PRIMEIRO JOGO OFICIAL CONTRA TIME DE OUTRO ESTADO NA BARRA

Pouca gente recorda o nome do primeiro adversário coral de outro estado que enfrentou oficialmente o Ferroviário na Vila Olímpica Elzir Cabral. Os mais antigos dirão que foi o Alecrim/RN. De fato, a tradicional equipe potiguar foi a primeira de outro estado a pisar o solo da Barra do Ceará, em 1970, mas tratava-se de uma partida amistosa para inauguração do estádio coral, o que evidentemente foi um fato histórico. Porém, em caráter oficial, essa equipe foi o Flamengo/PI, em 24 de setembro de 1989, em jogo válido pela 1ª fase do campeonato brasileiro daquele ano. O Almanaque do Ferrão apresenta acima as imagens dos gols daquele jogo vencido pelo Tubarão da Barra por 2×0, tentos do ponta esquerda Paulinho e do centroavante Marquinhos, ambos cearenses.

Paulinho: belo gol na Barra

Aquele domingo à tarde contou com um público de 2.837 pagantes. Pelas imagens, percebe-se o excelente número de torcedores que foi ao estádio, porém em quantidade inferior que a abertura do Elzir Cabral para jogos oficiais, seis meses antes, contra o Guarani de Juazeiro. Nesse jogo do campeonato nacional, o de número 2.304 da história coral, o Ferrão venceu com o futebol de Osvaldo, Silmar, Arimatéia, Evilásio e Marcelo Veiga; Alves, Dias Pereira (Cacau) e Jacinto; Mardônio (Marquinhos), Luizinho e Paulinho. O Flamengo do Piauí perdeu com Ronaldo, Toinho (Duílio), Carlinhos, Bilé e Neto; Zuega, Peu e Malta; Batistinha, Etevaldo e Toby (Cláudio). Repare a presença do atacante Batistinha no ataque do Flamengo, ele que se tornaria um dos ídolos da história coral na metade da década seguinte. O jogador Marquinhos, que marcou o segundo gol, era oriundo do Tiradentes/CE e havia sido um dos artilheiros do campeonato cearense de 1988. Ele disputava a posição com o centroavante Luizinho, recém trazido do Avaí/SC, que fez apenas 6 jogos com a camisa coral. Marquinhos atuou apenas em 4 partidas. Paulinho, que marcou um belíssimo gol, ficou no clube até 1991 e fez 44 jogos pelo Ferroviário.

MATÉRIA DA TV GOIANA SOBRE ESTREIA CORAL NA COPA DO BRASIL

O Almanaque do Ferrão conseguiu recuperar mais um material raro da história coral. Trata-se da reportagem da emissora afiliada da Rede Globo de Televisão em Goiânia, por ocasião da estreia do Ferroviário na Copa do Brasil, em julho de 1989, contra o Goiás. Confira acima, na cobertura do repórter César Resende, as entrevistas do goleiro Barbiroto e do treinador Vanderley Paiva, na véspera da partida realizada no estádio Serra Dourada, no dia 19. O Goiás venceu por 1×0 na capital goiana e por 3×1 no jogo de volta, dia 22, em Fortaleza, despachando o time coral logo na primeira fase da competição, que estava sendo disputada pela primeira vez no futebol brasileiro. Ainda no vídeo acima, você confere o gol do lateral direito Caetano no estádio Presidente Vargas.

Mardônio atuou nos 2 jogos

A estreia do Ferrão na Copa do Brasil foi transmitida ao vivo pela TV Verdes Mares na noite do dia 19. O radialista Tom Barros foi o responsável pela narração da partida, que contou com vários problemas técnicos de áudio e imagem durante a transmissão. Além disso, em alguns bairros de Fortaleza, faltou energia durante o primeiro tempo do jogo. O Ferrão jogou com Barbiroto, Silmar (Caetano), Arimateia, Juarez e Marcelo Veiga; Gerson, Lira e Jacinto; Mardônio (Zé Carlos Paranaense), Cacau e Edelvan. O Goiás, do famoso técnico Carlos Gainete venceu com Eduardo, Wallace Carioca, Gomes, Boni e Jorge Batata; Wallace Goiano, Fagundes e Péricles; Formiga, Wanderson e Josué. O centroavante Wanderson marcou o único gol do primeiro jogo. Por sua vez, no sábado à tarde, dia 22, nova vitória do time goiano por 3×1, dessa vez com gols de Wanderson, Niltinho e Wallace Carioca, o Ferrão formou com Barbiroto, Silmar, Arimateia, Djalma e Marcelo Veiga; Juarez, Alves e Jacinto; Mardônio (Caetano), Cacau e Edelvan. O Goiás formou com Eduardo, Wallace Carioca, Gomes, Boni e Jorge Batata; Fagundes, Péricles e Josué; Formiga (Richard), Wanderson (Niltinho) e Wallace Goiano. O público em Fortaleza foi de 2.202 pagantes. Até hoje, o Ferroviário realizou apenas 9 partidas no total pela Copa do Brasil.

