UM NOVATO E DOIS VELHOS CONHECIDOS NA COPA DO NORDESTE

O Globo/RN é o novato entre os tradicionais

O Ferrão conheceu ontem seus adversários de chave na fase inicial da Copa do Nordeste. O time coral está no Grupo B e enfrentará ABC/RN, Vitória/BA e Globo/RN. Deles, apenas a emergente equipe potiguar do Globo nunca enfrentou o Tubarão da Barra em anos anteriores. ABC e Vitória, por outro lado, são velhos conhecidos. O Ferrão enfrentou a equipe baiana pela primeira vez em 1953 e, na temporada de 2006, foram quatro memoráveis confrontos pela Série C do campeonato brasileiro, sendo duas vitórias para cada time naquela ocasião. Por sua vez, o ABC de Natal tem sido um recorrente adversário na história coral, seja em jogos amistosos, torneios comemorativos, campeonatos nacionais e até mesmo em quatro edições da Copa do Nordeste, em 1968, 1970, 1997 e 1999. Por coincidência, ABC e Vitória também foram adversários do Ferroviário na mesma chave da Copa Ecohouse, competição promovida pelo Alecrim/RN durante o segundo semestre de 2013. A próxima edição da Copa do Nordeste começa em fevereiro de 2018 e terá a cobertura televisiva do Esporte Interativo.

PRIMEIRO JOGO OFICIAL CONTRA TIME DE OUTRO ESTADO NA BARRA

Pouca gente recorda o nome do primeiro adversário coral de outro estado que enfrentou oficialmente o Ferroviário na Vila Olímpica Elzir Cabral. Os mais antigos dirão que foi o Alecrim/RN. De fato, a tradicional equipe potiguar foi a primeira de outro estado a pisar o solo da Barra do Ceará, em 1970, mas tratava-se de uma partida amistosa para inauguração do estádio coral, o que evidentemente foi um fato histórico. Porém, em caráter oficial, essa equipe foi o Flamengo/PI, em 24 de setembro de 1989, em jogo válido pela 1ª fase do campeonato brasileiro daquele ano. O Almanaque do Ferrão apresenta acima as imagens dos gols daquele jogo vencido pelo Tubarão da Barra por 2×0, tentos do ponta esquerda Paulinho e do centroavante Marquinhos, ambos cearenses.

Paulinho: belo gol na Barra

Aquele domingo à tarde contou com um público de 2.837 pagantes. Pelas imagens, percebe-se o excelente número de torcedores que foi ao estádio, porém em quantidade inferior que a abertura do Elzir Cabral para jogos oficiais, seis meses antes, contra o Guarani de Juazeiro. Nesse jogo do campeonato nacional, o de número 2.304 da história coral, o Ferrão venceu com o futebol de Osvaldo, Silmar, Arimatéia, Evilásio e Marcelo Veiga; Alves, Dias Pereira (Cacau) e Jacinto; Mardônio (Marquinhos), Luizinho e Paulinho. O Flamengo do Piauí perdeu com Ronaldo, Toinho (Duílio), Carlinhos, Bilé e Neto; Zuega, Peu e Malta; Batistinha, Etevaldo e Toby (Cláudio). Repare a presença do atacante Batistinha no ataque do Flamengo, ele que se tornaria um dos ídolos da história coral na metade da década seguinte. O jogador Marquinhos, que marcou o segundo gol, era oriundo do Tiradentes/CE e havia sido um dos artilheiros do campeonato cearense de 1988. Ele disputava a posição com o centroavante Luizinho, recém trazido do Avaí/SC, que fez apenas 6 jogos com a camisa coral. Marquinhos atuou apenas em 4 partidas. Paulinho, que marcou um belíssimo gol, ficou no clube até 1991 e fez 44 jogos pelo Ferroviário.

EX-JOGADOR É CRONISTA ESPORTIVO NO RIO GRANDE DO NORTE

Capa do blog `No Ataque´ escrito pelo ex-jogador Edmo Sinedino no Rio Grande do Norte

A curiosidade de hoje é sobre um ex-jogador que passou rapidamente pelo Ferroviário na temporada de 1984. Trata-se do meio campista Edmo, revelação do Alecrim de Natal, cedido na ocasião ao time coral paras as disputas do campeonato brasileiro e também do estadual cearense. Entre amistosos e jogos oficiais, foram apenas 6 apresentações de Edmo Sinedino de Oliveira com a camisa do Ferrão. Sua primeira partida foi na derrota para o Fluminense/RJ, no Estádio São Januário, por 2×0, em 29 de fevereiro de 1984. Seu sexto e último jogo foi justamente na estreia coral no campeonato cearense daquele ano, no dia 9 de maio, contra o Quixadá, empate em 0x0 no Castelão. Edmo retornou a Natal em seguida e foi protagonista de um grande feito no futebol nordestino, participando ativamente do bicampeonato do Alecrim/RN em 85 e 86, ocasião em que foi companheiro do zagueiro Lúcio Sabiá, um dos nomes mais conhecidos da história do Ferroviário. O ex-meia coral tornou-se cronista esportivo no Rio Grande do Norte após pendurar as chuteiras. Acompanhe abaixo a participação dele, ontem, no programa ´Jogo Rápido` da competente jornalista potiguar Camila Dantas. Nota-se que a habilidade de Edmo não era apenas com os pés, mas é até hoje com a cabeça e com as palavras ao comentar habitualmente os acontecimentos dos principais times do Rio Grande do Norte. Confira.

