CONTEÚDO DO ALMANAQUE DO FERRÃO TAMBÉM ESTÁ NO FACEBOOK

divulgafanpage

Há exatamente dois meses o Almanaque do Ferrão ganhou uma fanpage no Facebook, a rede social mais famosa do mundo. É mais um espaço interativo criado para disseminação do conteúdo desse blog e também da versão em livro lançada em 2013. Se você não sabia desse novo espaço virtual, basta clicar aqui e ´CURTIR` a nossa página, passando a receber as informações das atualizações do blog, conteúdo exclusivo e outras novidades em sua própria tela de noticias do Facebook. Aguardamos você.

RECORDE O PONTA ESQUERDA MARCO ANTÔNIO NO FERROVIÁRIO

maiode81

Ferrão em 1981: Marco Antônio é o último jogador agachado da esquerda para a direita

Um dos jogadores mais famosos do futebol brasileiro que já vestiram a camisa do Ferroviário foi o ponta esquerda Marco Antônio, também conhecido como Marco Antônio Visgo nos tempos que defendeu o Corinthians/SP. Ele chegou a Barra do Ceará no ano de 1980, fez sua estreia  no mês de junho, e permaneceu exatamente um ano no clube. Ao todo foram 55 partidas e 11 gols com a gloriosa camisa coral segundo o Almanaque do Ferrão. O ex-atleta coral teve uma morte trágica, em outubro de 94, assassinado. Nunca se soube quem o matou. Sabe-se apenas que Marco Antônio se envolveu com drogas após sua aposentadoria nos gramados e, desde então, passou a viver uma vida não muito regrada abatido pelo ócio cotidiano. Chegou a ser enterrado como indigente e, posteriormente, reconhecido dignamente com a ajuda de amigos, entre eles, o ex-lateral Zé Maria, do Corinthians e da Seleção Brasileira.

47267O grande momento da carreira do ex-ponta coral foi no Corinthians/SP. Segundo o Almanaque do Timão, do jornalista Celso Unzelte, Marco Antônio disputou 160 partidas com a camisa do clube paulista entre 1970 e 1976. Jogou também no São Bento/SP, Londrina/PR e no Atlético/GO. No Ferrão, Marco Antônio esteve na grande maioria das vezes como titular no tempo que defendeu o clube. Na foto acima, num clássico contra o Ceará em maio de 81, ele aparece perfilado no time coral que tinha o uruguaio Juan Álvarez como técnico e que formou com Procópio, Jorge Henrique, Lúcio Sabiá, Paulo César Piauí, Roner e Baltazar; Jangada, Ednardo, Roberto Cearense, Meinha e ele próprio.

TORNEIO CIRO GOMES: EMPATE HISTÓRICO E CONQUISTA NOS PÊNALTIS

Ferroviário e Ceará fizeram há exatos 26 anos um dos jogos mais emocionantes entre todos os seus confrontos. Era a final do Torneio Ciro Gomes, competição organizada pelos clubes que se encontravam em litígio político com o comando da Federação Cearense de Futebol. O alvinegro vencia por 1×0 até os 43 minutos do 2° tempo e sua torcida já comemorava o título. O Ferrão empatou com o zagueiro Arimateia, após um passe do meia Zé Carlos Paranaense e um toquinho de cabeça do atacante Mardônio, levando a decisão para os pênaltis. Uma bola na trave e uma defesa do goleiro Albertino, recentemente falecido, selaram a conquista coral por 4×2. Vitória dos comandados de Erandy Pereira Montenegro. O Almanaque do Ferrão resgata agora as imagens daquele domingo, dia 5 de março de 89. Confira o gol de empate, a decisão nos penais, a invasão e violência provocada pela torcida derrotada, a opinião do então prefeito Ciro Gomes, uma entrevista com o ponta esquerda Paulinho, eleito o melhor em campo, e os comentários de Sérgio Pinheiro da TV Verdes Mares.

