A LEMBRANÇA DE GIORDANO DO GOLEIRO DA SELEÇÃO BRASILEIRA

Goleiro Valdir Peres, do São Paulo, foi titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1982

No final do mês passado, o Brasil perdeu o ex-goleiro Valdir Peres, titular do São Paulo/SP e da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1982. Como arqueiro do tricolor paulista naquela temporada, Valdir Peres enfrentou o Ferroviário em duas oportunidades no intervalo de dez dias. A primeira em 28/01/1982, no Morumbi, e a segunda em 07/02/1982, no Castelão. Quatro meses depois, o falecido goleiro estreava na Copa da Espanha com a camisa da Canarinho contra a União Soviética. Por outro lado, os confrontos contra o São Paulo parecem ainda vivos na memória do goleiro reserva do Ferrão na ocasião. O cearense Giordano, que chegou ao clube em 1976, amargava a reserva do titular Barbiroto, emprestado pelo próprio São Paulo ao Ferroviário para as disputas daquele campeonato brasileiro. Em meio aos jogos contra o tricolor paulista, Giordano conheceu Valdir Peres e um fato o marcou por toda vida.

Giordano no Ferrão

Semana passada, Giordano encontrou ocasionalmente Charles Garrido, um dos torcedores corais que mais prestigia este blog com mensagens e comentários na página do Almanaque do Ferrão no Facebook. Conversando sobre o falecimento do ex-goleiro do São Paulo, Giordano confidenciou no referido encontro: “até hoje tenho guardado um uniforme completo de goleiro que o Valdir Peres gentilmente me presenteou naquela oportunidade“. Ao enfrentar um time financeiramente inferior, onde naturalmente as condições de trabalho são muito mais difíceis, Valdir Peres teve a delicadeza de ajudar um companheiro de profissão e, mais que isso, de posição. O fato nunca saiu da cabeça de Giordano, que permaneceu no clube até a temporada seguinte. Ao todo, foram 135 partidas com a camisa do Ferrão. Em 1984, sagrou-se campeão maranhense pelo Sampaio Corrêa/MA. Em 1988, já aposentado dos gramados, foi o treinador de goleiros do próprio Tubarão da Barra no título cearense daquele ano. Tantos anos depois, o Ferrão continua nas melhores lembranças de Giordano em conversa com amigos corais.

MATÉRIA DA TV GOIANA SOBRE ESTREIA CORAL NA COPA DO BRASIL

O Almanaque do Ferrão conseguiu recuperar mais um material raro da história coral. Trata-se da reportagem da emissora afiliada da Rede Globo de Televisão em Goiânia, por ocasião da estreia do Ferroviário na Copa do Brasil, em julho de 1989, contra o Goiás. Confira acima, na cobertura do repórter César Resende, as entrevistas do goleiro Barbiroto e do treinador Vanderley Paiva, na véspera da partida realizada no estádio Serra Dourada, no dia 19. O Goiás venceu por 1×0 na capital goiana e por 3×1 no jogo de volta, dia 22, em Fortaleza, despachando o time coral logo na primeira fase da competição, que estava sendo disputada pela primeira vez no futebol brasileiro. Ainda no vídeo acima, você confere o gol do lateral direito Caetano no estádio Presidente Vargas.

Mardônio atuou nos 2 jogos

A estreia do Ferrão na Copa do Brasil foi transmitida ao vivo pela TV Verdes Mares na noite do dia 19. O radialista Tom Barros foi o responsável pela narração da partida, que contou com vários problemas técnicos de áudio e imagem durante a transmissão. Além disso, em alguns bairros de Fortaleza, faltou energia durante o primeiro tempo do jogo. O Ferrão jogou com Barbiroto, Silmar (Caetano), Arimateia, Juarez e Marcelo Veiga; Gerson, Lira e Jacinto; Mardônio (Zé Carlos Paranaense), Cacau e Edelvan. O Goiás, do famoso técnico Carlos Gainete venceu com Eduardo, Wallace Carioca, Gomes, Boni e Jorge Batata; Wallace Goiano, Fagundes e Péricles; Formiga, Wanderson e Josué. O centroavante Wanderson marcou o único gol do primeiro jogo. Por sua vez, no sábado à tarde, dia 22, nova vitória do time goiano por 3×1, dessa vez com gols de Wanderson, Niltinho e Wallace Carioca, o Ferrão formou com Barbiroto, Silmar, Arimateia, Djalma e Marcelo Veiga; Juarez, Alves e Jacinto; Mardônio (Caetano), Cacau e Edelvan. O Goiás formou com Eduardo, Wallace Carioca, Gomes, Boni e Jorge Batata; Fagundes, Péricles e Josué; Formiga (Richard), Wanderson (Niltinho) e Wallace Goiano. O público em Fortaleza foi de 2.202 pagantes. Até hoje, o Ferroviário realizou apenas 9 partidas no total pela Copa do Brasil.

