POR ONDE ANDA O ZAGUEIRO ADRIANO FORMADO NA BASE CORAL?

Ex-zagueiro Adriano, que defendeu o Ferrão entre 1991 e 1993, é técnico do Santa Cruz de Recife

Foram 28 jogos com a camisa do time profissional do Ferroviário entre 1991 e 1993. Formado nas categorias de base do próprio clube, ele era titular absoluto no jovem time coral que conquistou a maior façanha entre todas as equipes cearenses na disputa de uma competição nacional de base nos anos 1990. Chegou a ser chamado pra Seleção Brasileira principal no início de sua carreira e atuou também no futebol espanhol por várias temporadas. Estamos falando do zagueiro Adriano. Você sabe por onde ele anda? Pois saiba que ele está mais em evidência do que você imagina. Recentemente, sob o nome profissional de Adriano Teixeira, ele acabou sendo efetivado como treinador do Santa Cruz de Recife nas disputas da Série B do campeonato brasileiro de futebol.

Zagueiro Adriano, ao lado do goleiro Banana, firmou-se no Ferroviário na temporada de 1991

Adriano foi lançado no time principal do Ferrão, pela primeira vez, através do treinador Djalma Linhares. Profundo conhecedor da posição e campeão pelo Ferrão na temporada de 1988, Djalma confiou no jovem Adriano e o lançou como titular no dia 14/04/1991. O Tubarão da Barra fazia sua última partida pelo campeonato nacional daquele ano e atuava nesse dia contra o Parnaíba/PI, vencendo por 4×1, mesmo jogando nos domínios do adversário. Uma semana antes, Adriano acabara de completar 18 anos de idade. Dois meses depois, ele substituiu o zagueiro Aldo num clássico contra o Fortaleza e estreava no campeonato cearense em grande estilo com uma vitória por 3×0. Dali em diante, foram vários jogos como titular até a temporada de 1993, quando foi negociado com o Sport/PE.

Adriano no Santa Cruz de Recife

Além do Sport/PE, Adriano vestiu as camisas do Fluminense/RJ, Vasco/RJ e do próprio Santa Cruz/PE já no final de sua carreira. Na Espanha, defendeu o Celta de Vigo, o Compostela e o Leonesa. Em termos de conquista de títulos, foi  campeão pernambucano em 1994 e 1996, além da Copa do Nordeste, também em 1994, todos pelo Sport de Recife. No ano de 1995, defendendo a Seleção Brasileira Sub-20, Adriano conquistou o Torneio Internacional de Toulon. Após pendurar as chuteiras,o ex-zagueiro do Tubarão da Barra retornou ao Santa Cruz/PE, que o acolheu como auxiliar técnico e o promoveu recentemente, aos 44 anos de idade, ao posto de treinador de sua equipe profissional. Da geração de ótimos atletas formados pelo treinador Edmundo Silveira, entre eles o goleador Mário Jardel, Adriano foi mais uma cria coral que ganhou o mundo em sua carreira profissional e tem o respeito do torcedor do Ferroviário Atlético Clube.

FOTO RARA DO FERRÃO NO CAMPEONATO BRASILEIRO DE 1991

3mar1991

Ferroviário no Elzir Cabral em 1991 – Em pé: Jaime, Celso Gavião, Naldo, Valdecy, Guará e Toninho Barrote; Agachados: Magno, Basílio, Cacau, Ademir Patrício e Arnaldo.

A foto acima não é nada comum. Voltemos até 1991. Repare no patrocínio verde em cima das listras corais. Era da tradicional loja varejista ´A Esmeralda`, de propriedade do ex-presidente Moacir Pereira Lima. Nela, vê-se o vitorioso zagueiro Celso Gavião já no final de sua carreira, além dos experientes jogadores Valdecy, ex-Guarany de Sobral, e Ademir Patrício, ex-Ceará. Perceba também o goleiro piauiense Guará, irmão do também goleiro Jorge Luiz, bicampeão no Ferrão em 1995. Também do Piauí, mais precisamente do Tiradentes/PI, o ponta esquerda Arnaldo. Favor não confundir com o paulista Arnaldo, campeão em 1988 e que também chegou a jogar na temporada de 1991. O registro foi feito no Elzir Cabral, antes de um jogo contra o Parnaíba/PI pelo Campeonato Brasileiro.

