COMO A VIDA SEGUIU PARA O ELENCO CORAL DA TEMPORADA DE 2013

Fernando Junior, Kleyton, Cleylton, Anderson Borges, Lima, Giancarlo e Caíque; Foguinho, Maico Motta, Tinga, Everton, Sami, Luisinho, Leandro Sobral, Romário, Bruno e Márcio.

O time do Ferroviário em 2013 foi certamente o último a dar alguma alegria à torcida coral na primeira divisão do campeonato cearense. Por muito pouco a equipe coral não conseguiu uma vaga para a Copa do Brasil ao brilhar no 1º turno da competição mesmo com a menor folha de pagamento entre todos os participantes, mas tendo que amargar uma queda brusca de produção no 2º turno em razão de uma série de situações, entre elas a perda de foco de alguns atletas, a saída do treinador Gilson Maciel e o elenco reduzido de opções, formado basicamente por uma equipe Sub-20, em razão de uma política orçamentária seguida à risca com limites e restrições. Daquele elenco, alguns já pararam até de jogar futebol, outros estão bem em plena atividade, inclusive atuando no futebol do exterior. Você lembra da escalação do time base naquele início de temporada? Fernando Junior, Everton, Cleylton, Lima e Tinga; Vágno Pereira, Foguinho, Leandro Sobral e Kleyton; Ted e Giancarlo. Por onde andam os principais atletas daquele elenco?

Goleiro Fernando Júnior hoje defende o Benfica Luanda no campeonato angolano de futebol

Depois de uma passagem pelo Boa Esporte/MG no ano passado, o goleiro Fernando Júnior hoje é titular do Benfica Luanda, uma das principais equipes do campeonato angolano – o famoso Girabola – que está em plena disputa. Morar em Angola é mais uma experiência na carreira do ex-arqueiro coral, que está atualmente com 26 anos. Por outro lado, alguns atletas daquele elenco já penduraram as chuteiras. O lateral esquerdo Tinga, ex-Cruzeiro/RS, se aposentou há dois anos, assim como o meia Maico Motta, que mesmo jovem, preferiu trocar o futebol e apostar na carreira de educador físico.

Kleyton no futebol inglês

Tem até jogador daquele elenco que hoje atua no futebol inglês, é mole? Seguindo os passos do desbravador Mirandinha, cria coral, que abriu as portas do futebol  britânico para o jogador brasileiro em 1987, o meia gaúcho Kleyton está atualmente na pré-temporada do Whitehawk, da segunda divisão da Inglaterra, morando na bela cidade costeira de Brighton. Já o meio campista Leandro Sobral, um dos destaques daquela equipe de 2013, sagrou-se campeão paraibano recentemente pelo Campinense/PB e disputa atualmente a Série D do campeonato brasileiro. Outro que joga a mesma competição é o ex-zagueiro coral Cleylton, adquirido por 120 mil reais pelo Grêmio/RS no final daquela temporada, e que hoje defende as cores do São Paulo/RS.

Everton hoje é titular do América de Natal

Quem está bem em sua nova equipe é o lateral direito Everton, escolhido o melhor da posição no campeonato cearense de 2013. Depois de se destacar recentemente no Guarani de Juazeiro, onde foi eleito novamente o melhor do Estadual, o atleta acertou contrato com o América de Natal, onde é titular desde o mês de maio e disputa atualmente o campeonato brasileiro da Série C. Por outro lado, o goleiro reserva Caíque largou o futebol profissional e trabalha atualmente com Futsal, tento passado inclusive uma período disputando competições na França. Os zagueiros Lima e Anderson Borges, crias da base coral, também penduraram as chuteiras diante da incerteza que é a profissão de jogador de futebol no Brasil, com cada vez menos clubes em atividade por longos períodos durante a temporada, talvez a maior aberração de um futebol falido, envolto à escândalos, que consegue perder por 7×1 em partida de Copa do Mundo.

