CRAQUE AMILTON MELO GANHA FILME SOBRE SUA CARREIRA

Amilton Melo fez 126 partidas e marcou 47 gols pelo Ferroviário Atlético Clube entre 1970 e 1973

A trajetória do craque Amilton Melo vai virar documentário muito em breve. No início de 2023 estará finalizada mais uma obra cinebiográfica envolvendo o futebol cearense. Dirigido pelo jornalista Ciro Câmara, o filme vai contar a vida e a trajetória de um dos maiores jogadores da história do futebol nordestino. Amilton Melo jogou no América/CE e nos juvenis do Fluminense/RJ antes de desembarcar para o Ferroviário no início de 1970, ano em que foi protagonista do título estadual do Tubarão da Barra, formando uma dupla memorável com o goleador pernambucano Paulo Velozo. Depois de quatro temporadas com a camisa coral, o jogador brilhou ainda com as camisas de Fortaleza e Ceará. Amilton Melo encerrou a carreira muito cedo e virou comentarista da Rádio Uirapuru de Fortaleza. Nesse período, lançou um livro contando suas memórias no futebol. Ele enveredou pela música e ensaiou uma breve volta ao futebol em 1990, atuando alguns jogos pelo Calouros do Ar. O eterno craque faleceu em julho de 1997. Mais de um quarto de século depois, recebe justa homenagem em um documentário que promete eternizar sua carreira no futebol. A obra conta com depoimentos de familiares, ex-companheiros de profissão e cronistas esportivos, além da participação de nomes consagrados no país como o ex-jogador Zico e o cantor Fagner. O Almanaque do Ferrão, através do autor Evandro Ferreira Gomes, também prestou depoimento ao filme, que deve estar pronto no início de fevereiro para uma primeira exibição entre convidados e, em seguida, buscar distribuição no mercado e participar dos melhores festivais do ramo no Brasil e no exterior.

O CARNAVAL DAVA A DICA DE O QUE SERIA CAPAZ DE PARAR JOMBREGA

Bloco ´Cordão das Coca Colas` no carnaval de Fortaleza fazia alusão à jogador do Ferroviário

O carnaval desse ano passou, mas deixou resgatado essa foto histórica de meados dos anos 40. O aviso foi do pesquisador Ciro Câmara, jornalista cearense apaixonado por futebol e, em particular, pela pesquisa esportiva. Era o ´Cordão das Coca-Colas`, antigo bloco carnavalesco de Fortaleza onde os homens se vestiam de mulher. Um dos rapazes ou das moças, como queiram, segura um placa com a frase: “Detefon para Jombrega“. Estaria ele se referindo ao grande artilheiro cearense Jombrega? Ciro Câmara aposta que sim e é muito provável que esteja certo. Jombrega chamava-se Francisco José Róseo de Oliveira e jogou no Fortaleza, Maguary, Ferroviário e até no Corinthians/SP, segundo dados do Almanaque do Timão, de autoria de Celso Unzelte. No Ferrão, Jombrega acumulou passagens entre 1940 e 1946, disputando 38 jogos e marcando 26 gols. Conquistou 2 títulos pelo Ferroviário: o Torneio Início e a Taça General Mascarenhas, ambos na temporada de 1940. Segundo interpretações, a placa indica o que poderia parar Jombrega, um verdadeiro fenômeno dentro dos campos de Fortaleza. Talvez só mesmo o Detefon, um dos principais e mais famosos inseticidas da época, muito comum na boca do povo até a década de 80. Lembrou do Detefon? Dá uma olhada na publicidade abaixo.