NARRAÇÃO HISTÓRICA NO DIA DO TÍTULO DE CAMPEÃO BRASILEIRO

Registro do dia que o Ferroviário Atlético Clube conquistou o maior título de sua gloriosa história

Feliz aniversário, Ferrão! O áudio acima é um registro especial para marcar mais uma comemoração do nosso querido Ferroviário Atlético Clube. No momento em que chegamos aos 87 anos do clube, escute com atenção e guarde essa gravação no coração. O material diz respeito ao dia que o Tubarão da Barra conquistou o maior título de sua história, no qual o consagrado narrador Gomes Farias, ao empunhar o microfone da Jovem Pan News 92,9 FM, fazia a transmissão do jogo final da Série D nacional contra o Treze/PB, em Campina Grande. São 11 minutos de narração que estão agora eternizados no Almanaque do Ferrão. Durante esse tempo, Gomes Farias descreve não somente os momentos finais da partida, mas também recorda nomes grandiosos e famosos que sempre estiveram historicamente vinculados ao Tubarão da Barra, como a escritora Rachel de Queiroz, os ex-dirigentes Vicente Monteiro, Clóvis Dias, José Rego Filho, Ruy do Ceará, Chateaubriand Arrais, Caetano Bayma, Carlos Mesquita, Edilson Sampaio e Frota Melo, entre tantos outros corais como Valdemar Caracas, Dona Filó, Zé Limeira, Assis Carvalho, Aderson Maia, Gilson Bruno, etc.  Junior Marquezine, setorista da emissora, enfatiza também a importância da dupla Walmir Araújo e Francisco Neto na grande conquista nacional. O radialista Flávio Moreira é outro que participa da transmissão. Feliz aniversário, querido Ferrão!

A MAIOR GOLEADA CORAL EM CIMA DO GUARANY-S FAZ ANIVERSÁRIO

Time base do Ferrão no campeonato de 1969

Ferroviário e Guarany de Sobral sempre fizeram jogos bastante duros e equilibrados. Raramente é verificado uma goleada a favor de um ou de outro. Porém, no campeonato cearense de 1969, exatamente num 7 de maio como hoje, o Tubarão da Barra humilhou o Cacique do Vale com uma sonora goleada por 8×0. O jogo foi no PV e teve a arbitragem de Adélson Julião, perante 1.395 expectadores. Foi um show de gala coral já no primeiro tempo da partida, que terminou com seis gols marcados. Era a estreia oficial do técnico Luís Veras, substituto em definitivo de um irritado Moésio Gomes, expulso na rodada anterior contra o Quixadá por agredir o bandeirinha Assis Furtado. O novo treinador lançou o Ferrão com o futebol de George, Ribeiro (Breno), Gomes (Wilson Cruz), Luiz Paes e Roberto Barra-Limpa; Edmar e Coca Cola; Mano, João Carlos, Alcy e Paraíba. Treinado por Aracati, o Guarany foi humilhado com Maximino (Pinto), Zé Carlos, Pelado, Zé Quinto e Cabo Dulce; Dajuana e Moisés; Nagibe, Teco Teco, Cabeção e Garrincha. Esse é até hoje o maior vexame do time sobralense diante do Ferrão. O goleador João Carlos foi o goleador da peleja com 3 tentos, acompanhado de Paraíba, que marcou 2 gols. Os outros tentos foram anotados por Alcy, Mano e Coca Cola. O ponto negativo ocorrido depois da goleada foi o protesto dos torcedores do Ferroviário junto à diretoria contra a negociação do atacante João Carlos para o Bahia/BA. Na sequência dos acontecimentos, a direção coral deu uma resposta à altura e investiu pesado. Em seu lugar, foi contratado o atacante Uriel, um dos maiores jogadores do futebol pernambucano. Mas ai já é outra história.

ALMANAQUE AGORA COM CONTEÚDO EXCLUSIVO TAMBÉM NO INSTAGRAM

Almanaque do Ferrão no Instagram com conteúdo transmídia, unindo-se ao Facebook, livro e blog

Cinco anos depois de inaugurar uma página exclusiva para distribuição de conteúdo no Facebook, o Almanaque do Ferrão chegou no Instagram no último mês de abril. Além da versão impressa lançada em 2013 e do próprio blog com histórias vivas da trajetória coral, a intenção é apostar numa comunicação transmídia através de mais uma rede social e promover ainda mais o processo de transmissão de conteúdos exclusivos ou as próprias linhas de história para o grande público a partir do uso planejado e integrado de múltiplas plataformas de mídia. O procedimento é ao mesmo tempo uma técnica e uma filosofia contemporânea da comunicação e propicia a extensão da marca ´Almanaque do Ferrão`, enriquecendo o ciclo de vida de conteúdos criativos. Aguardamos você agora também no Instagram! É só seguir e curtir as postagens!