Zagueiro Cleylton no São Paulo gaúcho

O artilheiro Giancarlo é outro que sofre com a limitação de times em atividade. Ele esteve, esse ano, no Glória de Vacaria, onde disputou o campeonato gaúcho, porém retornou para sua cidade no Mato Grosso do Sul a espera de novos convites. Seu companheiro de ataque, o maranhense Ted, chegou a vestir a camisa do Remo/PA. Por outro lado, o meia Sami, que atuou várias partidas em 2013, esteve ano passado no Flamengo do Piauí, e recentemente disputou o campeonato carioca da segunda divisão pelo Itaboraí/RJ, que certamente conseguiria o acesso para a divisão de elite, porém o campeonato caiu nas barras da justiça em razão de eventuais combinações de resultados envolvendo o Americano/RJ. Alguma semelhança com a Série B cearense? O volante Foguinho defende atualmente o Aparecidense/GO na Série D brasileira, já o baixinho Vágno Pereira retornou para o interior do Maranhão. As crias corais Márcio e Luisinho esperam clube para continuar suas carreiras. Por sua vez, o atacante reserva Romário cansou de esperar e largou o futebol. Lembra do atacante Índio, contratado na reta final do campeonato cearense de 2013 e que marcou um golaço no jogo contra o Tiradentes, em Horizonte? Ele defendeu recentemente o Costa Rica/MS, na primeira divisão do futebol do Mato Grosso do Sul. Basicamente, eis o destino dos principais atletas naquele ano. E a vida continua seguindo para todos daquele bom time.

FERROVIÁRIO ENCERRA O ANO COM 3.534 PARTIDAS EM SUA HISTÓRIA

fac-iradentes-1

Time em um dos jogos da Taça Fares Lopes 2015. Em pé: Dionantan, Rodrigo Vitor, Giancarlo, Erandir, Airton Júnior e Marcelo Alves; Agachados: Mateus, Ivonaldo, Amaral, Maxuell e Teles

À exemplo do que ocorreu no ano passado, a desclassificação do Ferroviário na Taça Fares Lopes encerrou a temporada futebolística para o time coral. Porém, diferente da edição de 2014, quando saiu aplaudido por 1.340 pagantes no PV, mesmo eliminado pelo Icasa, a sensação desse ano foi de frustração, silêncio de alguns e vaia de outros entre os apenas 490 torcedores que pagaram ingresso no mata-mata contra o Guarani-J, na semana passada. Novamente o PV foi palco de uma lamentável debacle coral, que vencia por 3×0 até os 27 minutos do 2º tempo e, inexplicavelmente, cedeu o empate. O resultado classificou o adversário.

DSC_0672 cópia

Derrota inexplicável para o Pacatuba

Repetindo 2010, 2011, 2012 e 2013, o Ferroviário caiu nas quartas de final em 2015, não conseguindo repetir a campanha de 2014 – a melhor da história – quando mesmo com um time modesto chegou à semifinal da competição que vale vaga na Copa do Brasil do ano seguinte. Nesse ano, com jogadores calejados no elenco, porém de forma física duvidosa, veio a decepção, com o Ferrão não conseguindo vencer nenhum dos adversários que disputaram a Taça Fares Lopes com seus times profissionais, derrotando apenas Ceará e Fortaleza, que entraram na competição com suas equipes Sub-20. De quebra, um revés negativo de 3×0 para o modesto Pacatuba, da terceira divisão cearense. Mais um ano para ser esquecido.

giancarlo2015

Giancarlo versão 2015

São 82 anos de existência. São 3.534 jogos alcançados nesse período. Mas também já são 20 anos sem títulos, o maior jejum do clube. Em 2015, a média de público de 559 pagantes é a segunda pior da história, à frente apenas da assustadora marca de 320 pagantes verificada no ano 2000. Repetindo estratégias de anos passados, remontando a antigas práticas dos anos 70, inclusive repetindo o velho e batido chavão ´Novo Ferrão`, implementado antigamente por tantas outras diretorias e agora retomado na era das redes sociais, nada disso parece ter tido efeito junto à torcida coral. De positivo, o retorno do atacante Giancarlo, artilheiro do campeonato cearense de 2013 e um especialista em botar a bola pra dentro, certamente candidato à ídolo caso tivesse uma sequência maior de partidas em uma onzena competitiva. O vídeo abaixo traz o último jogo do Ferrão em 2015, quando Giancarlo deixou sua marca duas vezes, de cabeça, ainda no 1º tempo. Pena que veio o 2º tempo e a classificação escapou.

