EX-ZAGUEIRO CORAL NOS ANOS 1970 FALECEU DURANTE A SEMANA

Mesmo aposentado dos gramados, Félix nunca deixou de ser zagueiro jogando entre os amigos

Faleceu Félix, ex-zagueiro do Ferroviário entre 1975 e 1978. Cria das categorias de base do próprio clube, Francisco de Assis Félix da Silva participou de 27 partidas pelo time profissional do Ferrão em toda a história. Sua primeira partida pelo time principal aconteceu em 31/08/1975, justamente na estreia coral no Torneio Bayma Kerth, competição idealizada pela Federação Cearense para ocupar o calendário dos times que não participavam do campeonato nacional naquela temporada. O Ferrão foi o campeão da competição e Félix participou de 3 partidas na campanha. O ex-zagueiro coral fez apenas um jogo oficial pelo campeonato cearense com a camisa coral. Foi no dia 25/09/1977, no Castelão, na derrota por 2×0 para o Guarani de Juazeiro, quando fez dupla de zaga com Júlio Araújo. Na ocasião, o Ferrão entrou com um time misto já que os titulares estavam em excursão para amistosos no Maranhão. Aquela derrota coral derrubou milhares de apostadores do teste 388 da Loteria Esportiva. Félix ainda conquistou, com a camisa coral, a Taça Waldemar Alcântara em 1978. Jogou também no Tiradentes e no Icasa, além de ser conhecido no futebol suburbano, onde atuou no Valença, Noturno e no Milan. Ultimamente, o ex-zagueiro lutava contra a depressão.

REENCONTRO DE AMIGOS QUE CONQUISTARAM UM TÍTULO

1555502_757861877631300_1468204235156687922_n

Apresentador Sebastião Belmino acompanhou o reencontro da dupla Erandy e Wilkson

Wilkson e Erandy foram dois soldados do Ferroviário em 1975. Eram velhos companheiros desde os tempos de Fortaleza e, na Barra, o primeiro foi zagueiro da melhor qualidade e o segundo foi atacante dos bons. Não satisfeitos com suas posições dentro de campo, fora dele Wilkson era o preparador físico e Erandy era o treinador do time. O acúmulo de funções se tratava de um esforço para resgatar a credibilidade do time coral, um tanto quanto desmoralizada com sucessivos vexames na primeira metade da década de 70. Juntos, dentro e fora de campo, conquistaram no final daquela temporada um campeonato para o Ferrão: a Taça Bayma Kerth, uma espécie de Taça Fares Lopes da época, que foi bastante festejada pela torcida coral, afinal título é título.

Nos 10 jogos da competição disputada há quase 40 anos, Erandy atuou em todos e marcou 7 gols. Wilkson fez 1 gol nas 8 partidas que esteve em campo. Pois é, o treinador foi o artilheiro da equipe! Semana passada, Erandy esteve em Fortaleza. Deixou a bela cidade de Natal, onde reside, para ser homenageado na Arena Castelão ao lado de outros ícones do futebol cearense. Em sua passagem pela cidade, mais um reencontro com seu companheiro Wilkson para relembrar os velhos tempos. Dois nomes que deram importante contribuição ao Ferrão no momento que o clube mais precisava. Eram anos de vacas magras, porém um tempo de muito esforço, acúmulo de funções e um título que, por dever de justiça, terá sempre uma grande parcela de colaboração da dupla.

1975_bayma

Os campeões pelo Ferroviário em 1975

A foto histórica de 1975 registra Wilkson e Erandy no time coral ladeados em sua maioria por jogadores jovens egressos das categorias de base. Em pé: Carlito, Vicente, César, Wilkson, Pedrinho e Arimatéia. Agachados: Vanderley, Brígido, Erandy, Danilo Baratinha e Almir. Jogadores que entraram para história do Ferrão por terem conseguido dar a alegria de um título à torcida coral.