FERROVIÁRIO É DESTAQUE EM SÉRIE DO CANAL ESPORTE INTERATIVO

A paixão do torcedor pelo Ferroviário Atlético Clube mereceu destaque essa semana na programação do canal Esporte Interativo. O Tubarão da Barra foi um dos expoentes da série ´Amor sem Divisão`, uma matéria especialmente produzida em homenagem a times tradicionais que não estão inseridos em nenhuma das divisões do campeonato brasileiro. Além da equipe coral, a série contemplou ainda o Alecrim/RN, a Tuna Luso/PA, entre outros. Gravada durante as disputas da Taça Fares Lopes no último mês de outubro, o vídeo acima é uma autêntica homenagem ao torcedor do Ferrão, que recentemente completou 20 anos sem comemorar um título estadual, o maior jejum da história do clube.

EX-MEIA DO FERROVIÁRIO CONSEGUE ACESSO COM O BRASIL DE PELOTAS

download (3)

Diogo Oliveira comemora gol no Brasil/RS

Levante a mão se você lembra da passagem do meia carioca Diogo Oliveira pelo Ferroviário! Prestes a completar 34 anos de idade, ele acaba de conquistar o acesso nacional com a camisa do Brasil de Pelotas, depois de jogar com destaque nos últimos anos por Chapecoense/SC, Joinville/SC, Criciúma/SC e Juventude/RS, entre outras equipes importantes do sul do país. O atleta foi autor de alguns gols do time gaúcho durante a bem sucedida campanha da Série C desse ano. O Almanaque do Ferrão recorda que o experiente jogador foi uma das principais contratações do Ferroviário Atlético Clube para a quarta divisão do campeonato nacional de 2009, mas acabou ficando um breve período de tempo e não chegou a se destacar no time coral, apesar da condição de titular na grande maioria das partidas na competição.

diogonofac

Time base do Ferroviário na Série D de 2009

Diogo Oliveira estreou pelo Tubarão da Barra em 24/6/2009, num amistoso contra o time B do Fortaleza, no Estádio Domingão. Ao todo foram apenas 9 jogos, sendo uma única partida inteira em campo e infelizmente nenhum gol marcado com a camisa coral. Na prática, o futebol altamente técnico do jogador acabou desaparecendo em meio a um time mal treinado e uma campanha sofrível marcada por derrotas contra Alecrim/RN, Treze/PB e Sergipe/SE. O atleta rescindiu contrato com o Ferroviário após a competição e partiu sem deixar saudades. Além do Ferrão, Diogo vestiu no futebol cearense as camisas do Ceará, Icasa e Uniclinic. Na foto acima, ele aparece em destaque ao lado de jogadores na seguinte sequência: Dionantan, Cícero César, Clemílson, Felipe Espada, ele e Rafael; Eliélton, Victor Cearense, Cristiano, Júnior Cearense e Alberto.

EX-TREINADOR CORAL DIRIGE EQUIPE DA SÉRIE A DO BRASILEIRÃO

julinhocamargo3

Julinho Camargo foi o treinador do Ferroviário nas competições do segundo semestre de 2013

Ele foi treinador do Ferroviário entre junho e novembro de 2013. Dirigiu a equipe coral em 16 partidas, sendo 9 vitórias, 5 empates e apenas 2 derrotas. A proposta irrecusável de um salário 7 vezes maior o fez não permanecer para a temporada seguinte e ele foi trabalhar no Rio Grande do Sul, onde levou o modesto Veranópolis/RS ao 3º lugar no campeonato gaúcho de 2014. Agora, o competente Julinho Camargo tem um desafio maior. Ele é o novo treinador do Goiás/GO na Série A do campeonato brasileiro, competição que teve o privilégio de atuar em 2011 no comando técnico do Grêmio/RS. Ao longo de sua trajetória no futebol, Julinho trabalhou com nomes como Paulo César Carpegiani e Paulo Roberto Falcão, passando por Internacional/RS, Bahia/BA e no futebol do exterior. Ano passado, o comentarista Paulo Vinícius Coelho, ainda na programação da ESPN Brasil, chegou a indicar em rede nacional o nome de Julinho Camargo para compor a nova comissão técnica que estava sendo montada para a Seleção Brasileira.

