MAIS UM ESTADUAL E O FERROVIÁRIO DE 1968 SEGUE O ÚLTIMO INVICTO

Expresso Coral sobre o título de 1968

Hoje, o Fortaleza fez 2×0 no Ceará no primeiro jogo da final do campeonato cearense de 2019. O alvinegro seguia invicto na competição e havia sério risco de finalmente vermos quebrada a hegemonia do Ferroviário campeão cearense de 1968, reconhecido há 51 anos no futebol alencarino como o ´último invicto`. Nesse quesito, as chances do Ceará nesse ano aumentaram ainda mais porque ele, e o Fortaleza, só entraram na disputa do Estadual após os jogos de oito clubes pelo primeiro turno, fruto de um calendário nacional mais desorganizado do que nunca e que acaba desnivelando o princípio da equidade entre as equipes que disputam a mesma competição, algo tão básico e extremamente necessário para a justiça nos resultados esportivos. Onze anos atrás, a então revista oficial do clube, a Expresso Coral, trazia em suas páginas uma ampla revisão sobre o último título invicto do futebol cearense. Pelo visto, a já rara edição da publicação continua mais atual do que nunca. Além disso, Ruy do Ceará e José Rego Filho, lendários dirigentes corais naquela memorável façanha, vão poder continuar tomando banho de piscina tranquilamente. Merecidamente.

Ruy e José Rego: a tranquilidade de quem só observa os adversários tentarem, tentarem, tentarem

REVISTA DE MAIOR LONGEVIDADE NA VIDA CORAL COMPLETA 10 ANOS

Capas das dez edições da Expresso Coral lançadas entre janeiro de 2008 e abril de 2010

Há dez anos, o Ferroviário lançava oficialmente a sua revista oficial de maior longevidade. De periodicidade trimestral e intitulada de Expresso Coral, a publicação era enviada pelo correio para os sócios do clube e também distribuída para venda nas bancas de Fortaleza. Além disso, os principais clubes e entidades do futebol brasileiro, como a CBF, também recebiam seus exemplares numa política de relacionamento instituída pelo marketing coral. A revista durou de janeiro de 2008 a abril de 2010. Na imagem acima, o Almanaque do Ferrão resgata na sequência todas as dez capas da Expresso Coral, que trazia notícias do cotidiano da nossa agremiação, crônicas, matérias especiais comemorativas e entrevistas com craques do passado como Acássio, Marcelo Veiga, Paulo Veloso, Pacoti, Celso Gavião, Luiz Paes, entre outros. Além de revistas, o Ferroviário publicou ao longo de sua história alguns jornais e boletins impressos. Na categoria de revistas, a Expresso Coral foi a que durou mais e alcançou a duração de 27 meses. Hoje, quem tem as dez edições lançadas da publicação não vende, não troca e não dá. Virou item raro de colecionador!

GOL HISTÓRICO DO FERROVIÁRIO NO MARACANÃ COMPLETA ANIVERSÁRIO

Aconteceu numa quarta à noite, exatamente num dia 12 de março como hoje. Só que no ano de 1980. O Ferroviário já tinha enfrentado o Flamengo/RJ três vezes anteriormente, mas nunca tinha ido ao Rio de Janeiro. O adversário carioca ainda não era Campeão do Mundo, mas já tinha montado o melhor elenco de sua história. O Ferrão fazia boa campanha no campeonato brasileiro, bem mais integrado e nacionalizado que o formato atual de disputa. Foi um jogo histórico apesar da derrota coral, televisionado para todo o estado do Ceará através da TV Verdes Mares. O barbudo Almir foi o terceiro jogador de um time cearense a marcar um gol no lendário Maracanã. Antes dele, apenas Gildo e Geraldino Saravá haviam alcançado essa façanha. O Flamengo venceu por 2×1, com dois gols do ídolo Zico. No lance mais polêmico, o árbitro Hélio Corso interpretou como pênalti uma boa que bateu na mão do zagueiro Nilo. Jogo duro, resultado apertado.

Almir e Aristóbulo no Rio de Janeiro

Treinado pelo cearense Aristóbulo Mesquita, que fez sua carreira como atleta no próprio Flamengo/RJ nos anos 50, o Ferroviário formou com Salvino, Jorge Luís, Nilo, Celso Gavião e Ricardo Fogueira; Doca, Bibi e Nilsinho (Hélio Sururu); Ari (Haroldo), Almir e Babá. Já o time carioca, do saudoso técnico Cláudio Coutinho, venceu com Raul, Toninho, Rondinelli, Marinho e Júnior; Carpegiani, Adílio e Zico; Reinaldo, Tita (Andrade) e Carlos Henrique. Há alguns anos, essa memorável partida do Ferroviário virou até crônica intitulada ‘Dias de Glória no Maraca´, publicada numa das dez edições da Expresso Coral, revista oficial do Ferrão distribuída nas bancas de revistas entre janeiro de 2008 e abril de 2010. Pouco tempo depois, em razão das maravilhas que só a Internet propicia, o vídeo com os gols do jogo caiu no YouTube e merece o devido destaque acima em nosso blog. De quebra, acompanhe ainda entrevistas com os jogadores do Flamengo/RJ após a partida, comentando sobre a contratação do ídolo vascaíno Roberto Dinamite, que estava no Barcelona da Espanha, o que acabou não ocorrendo.

VOCÊ SABE POR ONDE ANDA O ATACANTE FELIPE KLEIN?

felipekleinblog

Felipe Klein, em 2010, durante sessão de fotos para a revista oficial do Ferroviário Atlético Clube

Lembra do Felipe Klein? Ele foi um dos destaques do Ferroviário no campeonato cearense de 2010. Foram 26 jogos e 11 gols marcados com a camisa coral naquela temporada. Oriundo do Internacional de Santa Maria/RS, o gaúcho garantiu a posição de titular no Tubarão da Barra e sua boa fase rendeu para ele a capa histórica da última edição da Expresso Coral, a revista oficial do clube publicada entre 2008 e 2010. Quem acompanhou recentemente os jogos eliminatórios da Taça Libertadores das Américas viu Felipe Klein em ação com a camisa do Atlético Cerro, tradicional equipe do futebol uruguaio com sede em Montevidéu. A equipe uruguaia foi despachada da competição pelo  Unión Espãnola, do Chile. Esta já é a sexta temporada temporada de Felipe Klein no futebol do Uruguai. Sempre que perguntado sobre sua passagem pelo Ferrão, o ex-atacante coral é breve na resposta: “Participei de um time muito bom, que montou um ótimo grupo de jogadores e ficou a frustração de não termos ido mais longe no campeonato. Guardo com muito carinho as lembranças de como fui tratado pela torcida coral e desejo sempre o sucesso do clube mesmo à distância“. Depois da eliminação na Libertadores, o time de Felipe Klein segue sua boa campanha no campeonato uruguaio. O Almanaque do Ferrão recorda abaixo um dos gols do jogador gaúcho com a camisa coral, marcado no estádio Moraisão, em Maranguape, contra o time da casa.