois o convite para atuar como diretor executivo do clube, função que exerce até hoje após concluir vários cursos, inclusive uma graduação em Administração. Ano passado, o ex-zagueiro coral esteve no Brasil visitando as categorias de base do Fluminense/RJ, parceiro da equipe finlandesa. Manso é mais um que bebeu a água da Barra do Ceará e ganhou o mundo, fruto do seu esforço, competência e dedicação.