EX-TREINADORES CORAIS FAZEM SUCESSO NA SÉRIE D NACIONAL

amapariver

Ríver: as mesmas cores do Ferroviário

Dois ex-treinadores do Ferroviário começaram a semana de um maneira bem sucedida. No último final de semana, eles conquistaram o acesso para a Série C brasileira comandando Ríver/PI e Botafogo/SP. Estamos falando de Flávio Araújo e Marcelo Veiga respectivamente. E não é a primeira vez que ambos conseguem tal feito em âmbito nacional. O primeiro já conseguiu subir de divisão com América/RN, Sampaio Corrêa/MA e Icasa/CE, enquanto que o segundo já foi até campeão brasileiro da Série C no comando do Bragantino/SP. Curiosamente, seus clubes atuais possuem as mesmas cores do Ferroviário. Mas você é capaz de lembrar da passagem deles pelo Ferrão?

marcelo_veiga

Marcelo Veiga: ex-jogador e ex-técnico coral

ídolo do Ferroviário como jogador na década de 80, Marcelo Veiga chegou para ser treinador no campeonato brasileiro de 2004. Foram 15 jogos entre junho e setembro daquele ano. O Ferroviário chegou na última rodada precisando de um empate contra o Parnaíba/PI, fora de casa, para passar para a 2ª fase da Série C, mas perdeu o jogo por 1×0 numa cobrança de falta e deu adeus à competição. Neófita e incompetente no futebol, a direção coral na época não renovou com Marcelo Veiga para a temporada seguinte, preferindo apostar no técnico local Alencar Mota para o campeonato cearense. Marcelo seguiu para o Bragantino com a promessa de fazer um trabalho de longo prazo e, três anos depois, na Série C de 2007, sagrava-se campeão brasileiro como técnico. Depois de dirigir equipes como Guarani de Campinas, Portuguesa/SP, Remo/PA e São Caetano/SP, esse ano ele começou um trabalho no Botafogo de Ribeirão Preto que culminou com mais um acesso nacional no currículo de Marcelo Veiga.

675a4fdf80f8e0f0ed34e8c093382527

Flávio Araújo foi treinador do Ferrão em 2002

Por sua vez, Flávio Araújo não chegou a jogar no Ferroviário como jogador profissional, mas passou pelas equipes infantis corais na década de 70. Foi volante do Ceará nos anos seguintes e começou a treinar o Icasa quando pendurou as chuteiras. Depois de treinar a dupla Fortaleza e Ceará, chegou para dirigir o Ferrão em 2002, entre março e agosto. Fez um bom trabalho e ajeitou a equipe coral no meio do campeonato cearense, porém sem chance de brigar por título em razão da limitação técnica do elenco. Foram ao todo 35 partidas no comando do Tubarão da Barra. Hoje, Flávio é um treinador requisitado no futebol nordestino e o acesso com o Ríver/PI é apenas mais um em sua carreira, ele que também já foi campeão brasileiro, na Série D, quando dirigia o Sampaio Corrêa em 2012.

Botafogo-de-SP-consegue-acesso-para-a-Série-C

Botafogo: as mesmas cores do Ferroviário

Um dos dois ex-corais pode conquistar mais um título brasileiro na atual temporada. Seus times têm como adversários o Ypiranga/RS e o Remo/PA. Se passarem, podem se enfrentar numa grande final e comemorarem o grande momento vivido na atualidade. Voltando no tempo como atletas, em 1988, Flávio Araújo e Marcelo Veiga se enfrentaram dentro de campo apenas 3 vezes. O ex-lateral coral nunca perdeu para o ex-volante alvinegro, sendo 1 vitória e 2 empates naquela já distante temporada. Detalhes que só o Almanaque do Ferrão é capaz de lembrar.