IMAGENS DA CONCENTRAÇÃO DO FERRÃO ANTES DE DECISÃO EM 1994

O vídeo acima é uma raridade. Trata-se de uma matéria da TV Verdes Mares em abril de 1994. Nela, a repórter Carla Soraya fazia a cobertura da concentração do Ferroviário na Vila Olímpica Elzir Cabral, antes de uma partida decisiva contra o Itapipoca que valia o título do 1º turno do campeonato cearense. Confira as imagens e recorde o lateral direito Caetano e o meia Eron em entrevista descontraída com o atacante Reginaldo, um dos destaques do título estadual naquela temporada, dando uma de repórter. É possível ver também imagens do lateral esquerdo Branco, do meia Basílio, do goleiro Dênis e do massagista Mudo durante a cobertura da televisão. São mais de duas décadas desde a veiculação da matéria, mas o Almanaque do Ferrão reprisa pra você. Aproveite.

FERRÃO VOLTOU A ENFRENTAR O IGUATU APÓS QUASE 20 ANOS

Veja os gols acima. Apesar da indefectível camisa laranja, é o Ferroviário em campo. Depois do uniforme dourado em 2015, o time coral voltou a inovar e estreou ontem o novo terceiro uniforme. Pelo menos esse ano, podemos chamar o Ferrão de ´Laranja Coral`. Porém, o mais importante foi a terceira vitória em quatro partidas já disputadas pela segunda divisão do campeonato cearense, um passo importante no objetivo maior que é voltar à divisão de elite local. E depois de quase 20 anos, o Tubarão da Barra reencontrou o Iguatu, que andou meio sumido, extinto, fundado novamente e retornou à prática do futebol profissional há apenas seis anos. Foi no campeonato estadual de 1997 que as duas equipes se enfrentaram pela primeira vez, no dia 9 de março, no estádio Morenão em Iguatu. Depois, um novo confronto em 26 de junho daquele ano, no PV. 0x0 no primeiro jogo e vitória coral por 3×1 na segunda partida, gols dos conhecidos Reginaldo, Santos e Dino. Ontem, os talentosos Valdeci e Roney marcaram gols e entraram para a galeria dos confrontos entre Ferrão e Iguatu, naquele que foi apenas o terceiro jogo da história entre os dois times. Uma excelente vitória, sem dúvida. E viva a Laranja Coral.

PERSONAGENS DA GRANDE FINAL E SUAS MEMÓRIAS DO BICAMPEONATO

Ainda na comemoração dos 20 anos do bicampeonato 94/95, a TVDN divulgou ontem uma matéria envolvendo personagens corais presentes no dia da grande final contra o Icasa. Confira acima o brilhante trabalho dos jornalistas Irailton Menezes e Ivan Bezerra, que ousaram em sincronizar passado e presente de uma forma muito emocionante. Entre os participantes estão o veloz atacante Reginaldo, o artilheiro Robério e o lateral esquerdo João Marcelo, que retornaram ao Estádio Presidente Vargas para recordar suas lembranças da memorável tarde de 10 de dezembro de 1995, um dia que a cidade de Fortaleza parou para admirar a alegria contagiante dos torcedores corais pelas ruas.

Ferrão 1995 Bi

Em pé: Nasa, Jorge Luis, Batista, João Marcelo, Santos, Alencar, Ricardo Lima e Roberval; Agachados: Hilton, Piti, Robério, Biriba, Acássio, Paulo Adriano, Branco e Reginaldo.

Além dos três jogadores homenageados no vídeo, o Almanaque do Ferrão reforça também a importância de todo o elenco. Foram 32 jogadores que vestiram pelo menos uma vez a camisa coral naquela brilhante campanha. Para sempre lembrados e reverenciados na história coral: os goleiros Jorge Luiz, Roberval e Miguel; os laterais Biriba, Nasa, Alex, Branco e Márcio Sales; os zagueiros Batista, Santos, Aldo e Alencar; os volantes Paulo Adriano, Ricardo Lima, Vágner e Neném; os meias Acássio, Borges, Basílio, Esquerdinha, Hilton e Melo; e os atacantes Piti, Toninho, Chico Pita, Somar, Wilson, Magno e Sandro. E Dá-lhe Peixe, como costumava-se gritar naquela época.

RELEMBRE UM JOGO NOTURNO NA BARRA CONTRA TIME JÁ EXTINTO

barra

Foto panorâmica do estádio particular do Ferroviário Atlético Clube em dia de jogo noturno

Brevemente o Ferroviário deverá mandar novamente seus jogos oficiais no Estádio Elzir Cabral. A última vez que isso ocorreu foi em 28/8/2012, contra o Icasa, pela Taça Fares Lopes. Desde que utilizou seu estádio particular pela primeira vez para disputa de amistosos, no longínquo ano de 1967, o Ferrão somente conseguiu aprontá-lo para competições importantes mais de duas décadas depois, exatamente no campeonato cearense de 1989, o que fez com que a década de 90 fosse recheada de bons confrontos oficiais naquela praça esportiva pelo estadual, campeonato brasileiro e até copa do nordeste. Em jogos disputados num gramado equiparado na época ao do Castelão, foram vários os que sofreram com o time coral dentro de seus domínios, especialmente naquela década de ouro onde Acássio, Robério, Reginaldo, etc, levavam a galera ao delírio.

