PRIMEIRO JOGO NO CASTELÃO NESSE SÉCULO CONTRA O MARANGUAPE

Ferroviário Atlético Clube em 2002. Em pé: Clytts Jones, Adriano Cearense, Dino, Kélson, Lopes e Zezinho. Agachados: Junior Cearense, Arildo, Guedinho, Édio, João Marcelo e Danilo

Esse foi o time que entrou em campo no Castelão, no dia 6 de julho de 2002, para enfrentar o Maranguape pelo 3º turno do campeonato cearense daquele ano. O jogo terminou 4×3 para o Tubarão da Barra e marcou o retorno do time coral ao principal estádio da capital cearense, depois de dois anos em completa reforma. Mais que isso, aquela partida foi a primeira do Ferroviário Atlético Clube no Castelão no Século XXI. O time era treinado pelo emergente Flávio Araújo e formou naquele dia com Zezinho, Arildo, Dino, Lopes e João Marcelo; Édio, Adriano Cearense, Junior Cearense e Danilo; Kélson (Marcos Roberto) e Guedinho. O Maranguape, do técnico Argeu dos Santos, perdeu com Samuel, Isaac, Robson, Leilson e Sérgio; Claudeci, Pantera, Maradona e Reginaldo França; Nozinho e Anderson (Wislei). Almeida Filho foi o árbitro do jogo. No ano seguinte, a base dessa equipe sagrou-se vice campeã estadual. João Marcelo, lateral esquerdo da formação bicampeã cearense em 1995, retornou para o time coral nessa temporada e fez boas partidas. O rápido Guedinho era o xodó da torcida e, no alto de seus 68 gols marcados com a camisa do Ferrão, é até hoje o nono maior artilheiro da nossa história. Já o atacante Kélson, ainda no início de carreira, era filho do ex-zagueiro Israel, que jogou no Ferroviário entre 1983 e 1984. Quando jogava no Brasil de Pelotas, já em 2009, Kélson estava no ônibus que sofreu um grave acidente no interior gaúcho e vitimou três membros da delegação, entre eles dois jogadores que enfrentaram o próprio Ferrão em jogos válidos pelo campeonato brasileiro de 2006. 

PERSONAGENS DA GRANDE FINAL E SUAS MEMÓRIAS DO BICAMPEONATO

Ainda na comemoração dos 20 anos do bicampeonato 94/95, a TVDN divulgou ontem uma matéria envolvendo personagens corais presentes no dia da grande final contra o Icasa. Confira acima o brilhante trabalho dos jornalistas Irailton Menezes e Ivan Bezerra, que ousaram em sincronizar passado e presente de uma forma muito emocionante. Entre os participantes estão o veloz atacante Reginaldo, o artilheiro Robério e o lateral esquerdo João Marcelo, que retornaram ao Estádio Presidente Vargas para recordar suas lembranças da memorável tarde de 10 de dezembro de 1995, um dia que a cidade de Fortaleza parou para admirar a alegria contagiante dos torcedores corais pelas ruas.

Ferrão 1995 Bi

Em pé: Nasa, Jorge Luis, Batista, João Marcelo, Santos, Alencar, Ricardo Lima e Roberval; Agachados: Hilton, Piti, Robério, Biriba, Acássio, Paulo Adriano, Branco e Reginaldo.

Além dos três jogadores homenageados no vídeo, o Almanaque do Ferrão reforça também a importância de todo o elenco. Foram 32 jogadores que vestiram pelo menos uma vez a camisa coral naquela brilhante campanha. Para sempre lembrados e reverenciados na história coral: os goleiros Jorge Luiz, Roberval e Miguel; os laterais Biriba, Nasa, Alex, Branco e Márcio Sales; os zagueiros Batista, Santos, Aldo e Alencar; os volantes Paulo Adriano, Ricardo Lima, Vágner e Neném; os meias Acássio, Borges, Basílio, Esquerdinha, Hilton e Melo; e os atacantes Piti, Toninho, Chico Pita, Somar, Wilson, Magno e Sandro. E Dá-lhe Peixe, como costumava-se gritar naquela época.