RECORDE UM GRANDE CLÁSSICO DA CORES DISPUTADO EM 1990

Já que hoje tem mais uma edição do famoso ´Clássico das Cores`, que tal recordar um jogão entre Ferroviário e Fortaleza que ficou no passado? Voltamos para um domingo, como hoje, só que no dia 2 de dezembro de 1990. Confira no vídeo acima os melhores momentos e entrevista de uma vitória sensacional em cima do Leão. O jogo foi duro, o Fortaleza dominava, mas nos quinze minutos finais o Ferrão botou as unhas de fora e marcou dois gols por intermédio de Ademir Patrício e Magno. Era a partida 2.356 da história do Ferroviário, válida pelo hexagonal decisivo do 1º turno do Estadual de 1991, que começou antecipadamente no segundo semestre de 1990. Treinado por Humberto Maia, o experiente time do Tubarão da Barra venceu com Robinson, Jaime, Valdecy, Celso Gavião e Nílton; Toninho Barrote, Basílio (Júnior Piripiri), Jacinto (Ademir Patrício) e Cantareli; Magno e Jorge Veras. Já o Fortaleza, do técnico Pedro Basílio, perdeu com Salvino, Expedito, Paulo Marcelo, Ronildo e Osmanir; Alberto, Alves, Eliézer e Aurélio (Marquinhos Paulista); Sílvio (Auro) e Julinho. Nunes Sales foi o árbitro do jogo, que teve um público de 6.000 pagantes. Dos jogadores que defenderam o Ferrão em 1990, o ex-atacante Jorge Veras, ídolo eterno do time coral, está novamente na Barra do Ceará depois de quase 11 anos. Ele é o auxiliar técnico do treinador Marcelo Vilar, outro que retorna ao Ferrão, onde foi treinador na temporada de 1999. Boa sorte para todos!

VITÓRIA, TAÇA, MINISTROS, LAMBADA E TUDO MAIS NO ESTÁDIO CASTELÃO

Recentemente, o estádio Castelão completou 43 anos de inauguração, porém isso pouco foi falado na mídia cearense. Em homenagem ao principal estádio de Fortaleza, batizado de Arena Castelão após grande reforma para a Copa do Mundo no Brasil, o Almanaque do Ferrão recupera acima as imagens de uma vitória coral que lhe valeu uma taça alusiva ao aniversário de 17 anos daquele equipamento esportivo. Aconteceu no dia 11 de novembro de 1990 e o adversário foi o Ceará pelo campeonato cearense do ano seguinte, que começou adiantado ainda em 1990, em razão da falta de calendário nacional para as equipes locais. Os gols do Ferrão foram de Gilmar Furtado, Ademir Patrício e Magno. Era a época da lambada como febre nacional e o centroavante coral arriscou uns passos com o lateral direito Jaime após a marcação do terceiro gol do Tubarão da Barra.

Zélia Cardoso de Mello e Bernardo Cabral: o que essa foto tem a ver com os gols do Ferroviário?

O jogo teve a arbitragem de Dacildo Mourão, que expulsou o meio campista Lira após falta em Toninho Barrote. Apenas 5.495 pagantes prestigiaram a partida no Castelão naquela tarde de domingo. Confira a escalação ofensiva do Ferroviário sob o comando do técnico Humberto Maia: Robinson, Jaime, Valdecy, Gilmar Furtado e Soares (Evilásio); Toninho Barrote, Cantareli e Basílio; Magno, Ademir Patrício (Jacinto) e Jorge Veras. O Ceará, do treinador Walmir Louruz, perdeu com Sérgio Monte, Caetano, Aírton, Oliveira Canindé e Paulo César; Carlos Alberto Borges, Gilmar Paggoto (Gerson Sodré) e Lira; Aloísio (Dadinho), Hélio e Claudemir. Aloísio foi o autor do gol alvinegro logo no início da partida. A vitória coral foi de virada e os três gols do Ferrão saíram ainda no primeiro tempo. Ao final do vídeo, assista entrevistas ainda no gramado com o jogadores Cantareli, Jorge Veras, Magno e Gilmar Furtado, que recebeu a taça como capitão. Na entrevista de Magno após o jogo, o polêmico atacante dedicou seu gol ao casal ´Bernardo Cabral e Zélia Cardoso de Mello`, ambos ministros do então governo do presidente Collor, que viviam um caso amoroso apesar dele ser casado, fato amplamente explorado pela imprensa na ocasião. Anos depois, ela tornou-se a esposa do saudoso simpatizante coral e consagrado humorista Chico Anysio. Tempo de um futebol nada politicamente correto.