Para ilustrar um jogo do Ferroviário nos anos 90, o Almanaque do Ferrão volta até o dia 21/5/98, numa partida válida pelo campeonato cearense daquele ano contra o extinto Esporte Limoeiro. O Tubarão venceu por 2×1 de virada e 1.640 pagantes vibraram com o resultado que classificava o time coral para o mata-mata decisivo do turno contra o Icasa. Naquela noite, o técnico Argeu dos Santos lançou Jorge Luiz, Chiquinho, Aldemir, Santos e Bertoldo; Solimar, Paulo Adriano, Acássio (Dino) e Marcelo; Marquinhos Pernambuco (Cantareli) e Rômulo. Acássio, Bertoldo e Guilherme anotaram os gols. Ao final do vídeo, confira o comentário do lendário jornalista cearense Alan Neto, que trabalhava no Sistema Jangadeiro de Televisão. E que os bons fluidos do Elzir Cabral dos anos 90 possam iluminar o Ferrão em sua volta pra casa para disputa de jogos oficiais.

GOLAÇO DE BATISTINHA COM NARRAÇÃO DE VILAR MARQUES

Se você perguntar para qualquer torcedor do Ferroviário qual o gol que ele mais vibrou em sua vida, certamente a maioria recordará o golaço de Batistinha, após lendária arrancada do volante Lima, que garantiu o título de campeão do 3° turno do Estadual de 1994. Era o último gol do Ferrão naquela competição. No fim de semana seguinte, após um 0x0 na final contra o próprio Ceará, o Tubarão da Barra sagrou-se campeão cearense com méritos. Hoje, 27 de novembro, o gol histórico do piauiense Batistinha completa exatamente 20 anos e o Almanaque do Ferrão oferece especialmente o vídeo daquela grande jogada acompanhado com a espetacular narração eternizada  por Vilar Marques, grande ícone do rádio esportivo cearense. É de emocionar qualquer torcedor.

Foi uma exibição de gala do Ferroviário, que venceu com Roberval, Nasa, Batista, Santos e Branco; Lima, Ricardo Lima e Acássio; Batistinha (Eron), Cícero Ramalho e Reginaldo (Basílio). O Ceará formou com Ivanóe, Rômulo (Elói), Airton, Vitor Hugo e Charles; Ivanildo, Ronaldo Salviano e Paulo César; Catatau (Mastrillo), Gerônimo e Sérgio Alves. O time coral fez o primeiro gol com Ricardo Lima ainda no 1° tempo. Depois, o Ceará, vice-campeão da Copa do Brasil naquela temporada, foi todo pressão e a defensiva do Ferrão salvava de todas as formas. Na etapa final, em rápido contra-ataque, Lima rouba a bola em seu campo de defesa e protagoniza uma das maiores jogadas do futebol cearense até hoje, passando para Reginaldo, que serviu para Batistinha matar o jogo e garantir a vantagem do empate na grande final.

No domingo seguinte, dia 4 de dezembro, o Ferrão garantia o título máximo do futebol alencarino e fazia uma festa inesquecível no gramado do Castelão. A conquista coral repercutiu bastante no cenário cearense e as rádios locais dedicaram grande parte da programação esportiva exaltando o ofensivo Ferroviário do treinador César Moraes com entrevistas, músicas e depoimentos emocionantes. O Almanaque do Ferrão preparou uma edição de 20 minutos desse material em áudio e disponibilizará para o torcedor coral na próxima semana em alusão aos 20 anos daquela conquista.

ARRANCADA PARA O BICAMPEONATO COMEÇAVA HÁ EXATOS 20 ANOS

Essa semana completa exatamente 20 anos que o Ferroviário venceu uma partida importantíssima pelo Campeonato Cearense de 1994, iniciando ali a trajetória vitoriosa que culminou com o título máximo daquela temporada e conquista do inédito bicampeonato no ano seguinte. Engana-se quem pensa que o ano vinha sendo fácil para o Tubarão da Barra. O time alternava boas e más apresentações, tendo num curto período de tempo José Maria Paiva, Humberto Maia e Edmundo Silveira no comando técnico à beira do campo, após a complicada saída do carioca José Dultra. Foi quando o Guri chegou em meados de setembro. Sim, ele, César Moraes, o melhor treinador da história do Ferrão, escolhido pelos torcedores na campanha ´Time dos Sonhos` realizada no ano passado.

Depois de bater o Guarany e empatar com o Fortaleza, a partida em questão contra o Ceará representou a primeira de duas vitórias do Guri em cima do alvinegro, no total de quatro partidas realizadas entre eles até a final do campeonato. O Ferrão não perdeu nenhuma. A vitória naquele jogo noturno foi crucial para dar moral ao grupo, numa partida que o Tubarão não contou com Nasa, Acássio, Basílio e Batistinha, todos em grande fase. Pra compensar, César Moraes lançou a juventude do lateral direito Alex, de 17 anos, e do endiabrado ponta Reginaldo, que só não fez chover e garantia ali a condição de titular no time do Guri até o fim do Estadual. O gol da vitória foi do folclórico Cícero Ramalho, um dos três artilheiros corais na temporada, em belo chute do meio da rua, desbancando o Ceará que era simplesmente o vice-campeão da Copa do Brasil de 94.

O Almanaque do Ferrão recupera abaixo as imagens do jogo da arrancada do título. Sem dúvida, uma grande oportunidade para rever bons momentos em campo do time que é apontado como um dos melhores da história coral e que naquele 26 de outubro formou com Roberval, Alex, Batista, Careca e Branco; Lima, Ricardo Lima e Eron (Esquerdinha); Cantareli, Cícero Ramalho (Edinho) e Reginaldo. A escalação do alvinegro e demais detalhes do embate, você pode conferir no jogo 2546 da história do Ferroviário disponibilizado na versão impressa do almanaque.