CONFIRA A BRILHANTE TRAJETÓRIA DO EX-GOLEIRO CAPOTINHO

Capotinho salta no Campo do Prado para fazer mais uma bela defesa em sua carreira no futebol

Ele nasceu em Belém do Pará, mas mudou-se para Fortaleza aos três meses de idade. Os torcedores mais antigos do Ferroviário certamente lembram de Capotinho, que atuou na meta coral em 51 partidas disputadas entre 1940 e 1941. Sua estreia no arco do Ferrão se deu em 25 de fevereiro de 1940, contra o Maguari. Oriundo do Penarol/CE, seu nome de batismo era Aldenor Nunes Freire. Ele era irmão do famoso goleiro Pintado e do meia esquerda Dudu, que também atuou pelo Ferroviário no início dos anos 1950. Quando deixou o futebol, Capotinho empreendeu uma brilhante trajetória na política e elegeu-se vereador pelo PTB em 1947, período em que chegou a ser presidente da Câmara Municipal de Fortaleza. Dez anos depois, Capotinho foi eleito Deputado Estadual. Nos anos 1970, nosso ex-goleiro fez parte do grupo político do governador Adauto Bezerra. Advogado de formação, Capotinho lançou livros e foi amigo de nomes como os ex-presidentes Getúlio Vargas e João Goulart. Em abril de 1995, quando atuava como assessor politico no governo de Tasso Jereissati, Aldenor Nunes Freire faleceu aos 77 anos de idade. Na memória do futebol cearense, Capotinho ficará sempre lembrado como um ótimo goleiro do Ferroviário Atlético Clube nos saudosos tempos do Esquadrão Colosso.

LEMBRETE: Participe da CAMPANHA DE FINANCIAMENTO COLETIVO até o dia 09/07/23 e garanta o seu exemplar da 2ª EDIÇÃO DO ALMANAQUE DO FERRÃO no seguinte endereço: apoia.se/almanaquedoferrao

FERRÃO É NOTA 10 PELA SEGUNDA VEZ EM SUA GLORIOSA HISTÓRIA

Não poderia ter sido mais empolgante a estreia do Ferroviário na segunda divisão do campeonato cearense no último domingo. O time coral massacrou o Campo Grande, de Juazeiro do Norte, pelo placar de 10×0. Foi apenas a segunda vez na história que o Ferrão marcou exatamente 10 gols numa partida oficial. A primeira aconteceu no longínquo ano de 1942, contra o extinto Penarol/CE, em jogo válido pelo 1º turno do campeonato cearense daquele ano, que terminou com um 10×1 no placar. Agora, 74 anos depois, foi a vez de Paulista, Rodrigo Pio, Valdeci e companhia entrarem pra história. Vale a pena conferir o vídeo acima com os gols da avalanche coral, devidamente eternizados para a posteridade como mais um resultado expressivo ao longo da trajetória do clube.

benedito

Benedito em 1943

Vale lembrar que outro placar avassalador verificado numa partida oficial aconteceu em 1943 e coincidentemente contou com 10 gols de diferença, contra o também extinto Fluminense/CE, na goleada coral por 11×1, válida pelo campeonato cearense. Eram os tempos de um Ferrão que tinha Mário Negrin, Marinho, Benedito, Caranguejo, Chiquinho, Chinês, etc. O ala esquerdo Benedito, no alto de seus 203 jogos com a camisa coral, participou tanto da goleada de 1942, quanto da histórica vitória anotada no ano seguinte. Além dele, o ala direito Marinho e os meias Chinês e Chiquinho também estavam presentes nos dois jogos. Cabe ainda destacar que placares como 10×0, 11×0, 12×0, 13×3 e até 14×0 já foram mais de uma dezena de vezes verificados em amistosos realizados pelo Ferroviário.