QUANDO DOIS JOGADORES CORAIS BRILHARAM COMO LEWANDOWSKI

10410638_772162276239196_4827556809780304002_n

Giancarlo: 5 gols em 2013

O polonês Robert Lewandowski foi o assunto da semana por ter marcado incríveis 5 gols numa mesma partida. Mais que isso, os 5 gols saíram exatamente em apenas 9 minutos do jogo em que o seu time, o Bayern de Munique, massacrou o Wolfsburg pelo campeonato alemão de futebol. O placar final apontou 5×1 e o famoso atacante saiu ovacionado pelo feito, o que convenhamos, não é uma coisa fácil de se ver atualmente. Trazendo o fato para o contexto do Ferroviário, apenas dois jogadores conseguiram algo semelhante em partidas oficiais: os atacantes Paulo César e Giancarlo, nas edições do campeonato cearense de 1978 e 2013, respectivamente. Tudo bem que Pacoti, em 1957, Lucinho, em 1968, Mirandinha, em 1977, e Ramon, em 1984, conseguiram feitos semelhantes, mas ocorreram em amistosos contra adversários menos relevantes.

1978_1622

Matéria do Caderno 2 do jornal O Povo retratando os 5 gols do centroavante Paulo César

No dia 27/8/1978, o atacante Paulo César – o famoso papagaio – foi o primeiro coral a marcar 5 gols numa partida oficial. O fato aconteceu no PV num dia de domingo, contra o Calouros do Ar. Dois gols foram assinalados em cobrança de pênalti. Depois disso, precisou de quase 35 anos para o centroavante Giancarlo repetir o feito. Ele foi notícia no Brasil inteiro no dia 27/2/2013 ao marcar 5 gols na vitória coral de 7×2 em cima do São Benedito, um deles de pênalti, como você pode recordar no vídeo abaixo que eterniza os principais lances da partida. Os dois corais viveram um dia de Lewandowski, como se vê. Ou melhor, essa semana o polonês viveu um dia de Paulo César e Giancarlo, para ser mais preciso com a cronologia dos fatos. Aliás, o Ferroviário já chegou a vencer uma partida com 5 gols em apenas 9 minutos, mas isso aí é outro assunto e qualquer dia o Almanaque do Ferrão recupera essa história para o torcedor coral.

ARTILHEIRO DO FERRÃO EM 2013 DEFENDE AGORA O MACAÉ/RJ

macae_x_atletico_de_itapemirim_04_-_foto_tiago_ferreira_1

Ex-atacante Giancarlo vai disputar o campeonato carioca e a Série B nacional pelo Macaé/RJ

Depois de ser artilheiro do campeonato cearense de 2013 com 19 gols vestindo a camisa do Ferroviário, o atacante Giancarlo defendeu o Vitória/BA, Treze/PB, São Caetano/SP e Santo André/SP. Na atual temporada, ele vestirá a camisa do Macaé/RJ, que subiu para a Série B do campeonato brasileiro e pertence a primeira divisão do ainda charmoso campeonato carioca. No sábado passado, Giancarlo mostrou logo suas credenciais e marcou 2 gols no amistoso de pré-temporada pelo seu novo clube contra o Atlético Itapemirim do Espírito do Santo. No próximo fim de semana, o Macaé enfrenta o Flamengo na largada do estadual carioca.

Antes de chegar para o Ferroviário no dia 27/11/2012, Giancarlo havia se destacado no futebol da região norte com a camisa do Espigão/RO. A indicação de uma fonte confiável em Rondônia definiu o interesse do Ferrão pelo atacante: “Aqui ele carregava o time nas costas com seus gols“, disse o interlocutor pelo celular. Na Barra, era chamado apenas de ´Gian` por seus companheiros. Sua boa fase em 2013 deu um pouco de alegria à torcida coral e o colocou nos anais do futebol cearense. Antes de Giancarlo, Mário Negrim (1943), Manuel de Ferro (47), Pacoti (57), Zé de Melo (58), Lula (75), Paulo César (79), Luizinho das Arábias (85), Cacau (89), Batistinha (94), Robério (95), Rômulo (98) e Maurício Pantera (2004) foram os artilheiros corais no Campeonato Cearense de Futebol.

Recorde abaixo o primeiro gol de Giancarlo pelo Ferrão no Estadual de 2013 diante de um público de aproximadamente 2400 pessoas no PV. Foi o da vitória por 1×0 contra o Crato, na estreia da competição, marcado aos 46 minutos do segundo tempo. A gravação é amadora, registrada pelo torcedor Tarso Marques da arquibancada, fato este que por si só torna o momento ainda mais emocionante para os que estavam no estádio e podem agora recordar aquele momento.