VITÓRIA SENSACIONAL DE VIRADA CONTRA O GUARANI-J EM 1988

O Guarani de Juazeiro tinha um bom time em 1988. No dia 7 de abril daquele ano, encarou o forte time do Ferroviário dentro do PV e abriu o placar com um gol de Ossilon. O vídeo acima merece ser visto com atenção, apesar do áudio desgastado pelo tempo de mais de três décadas. Os 2.950 corais presentes ao jogo lembram dessa virada sensacional, construída nos últimos sete minutos de jogo. Aos 38 minutos do 2º tempo, Jacinto faz um lançamento primoroso para Denô, que mostra toda sua maestria ao dividir o lance com o goleiro Jorge Pinheiro para fazer 1×1. O ídolo Luizinho das Arábias vai buscar a bola no fundo do gol do Guarani para reiniciar logo o jogo, pois o Ferrão queria a virada. Aos 44 minutos finais, Carlos Antônio faz boa jogada e passa a bola para Marcelo Veiga. O lateral chuta mascado, mas a bola sobra para Luizinho das Arábias, que conclui para o gol. Jorge Pinheiro salva com o pé, mas a redondinha volta nos pés do craque Jacinto, que fuzila para marcar o gol da vitória.

Denô em foto antes da grande virada

Repare na grande emoção que tomou conta dos jogadores em campo e da torcida coral nas arquibancadas do PV. A partida foi arbitrada por José Camelo. Treinado por Ramon Ramos, o Tubarão da Barra venceu com Serginho, Láercio, Arimatéia, Djalma e Marcelo Veiga; Toninho Barrote, Arnaldo (Jacinto) e Denô; Mazinho Loyola, Luizinho das Arábias e Beto Andrade (Carlos Antônio). O Guarani, do técnico Zé Carlos, perdeu com Jorge Pinheiro, Hélio, Hélio Silva, Jeová e Zim; Muller, Ossilon (Hamilton) e Zé Carlos Paranaense; Caçote, Ailton (Esquerdinha) e Reginaldo Barbalha. Foi realmente uma vitória magistral, mais um grande resultado conquistado por uma equipe que, exatos cinco meses depois, conquistaria o título estadual de forma incontestável em cima do Fortaleza no Castelão. Sem dúvidas, o campeonato estadual de 1988 foi uma das disputas mais acirradas já vistas no futebol cearense em seus mais de 100 anos de existência.

HÁ EXATOS 45 ANOS, O ÚLTIMO JOGO CONTRA O FAMOSO MAGUARI

Erandy: autor do gol coral

Foi num feriado de 1º de maio como hoje, mais precisamente na temporada de 1975, que o Ferroviário enfrentou oficialmente o Maguari pela última vez na história. Completam-se exatos 45 anos desde aquele empate em 1×1 em que Erandy marcou para o Ferrão e Danilo Baratinha empatou. Confrontos contra a tradicional equipe cearense foram comuns entre 1937 e 1946. Depois de um intervalo de 25 anos, o Maguari voltou a disputar o campeonato cearense da primeira divisão em 1972, abandonando para sempre a divisão de elite da competição em 1975. No último confronto contra o Clube dos Príncipes, o Tubarão da Barra era treinado por William Campos e foi a campo com Pedrinho, Nonato Ayres (Marinho), Lúcio Sabiá, Cândido e Eldo; Aucélio e Oliveira; Vanderley, Erandy, Lula e Jeová (Almir). Nota-se uma equipe bastante jovem, com vários jogadores egressos das categorias de base. Já o adversário, treinado pelo ex-goleiro coral Gilvan Dias, jogou com Mundinho, Ademir Feitosa, Luiz Paes, Wilkson e Valdecir; Zé Augusto (Dedé) e Nilsinho; Carlinhos (Cláudio), Danilo Baratinha, Navarro e Piçarra. Percebe-se um time experiente, com alguns garotos como o meia Danilo, emprestado pelo próprio Ferroviário. O jogo aconteceu no PV e, sem saberem, 1.415 pagantes prestigiaram aquele momento histórico. O falecido Cid Júnior foi o árbitro do jogo. 33 anos depois daquele feriado com cheiro de despedida, aproveitando o espólio histórico do tradicional Maguari, a equipe cintanegrina retomou suas atividade com a escrita de Maguary em 2008. Desde então, o Ferroviário fez 3 amistosos contra a renovada equipe: 10×0 em 2009, 2×1 em 2010 e 11×0 em 2013. Melhor lembrarem dos confrontos do passado, então.

