FERRÃO RETOMA ATIVIDADES JÁ PENSANDO NA TEMPORADA DE 2017

Jovem equipe do Ferroviário se apresentou em Tianguá no feriado do último dia 15 de novembro

Pouca gente tomou conhecimento, mas o Ferroviário voltou a atuar com sua equipe profissional depois de quase 6 meses. A equipe foi convidada para ir até a cidade de Tianguá e entregar as faixas de campeão da Série C cearense à equipe de mesmo nome. Apenas quatro jogadores profissionais participaram da partida, enquanto o restante da delegação foi formada com atletas da categoria Sub-20. Foi o jogo 3.561 da história coral, realizado no estádio municipal Tancredo Nunes, que contou com um bom público no feriado da Proclamação da República.. O Ferrão carimbou as faixas do Tianguá vencendo por 1×0, gol do atacante Maxuell. Confira a escalação do Tubarão da Barra no jogo: Jefferson, Jarder, Brendo, Alysson e Wladimir; Carlos Júnior, Felipinho, Lucas Adryel e Valdeci; Maxuell e Rodrigo. Os jovens André, Matheus Brás, Italo, Tiago, Hércules, Wesclei e Jordanio, além do experiente lateral direito Batata, também participaram do amistoso. Apesar de já colocar-se em atividade durante o final de 2016, o início da pré-temporada coral está marcada para a primeira semana do ano novo, quando novas contratações ocorrerão a fim de reforçarem o Ferrão na próxima temporada.

MARCELO VEIGA GRAVA VÍDEO E DESEJA BOA SORTE AO FERROVIÁRIO

Capitão do time e autor do gol que deu o título cearense de 1988 ao Ferroviário, o ex-jogador Marcelo Veiga gravou ontem um vídeo em Fortaleza, agradecendo o recebimento da nova camisa coral, confeccionada pela empresa Uniex, e desejando boa sorte a nova diretoria executiva encabeçada pelo presidente Nilton Ramos. O ídolo coral encontra-se na cidade para comandar o Bragantino/SP em partida contra o  Ceará, pela Série B do campeonato brasileiro. O vídeo foi publicado as redes sociais do Ferrão e gerou um bom engajamento por parte dos torcedores, principalmente entre aqueles que recordam as atuações do ex-lateral esquerdo com a camisa do Tubarão da Barra, entre 1988 e 1989. Há dois anos, o Almanaque do Ferrão recuperou a primeira entrevista de Marcelo Veiga assim que se apresentou ao clube em janeiro de 1988, reproduzida também logo abaixo.

No vídeo atual, Marcelo manda também um abraço para o treinador Lula Pereira, que continuará no Ferroviário na próxima temporada na função de coordenador técnico. Lula foi um dos principais incentivadores na vinda do paulista Nilton Ramos para a presidência coral com o intuito de tentar recuperar o prestígio do clube no cenário nacional. Curiosamente, Lula Pereira e Marcelo Veiga foram adversários no final da década de 80 no futebol cearense. Lula era o técnico do Ceará na partida histórica que o alvinegro marcou 5×1 em cima do Ferroviário no tempo normal, mas que perdeu na prorrogação por 2×0 com uma apresentação brilhante de Marcelo Veiga dentro de campo. Desejando que as palavras de Marcelo Veiga se concretizem na nova fase coral, resgatamos abaixo os dois gols do Ferrão na prorrogação daquela grande partida em 1988, na narração de Vilar Marques e Júlio Sales, ambos da então equipe esportiva da Rádio Uirapuru de Fortaleza. Vilar narrou o primeiro tempo da prorrogação e Júlio narrou o segundo tempo. Recorde.

SEGUNDA DIVISÃO VAI SER RESOLVIDA NAS BARRAS DA JUSTIÇA

Os resultados do Ferroviário foram dentro de campo, mas a justiça deve chegar só nos tribunais

Tinha tudo pra ser uma volta à primeira divisão em grande estilo. Foram 43 pontos conquistados dentro de campo, ataque mais positivo, melhor média de público, artilheiro da competição, melhor saldo de gols e uma série de pontos positivos. Porém, em meio a uma sequência suspeita de WO´s verificados na reta final da segunda divisão, o Alto Santo saiu da quarta colocação e terminou a fase classificatória em segundo lugar, com um ponto a mais que o time coral. O Ferrão, com sua grande campanha, ficou em terceiro. O Horizonte, primeiro colocado, terminou com 3 pontos a mais que o Tubarão da Barra, exatamente a diferença de pontos conquistada também em razão de uma partida que terminou em WO, ainda no início da competição. Em meio a tantos jogos decididos fora de campo, o Ferroviário busca na justiça o seu retorno à elite cearense. Além disso, o Alto Santo colocou um jogador irregular em seu último jogo da competição, mais uma briga que vai parar nas barras judiciais. As chances corais são excelentes, porém é preciso ficar ligado nos bastidores tradicionalmente imundos do futebol cearense.