ABRIL, ÁGUAS MIL: CHUVA, GOLS E ESCURIDÃO NO CASTELÃO EM 1989

Diz a velha crença popular que o mês de abril é pródigo em chuvas. Nada melhor para o nordeste, tradicionalmente tão castigado pela estiagem. Ao longo dos anos, vários foram os jogos do Ferroviário disputados nesse mês debaixo de chuva torrencial. O Almanaque do Ferrão volta hoje no tempo até abril de 1989 para recordar justamente uma vitória do Tubarão da Barra sob as intempéries do tempo. Assista o vídeo acima e compreenda a dureza que era disputar uma partida de futebol, mesmo no gramado do Castelão, diante de circunstâncias nada favoráveis. Teve até gol olímpico de Jacinto em cima de Ênio, ex-goleiro da Portuguesa de Desportos. Teve tento do nacionalmente famoso Joãozinho Paulista, o centroavante que dizia: ´Sobrou pro João é bola no cordão`. Teve apagão depois dos 30 minutos do 2º tempo e Dacildo Mourão deu o jogo por encerrado. Confira.

joaozinho2

Joãozinho Paulista: bola no cordão

Foi o jogo 2.277 da história coral. A vitória na chuva em cima do bom time do Tiradentes valeu o passaporte para a final do 1º turno do estadual de 89 contra o Ceará. O Tigre da PM tinha o experiente Caiçara como técnico e atuou com Ênio, Alexandre, Batista, William e Osmanir; Jarbas, Carlinhos Marechal e Adilton (Aloísio); Valdir, Marquinhos e Dias Pereira. Já o Ferrão, do treinador Erandy Pereira Montenegro, venceu com Albertino, Silmar, Arimatéia, Evilásio e Marcelo Veiga; Juarez, Alves e Jacinto; Osmarzinho, Joãozinho Paulista (Luís Carlos Gaúcho) e Cacau (Serginho). Era um time bom e experiente, mas que tinha o zagueiro Juarez improvisado na cabeça da área em razão de uma grave fratura na tíbia e no perônio, que tirou Toninho Barrote do campeonato. Mesmo com o temporal que banhou Fortaleza praticamente durante aquele domingo inteiro, um bom público de 3.974 pagantes prestigiou a partida. Tempo bom em que Ferroviário e Tiradentes jamais imaginariam flertar com a segunda divisão cearense. Abril, águas mil.

VOLTE NO TEMPO E CONFIRA A REAPRESENTAÇÃO CORAL EM 1989

Janeiro sempre foi tradicionalmente um mês de início de preparativos para uma nova temporada. Hora de reapresentação do elenco, da chegada de novos reforços e de renovação das expectativas em busca de vitórias em campo e conquistas importantes. Nesse retorno de ano novo, o Almanaque do Ferrão convida você a viajar no tempo até janeiro de 1989 e recordar a volta às atividades profissionais do então campeão cearense de futebol, que trazia Erandy Pereira Montenegro como treinador e o atacante Cacau, ex-Guarany de Sobral e Ceará, se apresentando pela primeira vez no Elzir Cabral, ele que mais tarde escreveria seu nome na história como artilheiro máximo do Estadual daquele ano. Uma boa oportunidade também para ver, de forma pioneira nesse espaço, um descontraído Vicente Monteiro, que ocupava a direção de futebol. Além da divulgação da contratação de Cacau, o lateral esquerdo Marcelino, ex-Fortaleza e Guarany de Sobral, também é anunciado, porém dias depois a negociação foi cancelada. Curta por enquanto essa raridade e aguarde muitas novidades na temporada 2016 do nosso blog.

TREINADOR MARCELO VEIGA É CAMPEÃO BRASILEIRO MAIS UMA VEZ

12227675_10205360440549902_774201551537117811_n

Marcelo Veiga, que já foi lateral esquerdo e técnico do Ferrão, é campeão brasileiro novamente

Há três semanas, uma postagem aqui no Almanaque do Ferrão preconizou que a final da Série D do campeonato brasileiro poderia envolver dois treinadores que já passaram pelo Tubarão da Barra. Dito e feito. Depois de dois confrontos acirrados, Botafogo/SP e River/PI fizeram na noite de ontem, em Teresina, o último jogo da disputa. Depois de vencer em Ribeirão Preto, na semana passada, por 3×2, o time paulista segurou o empate em 0x0 e garantiu a conquista, o segundo título nacional na carreira de técnico de Marcelo Veiga, que já havia conquistado a Série C, em 2007, à frente do Bragantino/SP.

