RECORDE OS GOLS DE UM DOS JOGOS MAIS EMOCIONANTES DE 2006

Recentemente a imprensa cearense recordou os 10 anos da última grande campanha do Ferrão no campeonato brasileiro, quando o time coral quase conseguiu o acesso para a Série B nacional. O Almanaque do Ferrão já recordou alguns jogos daquela campanha, inclusive a histórica vitória por 7×2 em cima do Bahia/BA. Porém, um jogo emocionante, que poucos trazem à memória, completa aniversário exatamente no dia de hoje. Estamos falando da partida contra o Ipatinga/MG, campeão mineiro de 2005, realizada no Estádio Presidente Vargas, na tarde de 26 de novembro de 2006. O jogo era duro e estava empatado em 1×1 até os 38 minutos do 2º tempo, quando o atacante Fernandinho, hoje no Flamengo/RJ, cobrou uma falta da intermediária e marcou um gol importantíssimo, pois somente a vitória interessava para o Ferroviário seguir com chances na última rodada da competição. Reveja acima dos gols daquele domingo especial para o torcedor coral.

Atacante Sérgio Alves, em foto do Jornal O Povo, comemorando mais um gol na Série C de 2006

O placar final apontou 3×1 para o Ferrão, já que Sérgio Alves, que já havia assinalado o primeiro gol, marcou ainda o terceiro, num pênalti inexistente mal marcado pelo árbitro Fernando Rogério Assis. Coube ao meia Everton marcar o único gol do Ipatinga naquela tarde. Ao final da partida, os 4.666 pagantes vibraram intensamente com a possibilidade de subir para a Série B, bastando para tal uma vitória em cima do Barueri/SP, na capital paulista, o que acabou não acontecendo três dias depois. Confira a escalação coral na histórica vitória contra o Ipatinga, no PV: Jéfferson, ,Marcos Pimentel, Nemézio, Robinho (Stênio) e Júnior Cearense; Marcelo Mendes, Dedé, Tales (Claudeci) e Everton (Cristiano); Fernandinho e Sérgio Alves. A equipe mineira, que logrou acesso para a Série B ao final do certame, perdeu com Rodrigo Posso, Márcio Gabriel, André, Matheus e Anderson; Léo Oliveira, Leandro Salino (Totó), Charles e Everton (Jessé); Joãozinho e Diego Silva (Cristian). Foi por pouco, o acesso não veio, mas ficou a grande campanha.

HÁ 9 ANOS QUEM ENFRENTAVA O BRASIL DE PELOTAS ERA O FERRÃO

Atualmente as atenções na cidade de Fortaleza estão voltadas para o mata-mata entre Fortaleza e Brasil de Pelotas pela Série C do campeonato brasileiro. Um dos dois conseguirá o tão sonhado acesso para a segunda divisão nacional. Em 2006, esse mesmo Brasil de Pelotas foi um dos adversários do Ferroviário Atlético Clube no octogonal decisivo da própria Série C. Os 4 primeiros colocados conseguiram o acesso. O Tubarão da Barra terminou na 5ª colocação na mais acirrada edição da terceira divisão em todos os retrospectos da competição. Foram duas partidas entre o time coral e o representante do interior gaúcho. Coincidentemente, uma vitória para cada lado pelo mesmo placar: 3×0. O Almanaque do Ferrão recorda abaixo os fatos de ambos os jogos, as duas únicas vezes que os dois se enfrentaram em toda a história do futebol brasileiro.

O vídeo acima traz imagens do jogo realizado em Pelotas, no Estádio Bento Freitas, no dia 28/10/2006.  Foi o embate 3.181 da história coral. O placar de 3×0 para o time da casa foi modesto diante da supremacia gaúcha em campo. Pra completar, Nemézio e Sérgio Alves terminaram expulsos pelo árbitro capixaba Wallace Nascimento. Os gols do Brasil foram assinalados por Everton Severo e pelo uruguaio Cláudio Milar, duas vezes, este simplesmente o maior ídolo da história xavante, falecido no trágico acidente de ônibus que envolveu a delegação do time em janeiro de 2009, no episódio que ficou conhecido como ´A Noite Que Não Acabou`. O Ferrão atuou nessa primeira partida com o futebol de Jéfferson, Nemézio, Tiago Gasparetto e Robinho (Claudeci); Marcos Pimentel, Glaydstone, Marcelo Mendes, Everton e Fernandinho (Tales); Cristiano (Sérgio Alves) e Stênio. O Brasil/RS formou com Rodrigo Silva, Júlio, Régis, Alex Martins e Evaldo; Dario, William (Fabrício), Everton Severo (Luiz André) e Dudu; Cláudio Milar e Elivelton (César).