Valdeci: destaque do campeonato

Foi um campeonato duro para o Ferroviário, que se acostumou a viver em grave crise financeira como a imensa maioria dos times brasileiros. Nomes como o experiente zagueiro Erandir, o jovem defensor Túlio, o bom volante Jonathas, os meias Diego Silva e Da Silva, além dos atacantes Roney e Valdeci, fizeram uma ótima competição. Sem dúvida, o campeonato deu principalmente ao jovem Valdeci a condição de pensar em melhoras na sua carreira. A toda hora surgem notícias do interesse de outros clubes no jogador, que em julho de 2013 fez sua primeira partida pelo time profissional lançado pelo então treinador Julinho Camargo, num amistoso contra o Sindicato dos Atletas, no Elzir Cabral. O futuro do clube é incerto como o de Valdeci. Pela primeira vez, desde 2010, quando foi criada a Taça Fares Lopes como competição para o segundo semestre, o Ferroviário não participará alegando dificuldades financeiras. O fato do clube não ter pelo menos uma equipe Sub-20 para a disputa chega a ser preocupante. O foco estará nas barras da justiça e nas eleições que podem ser antecipadas. E o pensamento a todo momento na primeira divisão em 2017.

FERRÃO GOLEIA DE LARANJA SOB AS BENÇÃO DE UM GÊNIO DO FUTEBOL

cruyff

Lendário Johan Cruijff na Copa de 1974

As velhas coincidências da vida. Ao adotar a camisa laranja como seu terceiro uniforme para a temporada de 2016, o Ferroviário jamais poderia imaginar que, mesmo indiretamente, homenagearia um dos maiores gênios do futebol mundial. Johan Cruijff, o líder do carrossel holandês que encantou o mundo da Copa de 1974, faleceu na última quarta-feira, dia 24, no mesmo dia que o Ferrão goleou o Itapajé por 5×2, atuando mais uma vez exatamente com o modelo semelhante ao utilizado pela seleção holandesa. Foi a quarta vitória consecutiva do time coral atuando com seu terceiro uniforme, o que para muitos já é motivo até de superstição. Coisas do futebol, dirão alguns.

O vídeo acima apresenta os gols da partida do Ferroviário contra o Itapajé. Aos poucos, o Tubarão da Barra vai marchando célere em busca do objetivo maior que é retornar para a primeira divisão do futebol cearense. A caminhada é árdua e complicada, mas sob a supervisão de Lula Pereira e o comando técnico de Fernando Filho, o sonho não é impossível. A competição nem chegou ainda a sua metade e o Ferroviário já igualou o número de pontos alcançados em todo o campeonato no ano passado. É por causa da camisa laranja, dirão os mais fanáticos. E ainda mais agora, sob as bençãos de um ícone do futebol que partiu. Que a genialidade de Cruijff inspire a garotada da ´Laranja Coral`.

APÓS 22 ANOS: NOVA GOLEADA POR 6×0 JOGANDO FORA DE CASA

1377607_10208791718053271_8209847383768889135_n

Jogadores corais vestidos com o uniforme laranja rezam após a partida de ontem em Barbalha

E o Ferrão continua sua luta para voltar à primeira divisão do campeonato cearense. Ontem, vestindo novamente o seu terceiro uniforme na cor laranja, o Tubarão da Barra massacrou o Barbalha, fora de casa, pelo placar de 6×0. Uma vitória na casa do adversário com um resultado tão esmagador não acontecia na vida coral desde 1994, quando o Ferroviário aplicou o mesmo placar em cima do Itapipoca atuando no Estádio Perilo Teixeira, em noite que consagrou o artilheiro Batistinha com 4 gols marcados. Além dele, Acássio e Basílio também assinalaram. Ontem, no Estádio Inaldão, na região do Cariri, foi a vez de brilhar a estrela do atacante Roney, com 3 gols marcados, além do meia Diego Silva, que conseguiu a façanha de encaçapar 2 gols de falta no mesmo jogo. O atacante Maxuell, de pênalti, fechou a contabilidade do placar. Foram exatamente 1.011 jogos de diferença entre o feito de 1994 e o de 2016. Ai é Ferrão, meu filho!

