ANIVERSÁRIO DO FERRÃO MERECE MATÉRIA DA RÁDIO BANDEIRANTES

Rádio Bandeirantes de São Paulo abriu espaço em 2008 para uma conversa sobre a história coral

Hoje, o Ferroviário Atlético Clube completa 85 anos de existência e o aniversário coral já rendeu algumas homenagens aqui no blog em anos anteriores, entre eles um documentário sobre o nosso fundador Valdemar Caracas. Agora, o Almanaque do Ferrão resgata uma entrevista em áudio, de dez anos atrás, envolvendo a história do Ferrão. Ela aconteceu em 2008 e manteve-se desconhecida da imensa maioria dos torcedores corais por ter sido veiculada apenas na Rádio Bandeirantes de São Paulo. Na época, a tradicional emissora paulista mantinha um programa diário noturno, denominado “Fanáticos por Futebol“, no qual o apresentador Marcelo Duarte conversava com pessoas relacionadas ao futebol espalhadas por todo o território brasileiro. Há dez anos, foi a vez na programação do autor do Almanaque do Ferrão, que estava ainda em fase de pesquisa. Somente cinco anos depois da matéria na rádio é que a mais importante publicação da história coral foi lançada em evento realizado em Fortaleza. Escute a entrevista abaixo e deleite-se com a narrativa de alguns momentos importantes da gloriosa história do Ferroviário. Feliz aniversário, Ferrão!

MAZINHO LOYOLA E SEU PRIMEIRO GOL NO COMEÇO DE NOVEMBRO

Mazinho Loyola em 1987

Já faz quase 30 anos que Mazinho Loyola marcou seu primeiro gol pelo time profissional do Ferroviário. Depois de se destacar na formação coral campeã cearense de juniores em 1987, ele começou a ser utilizado em partidas amistosas da equipe profissional comandada pelo treinador Erandy Pereira Montenegro. Exatamente na primeira vez que  foi lançado em uma partida oficial, Mazinho marcou seu primeiro gol pelo Ferrão. Pouca gente viu, pois o gol aconteceu longe da torcida coral, em São Luís, capital do Maranhão. Era o dia 1º de novembro, um domingo que consagrou, já em sua madrugada, o piloto Nelson Piquet como tricampeão mundial de Fórmula Um. Apenas 393 pagantes prestigiaram a vitória do Maranhão Atlético Clube por 3×1 em cima do Tubarão da Barra, jogo válido pela primeira fase do campeonato brasileiro de 1987, um dos mais controversos em todos os tempos com seus quadro módulos nas cores da bandeira brasileira. Era o jogo 2.201 da nossa história e Mazinho Loyola marcou o primeiro de seus 16 gols em 55 partidas.

Observe a escalação do Ferroviário naquele domingo: Wálter, Laércio, Arimatéia, Kléber e Edson; Zé Alberto, Mardoni (Osmar) e Wiltinho; Mardônio, Mazinho Loyola e Marcos Duque. O Maranhão, do técnico Garrinchinha, venceu com Juca Baleia, Serginho (Davi), João Luís, Eduardo e Neto; Batista, Tica e Daniel; Válter, Bacabau e Chiquinho (Vander). O jogo foi disputado no Nhozinho Santos, tradicional estádio da capital maranhense, e teve a arbitragem de Fernando de Castro. Três semanas depois, Mazinho Loyola voltou a marcar, dessa vez no PV, em jogo importante contra o América de Natal pela mesma competição. Um ano depois, após o título de campeão cearense de 1988, já estava jogando no São Paulo/SP. Mazinho Loyola rodou o mundo, defendeu clubes como o Internacional/RS, Corinthians/SP, Paraná/PR, Santa Cruz/PE, Avaí/SC e terminou sua carreira no próprio Ferroviário na temporada de 2004, quando disputou mais um campeonato brasileiro. Em 2013, Mazinho prestigiou o lançamento do Almanaque do Ferrão no Náutico Atlético Cearense. Há dois anos, ele participou de uma matéria produzida para a Internet falando sobre sua trajetória no futebol. Assista esse material abaixo e recorde um dos maiores ídolos da história do Ferroviário Atlético Clube.