LATERAL DIREITO LIONN CONSOLIDA CARREIRA NO FUTEBOL EUROPEU

10_lionn1

Ex-lateral direito do Ferroviário foi campeão nacional em 2012 no futebol da Romênia

Ele fez apenas 7 partidas com a camisa do time profissional do Ferroviário. O ex-lateral direito Lionn, que hoje atua no futebol português, estreou oficialmente no Tubarão da Barra num clássico contra o Ceará, no PV, entrando no segundo tempo. A estrela daquele jovem de 18 anos brilhou e ele marcou o único gol coral naquela tarde. Era o dia 4/2/2007 e o alvinegro venceu apertado por 2×1, mesmo com uma atuação fria e apática dos comandados do treinador José Dultra. Estava só começando a trajetória de sucesso de Lionn.

lionn fac12

Lionn no clássico das cores no Cearense de 2007

Quatro meses depois, o lateral Lionn seguiu com a delegação coral para o Caribe, onde o Ferrão disputou a Polar UTS Cup. Na estreia, o jogador marcou o primeiro gol na vitória de 2×0 frente o Barber de Curaçau. Sua boa atuação foi o suficiente para atrair o interesse de empresários que assistiam a competição. Logo depois, uma parceria dos dirigentes do Ferroviário com o Torreense, equipe integrante das divisões de acesso do campeonato português, fez Lionn seguir para a Europa juntamente com outros jogadores corais envolvidos na negociação. O lateral coral aprovou e por lá ficou.

1024

Lionn em Portugal com a camisa do Rio Ave

Já são 8 anos de futebol europeu. Lionn chegou a disputar a Champions League pelo Vitória de Guimarães, seu clube na primeira divisão portuguesa depois que saiu do Torreense. Chegou a defender também a camisa do Olhanense na temporada 2009/2010. Dois anos depois, foi campeão romeno pelo Cluj, o que o credenciou para retornar para Portugal, dessa vez para atuar no tradicional Rio Ave, onde permanece até hoje.

FERRÃO USOU CAMISA DOURADA PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA

FB_IMG_1425253535858

Ferroviário utilizou pela primeira vez na história uma camisa diferente das cores tradicionais

Depois de sete anos, o Ferroviário inovou no padrão de seu uniforme de jogo. Ontem, por ocasião da estreia coral na Série B do campeonato cearense, o Tubarão da Barra entrou em campo com uma camisa dourada. A última vez que algo semelhante ocorreu foi em janeiro de 2008, quando o comando da época lançou o terceiro uniforme na cor preta, padrão utilizado até o ano de 2010 e, posteriormente, resgatado na temporada de 2013.

IMG-20150301-WA0012

Ontem no Instagram

O novo modelo coral causou opiniões controversas logo que foi anunciado momentos antes do jogo através de uma rede social. É certo que boa parte das críticas vieram apenas após a derrota na estreia para o Tiradentes, fruto da paixão que invariavelmente cerca a opinião dos torcedores. Curiosamente, antes do resultado negativo, as opiniões nas redes sociais mostravam ampla supremacia em favor da aceitação do novo modelo. Houve quem reclamasse dos cinco patrocinadores estampados na nova camisa, como se fosse possível algum time no mundo sobreviver sem esse tipo de captação de investimento publicitário. Diz o ditado que quem muito ouve no futebol, nada faz. Filtrar as críticas construtivas é sempre a melhor alternativa.

parasite

Camisa preta era a grande novidade de 2008

Assim como o padrão dourado, o modelo preto em 2008 também gerou críticas, posteriormente suplantadas com a beleza estética do time em campo, principalmente nos jogos noturnos. No futebol moderno, o terceiro padrão de camisas permite a busca pela inovação e, quase sempre, haverá barreiras de aceitação. Foi assim em todas as equipes que adotaram essa estratégia. No caso específico do Ferrão, a polêmica da ´nova camisa` é apenas mais uma prova que o clube possui dificuldades históricas em conciliar o velho e o novo, o tradicional e o moderno, e por consequência o certo e o errado, uma questão de maturidade que o futebol exige como prerrogativa para o progresso. Aprovadas ou reprovadas, as camisas douradas entraram ontem para a história. E como bem disse João Ubaldo Ribeiro, o segredo da verdade é o seguinte: não existem fatos, só existem histórias.