FOTO HISTÓRICA PUBLICADA NO INSTAGRAM OFICIAL DO CRAQUE ZICO

Zico sobe pra cabecear acossado pelo zagueiro Júlio e sob o olhar atento do lateral Paulo Maurício

Zico foi um dos maiores jogadores que o futebol brasileiro já produziu. Vestindo a camisa do Flamengo/RJ, ele enfrentou o Ferroviário em 3 jogos oficiais, deixando uma marca expressiva de cinco gols marcados nas redes corais. Foram dois confrontos pelo campeonato brasileiro de 1982 e, antes, um jogo pelo brasileirão de 1980. Ontem, o ídolo brasileiro publicou em sua conta oficial no Instagram a foto acima, registrada no Maracanã em janeiro de 1982. Nela, podemos observar dois jogadores corais na partida: o zagueiro Júlio e o lateral direito Paulo Maurício. Os 3 jogos do Ferrão contra o Flamengo na história já renderam algumas postagens aqui no blog. A vitória rubro-negra por 2×1, no Rio de Janeiro, em 1980, já mereceu postagem especial e o VT completo da vitória por 3×0, também no Maracanã, em 1982, já apareceu por aqui há mais de 5 anos, assim como o vídeo da vitória do Flamengo por 2×1 no Castelão, no jogo da volta de 1982. Temos também em nosso acervo o áudio dos três gols desse jogo em Fortaleza. Qualquer dia a gente publica essa raridade também. Dos atletas corais na fotografia, os dois passaram pelo Tubarão da Barra também como treinador em temporadas posteriores. Paulo Maurício trabalhou como o técnico coral em 2001 e Júlio Araújo atuou entre o fim de 2011 e o começo de 2012, ambos sem sucesso.

ENCONTRO DE TIMES FERROVIÁRIOS NO BRASILEIRÃO COMPLETA 40 ANOS

No campeonato brasileiro de 1980, portanto há exatos 40 anos, o Ferroviário enfrentou uma equipe de origem ferroviária na segunda fase da competição. Foi a Desportiva do Espírito Santo, que venceu o primeiro jogo disputado na cidade de Vitória por 3×1 e, dentro do Castelão, também venceu pelo placar de 1×0, gol de Botelho. Acima, você confere o único gol do jogo em Fortaleza com imagens do programa dominical “Gols do Fantástico” da Rede Globo. Nunca mais as duas equipes voltaram a se enfrentar. Naquele domingo, o técnico interino José Oliveira mandou à campo a seguinte formação: Salvino, Antunes, Lúcio Sabiá, Nilo e Ricardo Fogueira; Celso Gavião, Jacinto (Serginho) e Bibi; Paulo Henrique, Almir e Geraldino Saravá (Hélio Sururu). Destaque para a presença de um grande artilheiro da história do Fortaleza no ataque coral: Geraldino Saravá, que fez apenas 5 jogos com a camisa do Ferrão. No Tubarão da Barra, os jogadores Antunes, Paulo Henrique e Serginho pertenciam ao Flamengo/RJ e estava emprestados. A Desportiva, do técnico Beto Pretti, jogou com Samuel, Toninho, Edson, Edmar e Vicente Paixão (Paulo Lampa); Evandro, Dario e Vicente Cruz; Botelho, Luís Cláudio e Zuza (Adauto). Além de Botelho, o destaque da equipe capixaba era o craque Vicente Cruz, camisa 10, que foi contratado pelo próprio Ferroviário para o campeonato brasileiro de 1982. O árbitro foi o carioca José Marçal Filho. O público foi de 2.597 pagantes naquele jogo realizado exatamente no mês de abril, quatro décadas atrás. E que beleza o corte do gramado do Castelão!