TRÊS TÍTULOS INESQUECÍVEIS DENTRO DA MESMA PISCINA

Ruy do Ceará e José Rego Filho: três títulos estaduais históricos dentro da piscina

Apesar das fortes chuvas que caem há 4 dias em Fortaleza, o Almanaque do Ferrão publica uma foto bastante sugestiva para um domingo como hoje. Recentemente, dois dos maiores nomes da história coral curtiram um dia de sol no Náutico Atlético Cearense. Dentro da piscina, nada menos que 3 títulos estaduais conquistados diretamente para o Ferroviário. Um na função de presidente, o outro como diretor de futebol, uma dobradinha inesquecível para os torcedores e imprensa cearense: José Rego Filho e Ruy do Ceará, respectivamente. Os dois se conheceram ainda no colegial, fizeram juntos a faculdade de engenharia em Recife, foram vizinhos na vila dos engenheiros da RFFSA, gloriosa instituição federal da qual cada um foi superintendente em épocas distintas. No Ferroviário, conquistaram o título cearense invicto em 1968, depois de um tenebroso jejum de 16 anos, além do supercampeonato de 1970 e o improvável estadual de 1979. Em 1988, faziam parte do conselho deliberativo na época de mais um título cearense. Nomes eternos em qualquer página que tenha a missão de narrar a história coral.

ALMANAQUE DO FERRÃO ADERE À MODERNIDADE DAS MÍDIAS DIGITAIS

DSC04083222222222222

Versão impressa do Almanaque do Ferrão foi lançada em junho de 2013 no Náutico

Em alusão à comemoração do seu aniversário de 80 anos, o Ferroviário Atlético Clube passou a ser o primeiro e único time do futebol cearense a possuir oficialmente uma publicação trazendo toda a compilação de sua gloriosa história. O Almanaque do Ferrão, lançado em 25 de junho de 2013, traz a ficha técnica de todos os 3.449 jogos oficiais e amistosos disputados até então, além de informações dos 1.956 jogadores que vestiram a camisa coral, dezenas de fotos históricas, médias anuais de público, resumo das campanhas vitoriosas, dentre outras curiosidades relativas aos treinadores e presidentes, distribuídas no total de 596 páginas.

DSC04032

Ex-dirigentes, ex-jogadores e membros da crônica esportiva prestigiaram o evento

Prestigiado por ex-presidentes, cronistas esportivos, torcedores, desportistas locais, pesquisadores e atletas lendários do próprio Ferroviário, como Pacoti, Facó, Mazinho Loyola, dentre outros, o evento de lançamento da obra ocorreu no salão nobre do Náutico Atlético Cearense. A publicação foi um resultado de mais de vinte anos de pesquisas de resgate histórico coordenadas pelo autor Evandro Ferreira Gomes.Coube ao famoso jornalista paulista Celso Unzelte, da ESPN Brasil, escrever o prefácio do Almanaque do Ferrão. Precursor desse modelo de publicação no país, tendo editado anteriormente o “Almanaque do Corinthians” e o “Almanaque do Palmeiras”, Celso preparou um belo texto para introduzir a definitiva obra coral, que é motivo de orgulho para todos os desportistas do estado do Ceará e despertou o interesse dos torcedores do Ferroviário espalhados pelo Brasil afora.

Mais de um ano depois de lançada sua versão impressa, o Almanaque do Ferrão adere à modernidade das mídias digitais e ganha uma versão eletrônica em formato de blog para postagens periódicas, que irão destacar fatos, efemérides, estatísticas, ex-jogadores, fotos e vídeos raros que o tempo jamais será capaz de apagar, além de disponibilizar para venda a versão física da publicação, que assim fica acessível também para os amantes do futebol que acompanham esse trabalho através da Internet.