O JOGO DO FERROVIÁRIO NAQUELE DOMINGO DE TRISTEZA NO BRASIL

Ayrton Senna faleceu exatamente no dia em que Ferroviário e Fortaleza empataram em 2×2

Hoje faz 25 anos do falecimento trágico de um dos maiores ídolos nacionais. Por volta de meio-dia daquele domingo estranho, dia 1º de maio de 1994, já havia se espalhado a notícia da morte de Ayrton Senna. No fim da tarde, vários jogos importantes pelos campeonatos estaduais estavam sendo aguardados. No futebol cearense, o Ferrão enfrentaria o Fortaleza em mais um Clássico das Cores, válido ainda pelo 1º turno do certame cearense que iniciara em fevereiro. Talvez tenha sido um dos jogos mais melancólicos em todos os tempos, com os torcedores presentes nitidamente abatidos e incapazes de entoar os gritos normais num domingo de futebol. No momento do ´minuto de silêncio` promovido pelo árbitro Dacildo Mourão, o público de 19.515 pessoas gritou o nome de Senna dezenas de vezes. Muitos torcedores, ainda anestesiados com a notícia, derramaram lágrimas no Castelão. Tarde estranha e só.

Jogadores naquela tarde

Justo foi o placar de 2×2 entre os preliantes. O Fortaleza marcou logo no início do jogo através de Hélio Carioca, mas o Ferrão tinha um excelente time já no início da competição que o teve, somente em dezembro daquele ano, como grande campeão. O Tubarão da Barra virou o jogo, mas sofreu o empate aos 39 minutos do segundo tempo numa bola defensável que o goleiro Dênis falhou. Cosme empatou para o Fortaleza. Treinado por José Dultra, o Ferroviário empatou com o futebol de Dênis, Caetano (Wanks), Batista, Aldo (Edgar) e Branco; Lima, Nasa, Acássio e Basílio; Cícero Ramalho e Batistinha. Já o Fortaleza, do então iniciante treinador Arnaldo Lira, jogou com Índio, Vanderlei (Adriano), Carlinhos, Hélio Carioca e Reginaldo; Adenilton, Eliézer (Osmar) e Bonato; Luis Carlos, Cláudio José e Cosme. Os gols do Ferroviário foram marcados por Cícero Ramalho e Acássio, exatamente os dois que, ao lado de Batistinha, formaram o famoso “ABC Coral” que liderou isoladamente a tábua de artilheiros do campeonato, inclusive tendo marcado, somente o trio, mais gols que o elenco do Ceará inteiro, que terminou como segundo colocado na competição. Na foto, o goleiro Dênis e o craque Acássio, em registro histórico naquele domingo estranho que o Brasil perdeu Ayrton Senna da Silva e, fatidicamente, perdeu também o gosto pela Fórmula Um.

IMAGENS DA CONCENTRAÇÃO DO FERRÃO ANTES DE DECISÃO EM 1994

O vídeo acima é uma raridade. Trata-se de uma matéria da TV Verdes Mares em abril de 1994. Nela, a repórter Carla Soraya fazia a cobertura da concentração do Ferroviário na Vila Olímpica Elzir Cabral, antes de uma partida decisiva contra o Itapipoca que valia o título do 1º turno do campeonato cearense. Confira as imagens e recorde o lateral direito Caetano e o meia Eron em entrevista descontraída com o atacante Reginaldo, um dos destaques do título estadual naquela temporada, dando uma de repórter. É possível ver também imagens do lateral esquerdo Branco, do meia Basílio, do goleiro Dênis e do massagista Mudo durante a cobertura da televisão. São mais de duas décadas desde a veiculação da matéria, mas o Almanaque do Ferrão reprisa pra você. Aproveite.

RESGATE EM VÍDEO DA SEMIFINAL DO 1º TURNO DO ESTADUAL DE 1994

69472

Treinador Ramon Ramos

As postagens sobre o time do bicampeonato 94/95 costumam fazer muito sucesso no Almanaque do Ferrão e sempre repercutem com vários acessos. É comum também o blog receber pedidos de torcedores que desejam recordar em vídeo ou áudio lembranças particulares como um gol inesquecível, um lance marcante ou uma vitória que permanece viva na memória. Hoje, vamos atender o pedido do torcedor Flávio Assunção Filho, que solicitou o resgate em vídeo do jogo que marcou a sua primeira ida a um estádio de futebol. Foi em 8 de maio de 1994, no PV, numa semifinal de turno que Ferroviário enfrentou o bom time do Guarany de Sobral, montado naquela temporada pelo treinador Ramon Ramos, que coincidentemente foi o técnico coral na conquista do Bi no ano seguinte. A campanha de troca de notas fiscais por ingressos, uma promoção do futebol cearense em parceria com o governo do Estado à época, potencializava o número de torcedores nos estádios locais e 6.237 corais compareceram ao campo para conferir a classificação do Ferrão, que jogava pelo empate, para as finais do 1º turno do campeonato cearense.

denisgoleiro

Goleiro coral Dênis

Treinado pelo carioca José Dultra, o Ferrão formou naquela tarde/noite de domingo com o futebol de Dênis, Nasa, Batista, Haroldo e Branco; Lima, Rodinei (Caetano), Acássio e Basílio (Eron); Batistinha e Cícero Ramalho. Era a estreia do volante Rodinei, oriundo do América/SP, e o primeiro jogo oficial do zagueiro Haroldo, conhecido nos bastidores do clube como “Coqueiro” em razão da sua altura, que vinha do Caldas Novas/GO. Ambos não se destacaram no clube e atuaram em poucas partidas durante a temporada. O Guarany atuou com Luís Carlos, Raimundinho, Biriba, Joãozinho e Marcelino; Toninho Barrote, Fernando (Cláudio) e Marquinhos Capivara; Maurício (Valdir), Aloísio e Somar. Confira no vídeo acima, com a narração de Luciano Vieira de Moraes, irmão do ex-técnico coral César Moraes, o resgate dos melhores momentos daquele jogo e o belo gol do meia Eron. Depois, o time coral cedeu o empate em 1×1 após uma falha do goleiro Dênis, que vinha sendo titular após barrar o experiente Luís Sérgio, contratado à princípio para ser o camisa 1 após boas campanhas por Tuna Luso e Remo no futebol paraense. O gol do Guarany de Sobral – como dizem nos melhores programas esportivos da TV – infelizmente nós não temos para mostrar.