GOLAÇO DO MEIA MARDONI CONTRA O CEARÁ NO ESTADUAL DE 1987

Mardoni foi um meia experiente que jogou 68 partidas pelo Ferroviário entre 1986 e 1987. Oriundo do Central de Caruaru, ele havia vestido a camisa do Palmeiras/SP, entre outras equipes do futebol paulista. Exatamente num 21 de junho como hoje, ele marcou um golaço com a camisa coral no Castelão, um dos mais bonitos do campeonato cearense de 87. Era o jogo 2.183 da nossa história, clássico contra o Ceará naquele domingo à tarde. O alvinegro abriu o placar no início da partida com o centroavante Mauro Portaluppi, mais famoso por ser irmão do ponta direita Renato Gaúcho, estrela do Flamengo/RJ na ocasião, do que propriamente por suas qualidades dentro da área. Mardoni empatou com um verdadeiro golaço, denominado de puxeta pelo narrador Aderbal Bezerra, embora o lance esteja plasticamente mais para um belo voleio. O Almanaque do Ferrão mexeu nos arquivos e recuperou aquele lance brilhante. Assista!

Veterano Mardoni em 1987

O jogo teve Dacildo Mourão como árbitro e Erandy Montenegro no comando técnico do Ferrão, enquanto que o folclórico e viril ex-zagueiro Moisés Matias como treinador do Ceará. Recorde a escalação coral: Walter, Laércio, Arimateia, Léo e Kléber (Narcélio); Zé Alberto, Edson e Carioca; Mardônio, Ilo (Mardoni) e Carlos Antônio. O adversário formou com o futebol de Washington, Reidene, Gilmar Furtado, Argeu e Bezerra; Oliveira Canindé, Índio e Erasmo; Rudinei, Mauro Portaluppi (Victor) e Bebeto (Wanks). O público teve 14.119 pagantes. Dois meses depois, o campeonato estadual chegava a seu final com o Fortaleza campeão em cima do Ceará. O Ferroviário terminou na terceira colocação apesar de campanha instável durante a competição.

RESGATE EM VÍDEO DE UMA DAS MELHORES PARTIDAS DE 1987

Ferroviário e Guarany de Sobral fizeram um dos melhores jogos do campeonato cearense de 1987. Essa foi a opinião da imprensa em geral na noite daquele 15 de julho, quando o time coral aplicou 4×2 no Presidente Vargas. O empate em 2×2 persistia até os 36 minutos da etapa final e os 3.117 pagantes pareciam conformados com o resultado. Ao atrilhar do apito final do árbitro Francisco Pereira, dois gols corais nos últimos 9 minutos selaram a vitória do time que foi superior a partida inteira. Narcélio, Mardônio, Zé Alberto e Cardosinho marcaram para o Ferrão. Osmanir, duas vezes, anotou os tentos do time sobralense. O Almanaque do Ferrão recupera o vídeo dos quatro gols do Tubarão da Barra naquela noite e faz uma viagem de exatos 28 anos no túnel do tempo. Aproveite.

zé alberto

Zé Alberto

Treinado por Erandy Pereira Montenegro, que conseguiu o feito de permanecer o ano inteiro de 1987 no cargo e dar oportunidade para vários jogadores das categorias de base, o Ferrão formou nesse dia com Wálter, Laércio, Arimatéia, Léo e Ramos; Zé Alberto, Edson e Mardoni (Renato); Mardônio, Narcélio e Carlos Antônio (Cardosinho). Nagibe Marques, técnico do Guarany, mandou a campo a seguinte onzena: Dalmir, Ailton, Frota, Cláudio e Osmanir; Toninho Barrote, Carlos e Demair; Ivan, Macedo (Renato) e Djalma. O volante Zé Alberto, ex-Central/PE, era um dos jogadores mais experientes e regulares da equipe. Remanescente da temporada anterior e dono de um futebol clássico e vistoso, ele era o capitão e batedor oficial de pênaltis do time coral. A sua categoria na hora dos penais pode ser conferida no terceiro gol exatamente no momento decisivo da partida.

ÁUDIO DE CAETANO BAYMA SOBRE A COMPRA DO PASSE DE SERGINHO

serginhogoleiro

Serginho: goleiro do Ferroviário

João Sérgio Rêgo Filho, pernambucano de Surubim, chegou para o Ferroviário em agosto de 1985, emprestado pelo Central de Caruaru. Cria do Sport/PE, o goleiro passou a ser chamado de Serginho ainda na época da categoria de base e tinha no vitorioso irmão Lulinha, de grandes passagens por Fortaleza e Ceará, uma excelente referência debaixo das traves. Em grande forma, Serginho foi a sensação coral no último trimestre do campeonato cearense, realizando grandes defesas. Permaneceu em 1986, foi emprestado no ano seguinte para Alagoas e retornou em 1988 quando foi titular do Ferroviário nos dois primeiros turnos, antes de ser negociado em definitivo com o o Asa de Arapiraca.

1985_2222

Serginho, de camisa azul e branca, no time de 1985

Em sua primeira temporada no Tubarão da Barra, Serginho salvou o Ferroviário em várias partidas. Era frequentemente escolhido pelas equipes esportivas como o destaque dos jogos e faturava prêmios com suas belas defesas. Em 23/10/85, uma defesa monumental numa cabeçada certeira do zagueiro Argeu valeu ao goleiro coral o Pinguim de Ouro da promoção ´Grande Lance Antarctica` e garantiu o 0x0 no placar diante do Ceará. Contra o mesmo adversário em 17/11/85, mais uma grande defesa de Serginho e a vitória coral por 2×0. O Almanaque do Ferrão recuperou a transmissão radiofônica desses dois lances e apresenta abaixo com exclusividade. Além das narrações na voz de Vilar Marques e Júlio Sales, o torcedor coral pode ouvir o presidente Caetano Bayma, que comenta em entrevista a sua intenção de angariar recursos para comprar o passe do goleiro junto ao Central/PE, fato este que se concretizou meses depois para a alegria dos admiradores de Serginho. Já se vão 30 anos dessas gravações, mas o blog recupera o material para a nação coral.