O jogo foi transmitido ao vivo pelo canal Esporte Interativo e os antigos confrontos de Marcelo Veiga e Flávio Araújo, em 1988, quando um era lateral do Ferroviário e o outro volante do Ceará, destacados em nosso blog foram citados na cobertura da televisão. Outro fato curioso que o Almanaque do Ferrão não deixa passar despercebido é que em 14/10/89, Marcelo Veiga jogou em Teresina pelo Ferroviário contra o próprio Ríver/PI e perdeu o jogo por 2×0. Ontem, 26 anos e 1 mês depois, retornou à capital piauiense e a colocou definitivamente a cidade como um lugar de boas lembranças em sua carreira. Eleito o melhor lateral esquerdo da história do Ferroviário em recente enquete promovida pelo clube, Marcelo Veiga defendeu o time coral entre 1988 e 1989, saindo para o Santos/SP ao final do contrato, onde atuou por várias temporadas. No ano passado, resgatamos uma matéria raríssima com a primeira entrevista de Marcelo Veiga logo quando chegou a Barra do Ceará. Em homenagem ao mais novo campeão brasileiro da atualidade, ela está sendo novamente reproduzida abaixo. Parabéns, campeão!

O DIA QUE O ATAQUE CORAL FOI MAIS EFICIENTE QUE O DA ALEMANHA

cacau

Cacau: artilheiro coral em 1989

Todo mundo lembra do massacre alemão em cima da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2014. Entre os 23 e 29 minutos do primeiro tempo, saíram 4 gols alemães. Sem dúvida, os 6 minutos mais humilhantes do futebol nacional. A ira do ataque da Alemanha remete à situação semelhante ocorrida com o Ferroviário Atlético Clube no campeonato cearense de 1989. Foram 4 gols corais em apenas 5 minutos contra o Quixadá, no dia 8 de julho daquele ano. Depois de um primeiro tempo em branco, o Ferrão voltou para o segundo tempo em ritmo arrasador e conseguiu o feito de já vencer por 4×0 aos 5 minutos da etapa final. Aos 9 minutos, mais um gol, o último da goleada de 5×1. Algo memorável, histórico e impressionante. O jogo aconteceu no Estádio Elzir Cabral e o Tubarão da Barra contava com o atacante Cacau, artilheiro do certame, que assinalou 3 tentos naquela tarde. Os outros foram marcados pelo ponta esquerda Edelvan, ex-Santos/SP, e pelo ponta direita Mardônio.

wandpaiva

Vanderley Paiva

Treinado por Vanderley Paiva, um ex-meia consagrado no país por belíssimas atuações com as camisas do Atlético/MG, Ponte Preta/SP e Palmeiras/SP na década de 70, o Ferroviário formou naquele jogo histórico com o futebol de Barbiroto, Silmar (Caetano), Arimatéia, Djalma (Luís Carlos Gaúcho) e Marcelo Veiga; Juarez, Lira e Jacinto; Mardônio, Cacau e Edelvan. O Quixadá, do conhecido técnico José Leudo, foi massacrado com Dedé, Euritônio, Neto, Zuca e Roberto; Batista (Newton), Ribas e Ernando (Armando); Rildo, Betinho e Rivando, que marcou o gol de honra do time da terra da galinha choca. Foi o jogo 2.291 da história coral, que contou com um público pagante de 1.060 pessoas e teve Dacildo Mourão como árbitro. O Almanaque do Ferrão recuperou o áudio daquela incrível performance do ataque coral. Escute abaixo a sensacional narração de Cleiton Monte pela Rádio Assunção 620 AM de Fortaleza. É simplesmente de arrepiar. São 4min17s de pura emoção.

RICARDO TEIXEIRA EM VISITA AO ESTÁDIO DO FERROVIÁRIO EM 1989

As notícias do futebol mundial não são nada positivas na atualidade. Em meio à onda de corrupção, ilicitudes e prisões que envolvem dirigentes famosos do Brasil e da própria FIFA, várias personalidades ligadas à administração do futebol são colocadas na berlinda e nomes como o de Ricardo Teixeira é invariavelmente citado. Ele foi presidente da Confederação Brasileira de Futebol entre 16/01/1989 e 12/03/2012. O que pouca gente recorda é que, ainda no primeiro ano de sua gestão, exatamente em dezembro de 89, ele visitou o estádio do Ferroviário e participou da cerimônia de inauguração das torres de iluminação que garantiam ao clube, pela primeira vez na história, a chance de realizar jogos noturnos em sua própria casa. Era o fechamento com chave de ouro da gestão do presidente Domar Pessoa. O Almanaque do Ferrão recuperou o vídeo daquele momento emblemático na vida do clube e o disponibiliza agora para a torcida coral, mostrando o prestígio que o Ferroviário Atlético Clube possuía naquele momento junto a Federação Cearense de Futebol e CBF, o que apenas comprova que relacionamento e competência caminham de mãos dadas quando se busca o sucesso e a grandeza de momentos como os agora eternizados no resgate do vídeo acima.