aqn2gizbwlk8dsrm9qdix63bh

Na época do Grêmio/RS no Brasileirão de 2011

A qualidade do trabalho de Julinho Camargo é facilmente percebida por quem efetivamente é do ramo. Seus treinos e metodologia de trabalho impressionaram bastante os atletas corais em sua passagem pela Barra do Ceará e os comentários dos profissionais da área sobre o novo técnico do Goiás são quase que unanimemente elogiosos. No Ferroviário em 2013, Julinho dirigiu a equipe na Taça Fares Lopes, quando conquistou o 1º lugar em sua chave na fase classificatória, mas foi eliminado em seguida no mata-mata com o Guarany de Sobral. Comandou ainda o clube na 3ª colocação da Copa Ecohouse, caindo na semi-final para o Alecrim/RN, em Natal, na decisão por pênaltis (5×4), após um 1×1 no tempo normal. Seguramente a não continuidade do treinador para a temporada de 2014, seguida da irresponsável mudança de postura do comando diretivo do clube a partir de então, foi fator decisivo para a trajetória de insucessos verificados na história recente do Tubarão da Barra. Agora no Goiás, é muito provável que Julinho Camargo passe a ter sua competência reconhecida em âmbito nacional, abrindo mercado periodicamente nos principais times do país. Recorde abaixo o vídeo com a primeira entrevista do treinador gaúcho, há exatamente dois anos, em sua passagem pelo Ferroviário Atlético Clube.

DOIS VELHOS AMIGOS DE BREVE PASSAGEM PELA BARRA DO CEARÁ

tatray

Janos Tratay nos anos 70

Janos Tratay nasceu na cidade de Vszprèm, na Hungria, em 1922. As sequelas físicas da II Guerra Mundial o acompanharam por toda vida. Resolveu militar no futebol quando veio para o Brasil. Em 1960, foi técnico do Ceará e passou a ser conhecido na terra de José de Alencar, mas mantinha uma enorme afeição pela Paraíba, estado onde fixara residência. Foi lá que conheceu o atacante Zé Luiz, que brilhava no Campinense/PB. Iniciaram uma amizade fraternal que perdurou até o fim da vida do húngaro. Ambos tiveram seus momentos no Ferroviário e por essa razão destacamos o vídeo acima, gravado em 2007, com o intuito de recordar o nome daqueles que são raramente lembrados, ignorados pelo tempo e pela memória curta dos torcedores. O diálogo acima entre Janos Tratay e Zé Luiz merece ser assistido. Em meio a recordações pessoais de ambos que agradam a qualquer fã de futebol, o nome do Ferroviário sequer é citado, mas há de se registrar que ambos tiveram parcela de colaboração na história coral e merecem destaque no Almanaque do Ferrão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Zé Luiz no Ferroviário

Zé Luiz era um atacante de 29 anos quando foi contratado pelo time coral no início de 1970. Fez sua estreia exatamente no primeiro jogo interestadual realizado no Estádio Elzir Cabral, no dia 17 de janeiro, contra o Alecrim/RN. Iniciou o campeonato cearense como titular, mas depois perdeu espaço. Seu nome está com justiça entre os grandes campeões estaduais daquele ano com a camisa coral. Chegou a jogar também na Portuguesa de Desportos/SP. Depois, longe da bola, tornou-se jornalista e político. Como jornalista, teve programas na TV Borborema de Campina Grande e na TV Correio de João Pessoa. Foi vereador de Campina Grande, Deputado Estadual e Deputado Federal pela Paraíba e, de 2005 a 2012, o vice-prefeito da cidade de Campina Grande. Pouca gente sabe que o Ferroviário teve um ex-jogador de carreira política tão ilustre. Por sua vez, Janos Tratay foi contratado na gestão do presidente José Rego Filho, em 1972, como diretor de futebol. Teve uma passagem atribulada com atritos dentro do próprio elenco coral, tendo que apaziguar ânimos de jogadores como Amilton Melo, Luizinho Peito de Aço, Simplício e Marcelino, que andaram se estranhando entre si. Não bastasse o clima hostil entre os jogadores, Tratay andou ainda em rota de colisão com o técnico paranaense Borba Filho, que deixou o clube durante o campeonato cearense. A passagem de Janos Tratay pelo Ferroviário durou somente aquela temporada e ele voltou para a Paraíba, onde continuou trabalhando com destaque até em campeonatos nacionais enquanto teve saúde. Faleceu em 2011, aos 89 anos, na cidade de João Pessoa, vítima de um aneurisma. O vídeo acima foi uma de suas últimas aparições na televisão paraibana e mostra a amizade de dois velhos amigos de breve passagem pela Barra do Ceará.