ATUAL TREINADOR CORAL MARCOU 3 GOLS EM CLÁSSICOS DE 1998

Essa é pra quem tem memória curta ou não viveu o período. Rômulo Silva, o atual treinador coral na Taça Fares Lopes, foi o artilheiro do campeonato cearense de 1998 com 15 gols vestindo a camisa do Ferroviário. O Almanaque do Ferrão presta uma homenagem ao nosso técnico recuperando as imagens de um clássico contra o Fortaleza, realizado no dia 3 de maio daquele ano, quando o então camisa 9 coral marcou os 3 gols do Tubarão da Barra na importante vitória por 3×2. Registre-se que no jogo anterior entre ambos, dois meses antes, Rômulo já havia alcançado o feito de marcar 3 gols no clássico das cores. Os lances do vídeo acima apresentam o jogo 2.756 da nossa história. Recém saído da base do Ceará, foi o Ferroviário que deu a primeira oportunidade na carreira de Rômulo como jogador. Que o brilho e os gols daquele promissor artilheiro no já longínquo ano de 1998, possam refletir na atual temporada em sua primeira experiência como técnico de futebol, mais uma porta aberta pelo Ferrão em sua carreira.

EX-ARTILHEIROS CORAIS ESTÃO DE VOLTA AO DIA A DIA DO FERROVIÁRIO

fac-winsports

Mazinho Loyola, de branco, e Robério, de vermelho, voltam ao Ferrão no comando da base

A boa nova chegou na semana passada. O Ferroviário tem nova diretoria e trouxe antigos ídolos e artilheiros para o início de um novo ciclo. Com o vereador Carlos Mesquita na presidência, cargo exercido por ele próprio no biênio 98-99, a nova direção aposta na identificação que nomes como Rômulo, Robério e Mazinho Loyola têm com o clube. Os três foram exímios goleadores vestindo a camisa coral. Em comum, tiveram a primeira chance no futebol profissional jogando com o uniforme do Ferrão. Ganharam o mundo e retornaram para o ninho quando penduraram as chuteiras. Agora, os três personificam a esperança de dias melhores para o Tubarão da Barra.

mazinhocampeao

Mazinho Loyola no Ferrão em 1988

Mazinho Loyola é cria do próprio Ferroviário. Conquistou títulos nas categorias de base nos anos 80 e surgiu como um meteoro brilhante na campanha inesquecível do título estadual de 1988. Foi negociado no final da temporada para o São Paulo e, depois, vestiu as camisas de times consagrados como Corinthians/SP e Internacional/RS. Parou de jogar futebol no próprio Ferroviário, em 2004, na Série C do campeonato brasileiro. Por sua vez, Robério foi bicampeão coral em 1995, ano em que também foi o artilheiro do campeonato. Foi negociado no ano seguinte com o Goiás/GO. Posteriormente, atuou na Malásia, onde é ídolo. A dupla Robério e Mazinho são os principais nomes da Win Sports, empresa que assumiu as categorias de base do Ferrão. Espera-se que na mão de dois excelentes ex-jogadores, o clube possa voltar a revelar grandes artilheiros.

ferrao-176-2502

Rômulo no Ferrão em 2011

Já o ex-atacante Rômulo, artilheiro do campeonato cearense de 1998 pelo Ferroviário, está de volta ao clube, dessa vez na função de técnico do time profissional que disputará a Taça Fares Lopes, competição estadual de segundo semestre que dá ao time campeão uma vaga na Copa do Brasil do ano seguinte. Foi o Tubarão da Barra que ofereceu a primeira grande oportunidade a Rômulo como atleta. Sem vez no elenco do Ceará em 98, clube que o formou, o atleta foi convidado pelo próprio presidente Carlos Mesquita a defender as cores corais. Deu certo, Rômulo foi artilheiro e depois jogou no exterior e em times importantes do futebol brasileiro. Em 2011, voltou a defender a camisa coral no campeonato cearense antes de largar a vida de jogador. Agora, 17 anos depois, o mesmo presidente coloca nas mãos de Rômulo uma nova oportunidade, a de treinador do Ferroviário. Que os velhos nomes corais, agora de volta a Barra do Ceará, resgatem a alegria e o sucesso de suas épocas. A torcida coral certamente agradecerá.

EX-CAPITÃO É TRICAMPEÃO DO CONCURSO COMIDA DI BUTECO

gaucho01-Guito-Moreto_1

Solimar Rossini, sua esposa Silvana e grande equipe: tricampeões do Comida di Buteco

O que fazer quando pendurar as chuteiras é sempre um grande dilema para os jogadores de futebol. Não foi diferente com o volante Solimar Rossini, capitão do Ferroviário que foi vice-campeão cearense em 1998. Longe dos gramados, tentou a vida no ramo de confecções e depois teve a ideia de colocar um estabelecimento de comida de raiz. Agora, segue colecionando outros tipos de títulos. Pelo terceiro ano consecutivo, seu restaurante ´Tronco do Gaúcho` faturou o nacionalmente conhecido prêmio ´Comida di Buteco`. O anúncio foi feito no último dia 25 em cerimônia realizada no restaurante Estoril, no bucólico bairro da Praia de Iracema, em Fortaleza. Sempre educados e solícitos, Solimar e sua equipe estão de parabéns!

1998_solimar

Solimar no Ferroviário vice-campeão em 1998

O gaúcho Solimar chegou em 1996 para o futebol cearense. Depois de passagens vitoriosas por Ceará e Fortaleza, assinou contrato com o Ferroviário em 1998 e foi um dos principais atletas do elenco vice-campeão cearense, ao lado de nomes como Rômulo e Marquinhos Pernambuco, atacantes da equipe treinada no período por Argeu dos Santos. Experiente e líder nato, Solimar era o capitão do time e desempenhou papel preponderante para o bom desempenho do Ferroviário no certame estadual, fazendo 27 partidas na temporada entre jogos oficiais e amistosos. Dois anos depois, voltou a Barra do Ceará para o campeonato cearense de 2000 e ficou apenas 9 partidas, pois pediu rescisão de contrato ao perceber um ambiente deteriorado pela má gestão e inapropriado para um time de futebol, que culminou com o Tubarão da Barra se salvando do rebaixamento apenas na última partida do campeonato contra o Crato.

8b06561eadd8c94645459a964b223fac

Solimar é premiado no concurso Comida di Buteco

Mesmo distante dos gramados há mais de uma década, Solimar ainda respira futebol. O `Tronco do Gaúcho` é frequentado por profissionais da área, jornalistas, desportistas e torcedores de todos os times. Entre 2012 e 2013, Solimar acompanhou de perto e foi um dos principais incentivadores do projeto que tentou reestruturar o Ferroviário naquela oportunidade, indo inclusive sempre aos jogos torcer pela equipe e pelos profissionais que trabalhavam no clube. Agora, em 2015, o ex-capitão coral ostenta seu tricampeonato na gastronomia para alegria de seus amigos e degustadores da boa e tradicional comida de raiz.