GOL LENDÁRIO DE MARCELO VEIGA NO DIA DO SEU ANIVERSÁRIO

marceloveigaemcampo2

No duelo contra o Ceará de Gerson Sodré, o lateral Marcelo Veiga marcou um gol de falta lendário

Existem gols que são eternos pela importância da partida ou pela beleza plástica do lance. O vídeo abaixo retrata um deles no jogo 2.306 da história do Ferroviário. Numa batida de falta praticamente do meio de campo, Marcelo Veiga desmoralizou o goleiro Sérgio Monte do Ceará. Foi em 7/10/1989 em partida válida pela campeonato brasileiro, no PV, exatamente no dia que o lateral esquerdo coral comemorava seu aniversário de 25 anos. O gol foi um presente para a torcida do Ferrão e um colírio para sempre recordar.

Naquele sábado à tarde, o técnico Lucídio Pontes escalou um Ferrão bem ofensivo com Osvaldo, Silmar, Arimatéia, Evilásio e Marcelo Veiga; Alves, Marquinhos (Toninho Barrote) e Jacinto; Mardônio (Aloísio), Luizinho e Paulinho. O Ceará tinha César Moraes no comando técnico e jogou com Sérgio Monte, Mário, Belterra, Cláudio e Paulo César; Beto Cruz, Gerson Sodré e Santos; Márcio, Luís Carlos e Magno (Oliveira Canindé). O jogo foi 1×1 e Santos fez o gol do alvinegro. Recorde abaixo o gol lendário de Marcelo Veiga.

IMAGENS DE FERRÃO X RIVER/PI PELO CAMPEONATO BRASILEIRO DE 1989

O futebol é cíclico. Depois de anos esquecido nacionalmente e envolto à problemas políticos no Piauí, o tradicional River encerrou recentemente sua participação na Copa do Nordeste, um dos campeonatos mais rentáveis atualmente no futebol brasileiro. Por sua vez, o Ferroviário Atlético Clube pena na segunda divisão cearense e já amarga 20 anos sem títulos. O Almanaque do Ferrão resgata hoje as imagens de um confronto entre ambos, no dia 13/9/1989, quando o Tubarão da Barra marcou 3×0 em jogo válido pelo campeonato brasileiro da Série B daquele ano, mesma divisão que estavam Ceará e Fortaleza em âmbito nacional.

Foi o jogo de número 2.302 da história coral. Treinado pelo competente Lucídio Pontes, o Ferrão jogou com Osvaldo, Silmar, Arimatéia, Evilásio e Marcelo Veiga; Eudes, Alves e Dias Pereira; Mardônio, Luizinho e Paulinho. Essa partida marcou a estreia, com gol, do atacante Luizinho, um catarinense envolvido na negociação do meio campista Lira com o Avaí/SC. Marcelo Veiga e Mardônio marcaram os outros gols naquela noite. O River perdeu com China, Valdinar, Léo, Zezé e Didi; Luis Eduardo, Miolinho (Robson) e Paulinho Piauí; Hélio Rocha, Zé Augusto e Cacá. Deles, China e Léo já haviam defendido a camisa coral, e Paulinho Piauí chegaria para o Ferroviário dois anos depois. Direto do baú de imagens do Almanaque do Ferrão.

TORNEIO CIRO GOMES: EMPATE HISTÓRICO E CONQUISTA NOS PÊNALTIS

Ferroviário e Ceará fizeram há exatos 26 anos um dos jogos mais emocionantes entre todos os seus confrontos. Era a final do Torneio Ciro Gomes, competição organizada pelos clubes que se encontravam em litígio político com o comando da Federação Cearense de Futebol. O alvinegro vencia por 1×0 até os 43 minutos do 2° tempo e sua torcida já comemorava o título. O Ferrão empatou com o zagueiro Arimateia, após um passe do meia Zé Carlos Paranaense e um toquinho de cabeça do atacante Mardônio, levando a decisão para os pênaltis. Uma bola na trave e uma defesa do goleiro Albertino, recentemente falecido, selaram a conquista coral por 4×2. Vitória dos comandados de Erandy Pereira Montenegro. O Almanaque do Ferrão resgata agora as imagens daquele domingo, dia 5 de março de 89. Confira o gol de empate, a decisão nos penais, a invasão e violência provocada pela torcida derrotada, a opinião do então prefeito Ciro Gomes, uma entrevista com o ponta esquerda Paulinho, eleito o melhor em campo, e os comentários de Sérgio Pinheiro da TV Verdes Mares.