EDMUNDO, SALVINO, GIORDANO E BARBIROTO JUNTOS EM 1981

goleiros 1981

Da esquerda para direita: Edmundo, Salvino, Giordano e Barbiroto em treino no PV

Será que o Ferroviário estava mal de goleiros no início de 1981? Prestes a enfrentar times como Atlético/MG, São Paulo/SP, Fluminense/RJ, entre outros, eis uma foto histórica com os quatro bons arqueiros do elenco no início daquela temporada. Todos foram titulares da meta coral em algum momento de suas carreiras. Giordano, contratado junto ao Quixadá, foi entre eles o que mais vezes atuou com a camisa coral. Foram 135 partidas entre 1976 e 1983. Em segundo, o goleiro Salvino, ex-Botafogo/PB, com seus 111 jogos em apenas duas temporadas, de 1980 a 1981. Por sua vez, Edmundo, ex-goleiro da Desportiva/PB, teve chance em 36 partidas entre 1978 e 1982. Apesar da foto acima, Barbiroto não permaneceu para o Brasileiro 81, mas acabou retornando para o campeonato nacional de 1982 e brilhou pelo Ferrão com grande atuações, voltando depois para o futebol paulista para ser titular do São Paulo/SP, dono de seu passe, na continuidade de sua carreira. Sete anos depois, em 1989, voltou ao Ferroviário para jogos do Estadual e para ser o goleiro na primeira participação coral na Copa do Brasil, totalizando 21 partidas em suas duas curtas e rápidas passagens pelo Tubarão da Barra.

FLAMENGO X FERROVIÁRIO NA ÍNTEGRA DIRETAMENTE DE 1982

A última postagem do ano é um presente especial do Almanaque do Ferrão para quem acompanhou o time coral no início dos anos 80, período em que o Tubarão da Barra figurava na divisão principal do campeonato brasileiro e enfrentava os maiores times do país. Acompanhe agora na íntegra a gravação de um daqueles grandes jogos, quando o Ferrão jogou no lendário Maracanã contra um dos principais times que o futebol mundial já viu, o Flamengo de Zico, Andrade e companhia, que há apenas 45 dias havia conquistado o título interclubes derrotando o Liverpool da Inglaterra. Os mais de 30 mil presentes no estádio viram um ótimo jogo com o Ferroviário apresentando um belo toque de bola no primeiro tempo, porém implacavelmente derrotado diante da supremacia em campo do rubro-negro carioca principalmente na etapa final.

Com uma dupla de zaga reserva formada pelo jovem Júlio, que trata-se hoje do treinador cearense Júlio Araújo, e pelo improvisado lateral Rôner, o Ferrão não foi páreo para o Flamengo, apesar dos vários volantes em campo e da excelente forma do jovem goleiro Barbiroto, emprestado na época pelo São Paulo. Ao final da partida, o placar apontou 3×0 para o time carioca com um show de Zico, autor de todos os gols. Era o jogo de número 1873 da história do Ferroviário Atlético Clube, disputado em 31/1/1982, justamente contra o principal time do mundo naquele momento, o que por si só já torna quase que obrigatório acompanhar na íntegra o tape daquele memorável embate.

Treinado por Assis Furtado, ex-jogador, ex-árbitro e comentarista esportivo, o Ferroviário foi a campo com o futebol de Barbiroto, Paulo Maurício, Júlio, Rôner e Jorge Henrique; Augusto, Meinha, Doca e Jorge Bonga (Zé Carlos); Vicente Cruz e Roberto Cearense (Paulo César Cascavel). O Flamengo do técnico Paulo César Carpegiani jogou com Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio e Zico; Popéia, Nunes e Edson (Vitor). Aproveite o espetáculo e recupere a memória nos gramados de nomes famosos que vestiram a camisa do Ferroviário. Você não vai se arrepender.