PRIMEIRO JOGO OFICIAL NOTURNO NO ELZIR CABRAL FAZ ANIVERSÁRIO

barra

Imagem que mostra o sistema de refletores do Elzir Cabral na forma como foi inaugurado em 90

Hoje é aniversário do primeiro jogo oficial noturno na Barra do Ceará. Foi em 1990, exatamente no dia 27 de janeiro. Já mostramos por aqui a cerimônia de inauguração dos refletores, que contou inclusive com a presença de Ricardo Teixeira, então presidente da CBF, porém nunca foi feito menção ao primeiro jogo oficial iluminado a partir daquele novo sistema. Ele aconteceu na partida inaugural do Estadual daquele ano e o Tiradentes foi o adversário. Surpreendentemente, o Tigre bateu o Tubarão por 1×0 dentro de seus domínios e estragou a festa do Ferroviário, que tinha várias novidades em sua equipe, entre elas a dupla Gilson Baiano e Rocha, artilheiros implacáveis no Treze/PB em 1989.

rochaatacante

Rocha: novo reforço para o Estadual 1990

Foi o jogo 2.317 da história coral, apitado por Luís Vieira Vila Nova, um dos árbitros mais famosos do futebol cearense e que foi lateral esquerdo do próprio Ferroviário no início dos anos 70. O gol do adversário foi marcado pelo veterano Ademir Patrício, que em seguida teve ótima passagem pelo Tubarão da Barra. Treinado pelo paulista Benê Ramos, o Ferrão jogou com Carlinhos, Everaldo, Luís Oliveira, Gilmar Furtado e Caetano; Toninho Barrote, Jacinto (Marcos Ubajara) e Gilson Baiano; Mardônio, Rocha e Mirandinha. O Tiradentes venceu com Albertino, Aírton, Batista, Joãozinho e Osmanir; Carlos (Flávio), Silmar e Modali; Aloísio, Ademir Patrício (Néo) e Marcelo. Aquele revés para o Tigre era apenas prenúncio das dificuldades que se seguiram durante o restante da competição e o Ferroviário só conseguiu a primeira vitória no Estadual em meados de março. A dupla Gilson Baiano e Rocha ficou pouco na Barra. Ambos viraram treinador após a aposentadoria nos gramados. Rocha faleceu em 30 de dezembro de 2007 na Bahia.

MÁRIO JARDEL E CELSO GAVIÃO SE REENCONTRAM EM PARTIDA FESTIVA

celsojardel2015

Ídolos corais em Fortaleza

Responda rápido: Celso Gavião e Jardel jogaram juntos no Ferroviário? Não? A foto ao lado foi tirada ontem em Fortaleza. Foi um jogo festivo que reuniu ex-atletas do futebol cearense, aproveitando a passagem de Jardel pelo estado do Ceará, ele que atualmente é deputado estadual no Rio Grande do Sul. Celso Gavião foi campeão cearense em 1979 pelo Ferrão. Jardel tinha apenas 6 anos na ocasião. Em comum, o fato de terem defendido o Vasco/RJ e o Porto. Mas se você acha que eles nunca jogaram juntos, se enganou redondamente. Ambos fizeram parte do elenco coral no finalzinho de 1990. Jardel, em início de carreira, entrou em 2 jogos naquele período. Celso Gavião, na reta final como jogador de futebol profissional, atuou em 6 partidas. Detalhe que o tempo pode tentar apagar, mas o Almanaque do Ferrão recorda pra você.

MATÉRIAS DA TV SOBRE A VOLTA DO GOLEIRO ROBINSON AO FERROVIÁRIO

Ari Bezerra, esse novo goleiro do Ferroviário veio da Seleção da Dinamarca?”, perguntou no ar o comentarista Chico Rocha na Rádio Uirapuru AM de Fortaleza na tarde do dia 26/6/1988. Era a estreia de Robinson, que usava um uniforme preto com mangas vermelhas, contrastando com seus cabelos nórdicos. A vitória de 1×0 em cima do América, no PV, era apenas o início de uma trajetória que o consagrou em dois momentos como um dos mais destacados goleiros da história coral. Foram 15 partidas em 1988 e suas grandes defesas ajudaram o Ferrão a conquistar o campeonato cearense daquele ano, despertando o interesse do Vitória/BA que o levou após a competição. Dois anos depois, em agosto de 1990, Robinson voltou a Barra do Ceará com fama de ídolo para a disputa antecipada do Estadual de 91 e foi vice-campeão do 1º turno, perdendo a final para o Fortaleza. Foram mais 20 partidas com a camisa coral naquela época. O Almanaque do Ferrão resgata abaixo duas matérias de televisão que enfocavam o retorno de Robinson ao Ferroviário em 1990. Viaje no tempo!