RECORDE A ÚLTIMA ALEGRIA CORAL NUM SÁBADO DE CARNAVAL

carnaval2012-recife-1

A realização de jogos de futebol tem cada vez mais se familiarizado com o sábado de carnaval

É carnaval! E o sábado momino tornou-se um data tradicional para a prática do futebol. Ano passado, listamos algumas vezes que o Ferroviário jogou em pleno sábado de carnaval, mas hoje um jogo específico merece destaque. Vamos até o sábado de carnaval de 2013, dia 09 de fevereiro, para resgatar um trabalho profissional em vídeo muito bacana especialmente produzido com o intuito de registrar um momento bom no cotidiano do clube, que passava por mais uma das inúmeras tentativas de soerguimento implementadas – pelo menos – nos últimos 10 anos. Diante de um bom público presente no PV, o Ferrão fez 1×0 em cima do Guarani de Juazeiro, gol de Cleylton, e assumia a liderança do campeonato cearense. A torcida coral passou o carnaval em festa!

torcidapvferroviario2013

Em 2013, a torcida coral compareceu em bom número no PV exatamente no sábado de carnaval

Foi o jogo 3.430 da história do Ferroviário, que venceu o Guarani utilizando a base do Sub-20 do ano anterior, com o futebol de Fernando Júnior, Everton, Valdo, Cleylton e Tinga; Vagno Pereira, Foguinho, Sami (Lima) e Henrique (Luisinho); Ted (Chico) e Giancarlo. O treinador era o gaúcho Gilson Maciel. Já o adversário, treinado por Pedro Manta, formou com Fábio, Nem, Jéferson, Marcelo Mineiro e Toninho; Guídio (Ramon), Anderson, Gustavo e Netinho (Ivanzinho); Niel e Moré (Paulão). Aquele carnaval foi o último momento de plenitude vivido pelo Ferrão. Torcedores, orgulhosamente vestidos com a camisa coral, foram vistos com frequência nos mais diversos recantos do estado durante o período momino. Infelizmente, antes mesmo do final daquele ano, todo trabalho profissional de reestruturação construído tijolo a tijolo começou a ser implodido dentro da própria estrutura interna do clube. O resto da história, a gente já sabe. Curiosamente, em mais um sábado de carnaval, o Ferrão voltou a jogar hoje, dessa vez longe dos holofotes. Foi até a cidade de Horizonte para disputar um simples amistoso e saiu derrotado na partida 3.537 de sua trajetória. Então é melhor ficar com a lembrança do carnaval de 2013 eternizada no vídeo abaixo, lançado pelo setor de marketing do clube na ocasião.

FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO COM ESSA BELA IMAGEM DO TUTUBA

Tutuba no hospital

Querido Tutuba, em sua bela versão original, visitando crianças no hospital no Natal de 2011

Com essa linda imagem do Tutuba, a mascote mais carismática do futebol cearense, encerramos nossas atualizações na atual temporada. Desejamos um excelente natal a você que acompanhou o Almanaque do Ferrão em 2015 e temos a certeza que muitas novidades pintarão por aqui no próximo ano. E que Papai Noel possa presentear alegrias para o Ferroviário Atlético Clube em breve. Feliz Natal e próspero ano novo, família coral!

HOJE É DIA DE REVERENCIAR O ANIVERSÁRIO DE ZÉ LIMEIRA

zelimeira2

Inesquecível e saudoso Zé Limeira

Ele era muito conhecido entre os torcedores que acompanhavam o futebol cearense através do rádio. As décadas de 70, 80 e 90 jamais teriam sido as mesmas não fosse a comunicação sempre descontraída de um homem sábio nas palavras, apesar da origem humilde e iletrada. 10 de janeiro costumava ser dia de festa entre os corais por conta do genetlíaco – como ele mesmo gostava de dizer – de Zé Limeira, a figura de relações públicas mais simpática que o estado do Ceará teve o privilégio de conhecer.

Ele escreveu dois livros em vida, um deles prefaciado por ninguém menos que a imortal Raquel de Queiroz, com quem compartilhava as mesmas raízes interioranas e a paixão pelo Ferrão. Mantinha conversas intermináveis com Edson Queiroz, o maior industrial do estado, morto em 1982. Tinha uma curiosa coleção de chifres de boi na parede de casa. Foi engraxate. Não satisfeito com suas várias peripécias, Zé Limeira conclamou até o Papa João Paulo II a abrir uma vaga em sua agenda para receber uma camisa do Ferroviário. Ele fez de tudo um pouco na vida. E, de pouco em pouco, fez muito.

Quando sua voz calou em definitivo naquele abril de 2004, alguma coisa morreu na vida do Ferrão. Foi embora a comunicação e a pujança, como ele mesmo adorava mencionar. O “Ou vai ou racha ou urubu leva borracha“, o “É pau e muito pau“, entre outras pérolas politicamente incorretas, serão sempre eternas nos estádios. E que o dia 10 de janeiro nunca seja esquecido. Feliz aniversário, mestre Zé Limeira, onde quer que você esteja.