ESTREIAS NO DIA 5 DE JANEIRO NA HISTÓRIA DO FERROVIÁRIO

Ontem foi dia 5 de janeiro e esta data faz referência à estreia do Ferroviário em quatro diferentes edições do campeonato cearense ao longo dos anos, mais precisamente nos certames de 2003, 2008, 2013 e 2014. O Almanaque do Ferrão faz agora um breve resumo histórico de cada estreia e contextualiza o impacto comparativo do resultado da partida com o desfecho final do Tubarão na competição.

Ferrao2002_02

Derrota em 2003 e vice-campeonato no final

Em 2003, o Ferroviário montou um time modesto envolto às limitações financeiras de sempre, mas que acabou ficando com o vice-campeonato por ter sido o clube que mais pontuou entre todos os participantes, com exceção evidentemente do campeão Fortaleza, que arrebatou o título arrastão conquistando dois turnos. O resultado da estreia, entretanto, não foi nada animador: derrota para o Maranguape, em pleno PV, por 1×0, num time que jogou com Zezinho, Arildo, Marcos Aurélio, Puma e Marcelo Sabiá (Andrezinho); Édio, Cícero César, Cantareli (Gil Bala) e Júnior Cearense; Danilo (Renatinho) e Guedinho. Foram estes jogadores que garantiram ao Ferroviário o direito da última participação coral na Copa do Brasil, acontecida no ano seguinte, quando a equipe ainda tinha vaga cativa na Série C do Campeonato Brasileiro.

camisapreta

Estreia também da camisa preta em 2008

Outra estreia num 5 de janeiro ocorreu cinco anos depois, em 2008, no Elzir Cabral, 1×1 com o Itapipoca, numa partida que o time coral cometeu o deslize de inaugurar seu novo uniforme, na cor preta pela primeira vez na história, sob o sol desgastante de um sábado às 15h30. Os jogadores só aguentaram o primeiro tempo e voltaram de branco para a etapa final. O time formou com Marcelo Silva, Júnior Moura, Jaílson, Nemézio e Teles; Dedé, Stênio (Nilsinho), Mazinho e Júnior Ferreira (Guto); Danúbio (Leonardo) e Danilo Pitbull. A estreia nada convincente foi apenas um aperitivo para o que viria ao final da competição: pontuação baixa no Estadual mais importante dos últimos tempos, pois valia uma vaga para a Série C definitiva do Brasileirão, conquistada pelo Icasa, o que para o Ferroviário significou o rebaixamento sumário para jogar apenas a Série D nacional em caso de futuras classificações via campeonato cearense.

FERROVIRIO

Perfilados para o hino nacional na estreia de 2013

Em 2013, estreia com vitória em cima do Crato, por 1×0, no PV, com um gol do artilheiro Giancarlo nos acréscimos. Época de esperanças promovidas por uma diretoria renovada, uma equipe com média de 20,4 anos de idade e um projeto de gestão de futebol promissor com objetivos de médio e longo prazos, que valeram uma excelente primeira fase de competição apesar de gritantes limitações financeiras, quando por muito pouco a equipe não conquistou depois de 10 anos uma vaga para a Copa do Brasil. Ferrão com Fernando Júnior, Everton (Márcio), Cleylton, Anderson Borges (Kleyton) e Tinga; Lima, Maico Motta, Foguinho e Leandro; Luisinho (Romário) e Giancarlo.

imagesfac

Goleada com Iarley e ilusões em 2014

No ano passado, a queda, o rebaixamento para a segunda divisão cearense, apesar da impiedosa goleada na estreia, novamente contra o Crato, 7×2 no Castelão. Sem dúvida, um resultado que escamoteou uma péssima pré-temporada e a ruptura por completo de premissas básicas da gestão de futebol em relação ao que vinha sendo posto em prática na temporada anterior. Formado por Fernando Júnior, Mota, Júnior Carvalho, Regineldo e Everton; Vagno Pereira, Haron (Anderson Lourenço) e Jack Chan (Diego); Iarley (Adilton), Rafael e Igor Eloy, essa equipe deu falsas ilusões a um ótimo público presente no estádio, fechando a série de quatro estreias estaduais no dia 5 de janeiro no decorrer de oito décadas.