FERRÃO GOLEIA DE LARANJA SOB AS BENÇÃO DE UM GÊNIO DO FUTEBOL

cruyff

Lendário Johan Cruijff na Copa de 1974

As velhas coincidências da vida. Ao adotar a camisa laranja como seu terceiro uniforme para a temporada de 2016, o Ferroviário jamais poderia imaginar que, mesmo indiretamente, homenagearia um dos maiores gênios do futebol mundial. Johan Cruijff, o líder do carrossel holandês que encantou o mundo da Copa de 1974, faleceu na última quarta-feira, dia 24, no mesmo dia que o Ferrão goleou o Itapajé por 5×2, atuando mais uma vez exatamente com o modelo semelhante ao utilizado pela seleção holandesa. Foi a quarta vitória consecutiva do time coral atuando com seu terceiro uniforme, o que para muitos já é motivo até de superstição. Coisas do futebol, dirão alguns.

O vídeo acima apresenta os gols da partida do Ferroviário contra o Itapajé. Aos poucos, o Tubarão da Barra vai marchando célere em busca do objetivo maior que é retornar para a primeira divisão do futebol cearense. A caminhada é árdua e complicada, mas sob a supervisão de Lula Pereira e o comando técnico de Fernando Filho, o sonho não é impossível. A competição nem chegou ainda a sua metade e o Ferroviário já igualou o número de pontos alcançados em todo o campeonato no ano passado. É por causa da camisa laranja, dirão os mais fanáticos. E ainda mais agora, sob as bençãos de um ícone do futebol que partiu. Que a genialidade de Cruijff inspire a garotada da ´Laranja Coral`.

APÓS 22 ANOS: NOVA GOLEADA POR 6×0 JOGANDO FORA DE CASA

1377607_10208791718053271_8209847383768889135_n

Jogadores corais vestidos com o uniforme laranja rezam após a partida de ontem em Barbalha

E o Ferrão continua sua luta para voltar à primeira divisão do campeonato cearense. Ontem, vestindo novamente o seu terceiro uniforme na cor laranja, o Tubarão da Barra massacrou o Barbalha, fora de casa, pelo placar de 6×0. Uma vitória na casa do adversário com um resultado tão esmagador não acontecia na vida coral desde 1994, quando o Ferroviário aplicou o mesmo placar em cima do Itapipoca atuando no Estádio Perilo Teixeira, em noite que consagrou o artilheiro Batistinha com 4 gols marcados. Além dele, Acássio e Basílio também assinalaram. Ontem, no Estádio Inaldão, na região do Cariri, foi a vez de brilhar a estrela do atacante Roney, com 3 gols marcados, além do meia Diego Silva, que conseguiu a façanha de encaçapar 2 gols de falta no mesmo jogo. O atacante Maxuell, de pênalti, fechou a contabilidade do placar. Foram exatamente 1.011 jogos de diferença entre o feito de 1994 e o de 2016. Ai é Ferrão, meu filho!