Por sua vez, o segundo vídeo resgata os 3 gols da vitória coral no jogo da volta, no PV, no dia 08/11/2006, naquela que foi a partida de número 3.184 da história do Ferroviário. Contando com uma atuação magistral do atacante Fernandinho, que depois chegou a vestir a camisa do São Paulo/SP e hoje joga no Grêmio/RS, o Tubarão venceu com gols de Cristiano, Glaydstone e Everton. É bem verdade que o time coral contou com a atuação infame do árbitro maranhense Eduardo Barilari, que distribuiu seis cartões amarelos para os jogadores gaúchos e expulsou ainda Bruno, Alex Martins e Régis, este também falecido no mesmo acidente de ônibus de 2009. Todos os gols saíram na etapa final após o esquema tático do Brasil /RS ser completamente esfacelado pela arbitragem.

everton222

Everton: gol em 2006

Com a vitória, o Ferrão retornava para a zona de classificação para a Série B, condição perdida somente na reta final da competição depois de um revés contra o Barueri/SP. Na segunda e última vez que se enfrentaram, os times formaram com Jéfferson, Marcos Pimentel, Carlinhos, Nemézio e Júnior Cearense; Glaydsone, Dedé, Tales (Diego) e Everton; Stênio (Cristiano) e Fernandinho (Danúbio); Rodrigo Silva, Dudu, Régis, Alex Martins e Evaldo; Carlos Alberto, Dario, William e Everton Severo (Bruno); Claúdio Milar (César) e Franciel (Matão). Destaque para um público de mais de 3 mil pessoas presentes no estádio. Após o trágico acidente em 2009, o Brasil de Pelotas foi parar na segunda divisão gaúcha e viveu uma crise que parecia infindável. Há 2 anos, retomou sua trajetória de sucesso na primeira divisão do Rio Grande do Sul, disputou Copa do Brasil e briga novamente por uma vaga para a Série B nacional exatamente como fez em 2006, depois de lograr um primeiro acesso nacional na Série D no ano passado. Em síntese, o Brasil de Pelotas é um excelente exemplo para o próprio Ferroviário.

FERIADO DA REPÚBLICA TEM CARA DE 7×2 CONTRA O BAHIA

A goleada do Ferroviário em cima do Bahia por 7×2 naquele 15/11/2006 foi talvez uma das cinco vitórias mais consagradoras do percurso coral que já dura 81 anos. Foi um jogo memorável diante de um público pagante de 4434 torcedores, muito bom para os padrões históricos do clube. Era o octagonal final da Série C e 4 equipes conquistariam o acesso para a segunda divisão nacional. Sérgio Alves e Fernandinho só não fizeram chover naquele feriado da república. Por alguns dias, acreditou-se que o Ferroviário conquistaria o acesso tamanha a empolgação gerada pelo humilhante placar.

Apesar de não ter um elenco de muitas opções, a onzena principal tinha sempre uma força coletiva muito forte e contava com alguns jogadores de nível diferenciado, tanto é que parte deles vestiu depois as camisas de clubes mais badalados como Santa Cruz, Cruzeiro, Fluminense e São Paulo. A prova das poucas opções no elenco mostram o ótimo volante Marcelo Mendes improvisado na zaga ao lado do jovem Carlinhos, que sequer era titular. Nemézio e Tiago Gasparetto, este em grande forma, jogaram a maioria das partidas da Série C.

O fato é que o jogo 3186 da gloriosa história do Ferrão é aquele tipo de evento que daqui a 50 anos os torcedores presentes continuarão dizendo: “eu estava lá“. É o tipo de vitória que pai conta pro filho e jamais o futebol cearense esquecerá. Foi um troco na mesma moeda dado ao tricolor baiano, que em 1939 havia enfiado 7×3 no Ferrão. Em meio a tantas crises financeiras e técnicas nos últimos 17 anos, desde a saída do presidente bicampeão Clóvis Dias, os 7×2 contra o Bahia em 2006 representaram um verdadeiro oásis no deserto da caminhada coral, uma grande exceção à regra, junto com uma bela campanha no campeonato brasileiro que poderia ter mudado todos os fracassos que se sucederam depois, caso o acesso tivesse sido concretizado.

Uma olhadinha no Almanaque do Ferrão e vemos que os corais formaram com Jéfferson, Marcos Pimentel, Carlinhos, Marcelo Mendes e Júnior Cearense; Glaydstone (Robinho), Dedé e Everton (Diego); Stênio, Sérgio Alves (Claudeci) e Fernandinho. O Bahia foi humilhado para sempre com Darci, Luciano Baiano, Pereira, Laerte (Rodrigão) e Peris; Salvino (Charles), Leandro Leite, Rodriguinho e André Pastor; Ednei (Isac) e Sorato. Os gols corais foram de Sérgio Alves (3), Júnior Cearense, Everton, Fernandinho e Marcos Pimentel. O ex-vascaíno Sorato e Luciano Baiano descontaram para o adversário. Vale a pena recordar os gols do Ferrão no vídeo abaixo cheio de bom humor.