POR ONDE ANDA UM DOS MAIORES ARTILHEIROS DA HISTÓRIA CORAL?

Paulo César – o papagaio – no Barcelona

Ele já foi tema de postagem aqui no blog com direito a resgate de um vídeo raro mostrando 2 gols marcados pelo Ferrão em 1978 e de um áudio com narração de um gol em 1980. A partir de 1981, quando deixou a Barra do Ceará, o futebol cearense em geral nunca mais ouviu falar de um dos maiores artilheiros da história coral, simplesmente o quarto maior goleador do Tubarão da Barra em todos os tempos. O pernambucano Paulo César, também conhecido como ´papagaio`, atuou em 137 partidas e marcou 88 gols com a camisa coral. No ano que se despediu do Ferrão, foi atuar no Equador pela Liga de Quito, foi vice-campeão nacional, marcou 25 gols e levou sua equipe à Copa Libertadores. Foi logo contratado por uma equipe maior, o famoso Barcelona de Guayaquil, onde se tornou astro nas 3 temporadas seguintes, uma verdadeira lenda na história da equipe, marcando 6 gols em jogos da Libertadores e 55 gols no campeonato nacional de 1982 a 1984. Seus gols e o espírito guerreiro o fizeram ídolo do Barcelona, porém nunca foi campeão equatoriano. De fisionomia peculiar, ganhou logo o apelido de ´La Bruja´. Era a bruxa que assustava as defesas adversárias. Atuou profissionalmente até os 40 anos de idade e defendeu ainda o Filanbanco e o Deportivo Quevedo. Foi um ídolo coral que conquistou o Equador!

Matéria do Jornal O Povo, de agosto de 1978, destacando 5 gols de Paulo César na mesma partida

Apesar de brasileiro, Paulo César considera-se equatoriano. Foi o futebol equatoriano que o abraçou como ídolo, embora nesses anos todos nunca tenha sido esquecido pela torcida do Ferroviário, onde foi um gigante na conquista do título estadual de 1979. Curiosamente, seu nome não é Paulo César, mas até seus filhos o chamam assim. No documento de identidade, seu nome verdadeiro é João Evangelista Santiago Dino. Hoje, aos 64 anos de idade, continua sua vida no Equador, curte os netos, acompanha os jogos de futebol na televisão e, vez por outra, vai ao estádio conferir os jogos do Barcelona de Guayaquil. Como um dos maiores ídolos do clube, é sempre reverenciado pelos torcedores e homenageado pela direção da equipe. No final do ano passado, foi ovacionado pelo estádio em mais uma homenagem. O Almanaque do Ferrão achou o vídeo desse momento histórico para o Barcelona de Guayaquil e para o ex-goleador do Ferroviário Atlético Clube. Confira as imagens abaixo até o final e você verá o grande artilheiro Paulo César em sua fase ´vovô garoto`, super querido e eternamente lembrando pelos equatorianos, segurando a sua eterna camisa 9.

VOCÊ SABE POR ONDE ANDA O ATACANTE FELIPE KLEIN?

felipekleinblog

Felipe Klein, em 2010, durante sessão de fotos para a revista oficial do Ferroviário Atlético Clube

Lembra do Felipe Klein? Ele foi um dos destaques do Ferroviário no campeonato cearense de 2010. Foram 26 jogos e 11 gols marcados com a camisa coral naquela temporada. Oriundo do Internacional de Santa Maria/RS, o gaúcho garantiu a posição de titular no Tubarão da Barra e sua boa fase rendeu para ele a capa histórica da última edição da Expresso Coral, a revista oficial do clube publicada entre 2008 e 2010. Quem acompanhou recentemente os jogos eliminatórios da Taça Libertadores das Américas viu Felipe Klein em ação com a camisa do Atlético Cerro, tradicional equipe do futebol uruguaio com sede em Montevidéu. A equipe uruguaia foi despachada da competição pelo  Unión Espãnola, do Chile. Esta já é a sexta temporada temporada de Felipe Klein no futebol do Uruguai. Sempre que perguntado sobre sua passagem pelo Ferrão, o ex-atacante coral é breve na resposta: “Participei de um time muito bom, que montou um ótimo grupo de jogadores e ficou a frustração de não termos ido mais longe no campeonato. Guardo com muito carinho as lembranças de como fui tratado pela torcida coral e desejo sempre o sucesso do clube mesmo à distância“. Depois da eliminação na Libertadores, o time de Felipe Klein segue sua boa campanha no campeonato uruguaio. O Almanaque do Ferrão recorda abaixo um dos gols do jogador gaúcho com a camisa coral, marcado no estádio Moraisão, em Maranguape, contra o time da casa.