FERRÃO VOLTOU A ENFRENTAR O IGUATU APÓS QUASE 20 ANOS

Veja os gols acima. Apesar da indefectível camisa laranja, é o Ferroviário em campo. Depois do uniforme dourado em 2015, o time coral voltou a inovar e estreou ontem o novo terceiro uniforme. Pelo menos esse ano, podemos chamar o Ferrão de ´Laranja Coral`. Porém, o mais importante foi a terceira vitória em quatro partidas já disputadas pela segunda divisão do campeonato cearense, um passo importante no objetivo maior que é voltar à divisão de elite local. E depois de quase 20 anos, o Tubarão da Barra reencontrou o Iguatu, que andou meio sumido, extinto, fundado novamente e retornou à prática do futebol profissional há apenas seis anos. Foi no campeonato estadual de 1997 que as duas equipes se enfrentaram pela primeira vez, no dia 9 de março, no estádio Morenão em Iguatu. Depois, um novo confronto em 26 de junho daquele ano, no PV. 0x0 no primeiro jogo e vitória coral por 3×1 na segunda partida, gols dos conhecidos Reginaldo, Santos e Dino. Ontem, os talentosos Valdeci e Roney marcaram gols e entraram para a galeria dos confrontos entre Ferrão e Iguatu, naquele que foi apenas o terceiro jogo da história entre os dois times. Uma excelente vitória, sem dúvida. E viva a Laranja Coral.

LULA PEREIRA ESTÁ DE VOLTA AO FERROVIÁRIO 23 ANOS DEPOIS

Antes tarde do que nunca! Depois de 23 longos anos, Lula Pereira está de volta ao Ferroviário. Recorde no vídeo acima duas matérias com o então treinador do clube durante o campeonato cearense de 1993, ele que foi um dos principais responsáveis pelo processo de reestruturação do Tubarão da Barra naquela ocasião, culminando com o bicampeonato coral nos dois anos seguintes. O Ferrão deu a Lula a primeira grande oportunidade como técnico de futebol e foi o pontapé inicial de uma vitoriosa carreira que envolveu times como Figueirense/SC, Bahia/BA, Flamengo/RJ, América/MG, etc. Na semana passada, ele acertou seu retorno, dessa vez na função de coordenador técnico, e tem tudo para emprestar novamente sua competência na missão de reestruturar o clube e colocar seu nome novamente na história coral, ajudando-o a retornar para a primeira divisão do futebol cearense. Mas, você recorda a passagem de Lula Pereira em 1993?

Lula-Pereira-Foto-Cleber-Mendes_LANIMA20120217_0103_26

Lula Pereira apostou na própria carreira ao deixar o Ceará e treinar o Ferroviário em 1993

Em março de 1993, ele tinha apenas 36 anos de idade quando aceitou o desafio de abandonar as categorias de base do Ceará e assumir um abalado e desmoralizado Ferroviário, que vinha de um revés histórico de 9×1 sofrido contra o próprio time alvinegro. Lula indicou novos reforços e reformatou o elenco coral dentro da competição. Nomes desconhecidos como Acássio, Clemer, Itamar, Narcízio, Branco, Zedivan, Lima, Márcio, entre outros, passaram a ser contratados e, em três meses, o Ferrão já chegava na final do segundo turno do campeonato cearense. Até agosto daquele ano, foram 28 jogos comandando o Tubarão da Barra, sendo 12 vitórias, 7 empates e 9 derrotas. Lula Pereira não deu títulos ao clube, mas devolveu-lhe a competitividade e – o mais importante – a honra de time grande que disputava pau a pau com seus principais rivais. Deixou o clube após o Estadual e construiu uma carreira vitoriosa. Que o ano de 2016 possa contar com tudo de positivo que aconteceu em 1993, pois será importante para o Ferroviário e para o futebol cearense em geral. O elo de ligação entre esses dois longos períodos na história responde certamente pelo nome de Lula Pereira.