RELEMBRE AS MENSAGENS DOS JOGADORES NO NATAL DE 2008

Tiago222

Zagueiro Tiago Gasparetto

E o Almanaque do Ferrão continua em clima natalino. De hoje até o Natal é a vez de recordar algumas gravações preparadas para o programa de rádio oficial do Ferroviário em dezembro de 2008, onde os atletas corais enviavam para os torcedores seus votos de boas festas.  Os spots eram veiculados nos intervalos da ´Rádio Ferrão`, que foi ao ar aos domingos, de 21h30 às 23h30, entre outubro de 2007 e março de 2010.

A mensagem de hoje é a do zagueiro Tiago Gasparetto, que brilhou no clube no Brasileiro de 2006 e retornava para a temporada de 2009. Ao todo foram 37 jogos com a camisa coral. Recentemente, ele disputou com destaque o Gauchão pelo Veranópolis/RS e foi treinado pelo ex-técnico coral Julinho Camargo. No início do mês, Gasparetto foi anunciado como novo reforço do Guarani de Campinas, mas teve que ser operado para reconstituição de um músculo da coxa na semana passada e deve se recuperar durante o campeonato paulista. Escute a gravação do ex-zagueiro coral.

O CARTÃO DE NATAL QUE O SUPER CAMPEÃO PREPAROU EM 1970

ferrao70_Natal

O Almanaque do Ferrão entra em clima de Natal. Que tal o cartão natalino que a diretoria coral distribuiu no final de 1970? Como não poderia deixar de ser, ele faz alusão ao “super-campeonato” conquistado naquela temporada, denominação muito utilizada na época para designar um triangular final envolvendo diferentes vencedores de turno. Na oportunidade, Ceará, Ferroviário e Guarany de Sobral decidiram o Estadual e o Tubarão da Barra eternizou na história uma super conquista recheada de super jogadores.

amilton melo

craque

A modernidade do mundo e a agilidade das comunicações praticamente acabaram com o envio de cartões natalinos. Esse de 1970 ficou na memória e muitos torcedores ainda o tem guardado em suas relíquias que o tempo teima em conservar. A foto do cartão com as faixas de campeão foi tirada no dia 18 de outubro, antes de um jogo contra o Treze/PB pelo Nordestão, que reuniu 3425 corais na partida de número 1205 da trajetória coral. Desnecessário lembrar o placar quando não nos interessa. Fica combinado assim.

Não há como recordar o título daquele ano sem lembrar de Amilton Melo. Em 1987, o ex-craque coral contou suas memórias num livro de sua autoria chamado “O Craque e o Futebol Cearense“, onde o cartão de Natal acima estampava uma das páginas. Dez anos mais tarde, Amilton Melo foi jogar bola no céu e deixou saudades na lembrança de todos que acompanharam aquela super conquista, para sempre eternizada num super cartão de Natal.

MIRANDINHA, SÉRGIO ALVES, PACOTI, JORGE VERAS E MARCELO VEIGA

Marcelo Veiga_Calçada 01322

Marcelo Veiga, ao lado de operários e de Evaldo Lima, coloca seus pés na Calçada da Fama do PV

Hoje é o grande dia para Pacoti e Erandy, dois dos homenageados com identificação com o Ferroviário Atlético Clube, que merecidamente colocam os pés no projeto ´Pé da Fama` na Arena Castelão. Você recorda que há 3 anos o Estádio Presidente Vargas contou com projeto semelhante? O próprio Pacoti deixou a marca de seus pés registrada no estádio mais antigo de Fortaleza em 2011. A calçada foi instalada na época por ocasião do aniversário de 70 anos do estádio, e teve em Evaldo Lima, então secretário de esportes da prefeitura, seu grande mentor. Nomes famosos como Rogério Ceni, Renato Gaúcho, Zico, Ronaldinho, Rivaldo, Marcos, entre outros, passaram por lá.

homenagem-atletas (1)

Mirandinha e Pacoti com o ex-jogador Nando

Como não poderia deixar de ser, na calçada do PV registrou-se a marca dos pés de nomes que jogaram no futebol cearense pelo Ferroviário. Além do próprio Pacoti, os ex-atacantes Mirandinha, Sérgio Alves, Jorge Veras e o ex-lateral Marcelo Veiga, eternizaram suas pegadas no local. O Almanaque do Ferrão recorda hoje alguns desses momentos através de registro fotográfico, esperando que a ´Calçada da Fama` do PV seja urgentemente recuperada, desgastada que está pelas intempéries do tempo, inclusive em local mais adequado dentro da estrutura do estádio, para que não se corra o risco de perder o registro de quem fez história naquele local.

EX-ATLETAS COM DNA CORAL SÃO HOMENAGEADOS NO CASTELÃO

pacoti_propagandaestado

A figura simpática de Pacoti já foi até explorada em campanhas publicitárias do governo

A partir desta terça-feira, dia 16, os amantes do futebol terão mais um motivo para visitar a maior arena esportiva do Norte/Nordeste do Brasil. Para comemorar o segundo aniversário da Arena Castelão, o estádio recebe o projeto ´Pé da Fama`. A solenidade de abertura do projeto será realizada para convidados às 09 horas, no Espaço Cultural dentro do estádio que leva o nome do ex-presidente coral Etevaldo Nogueira, com a presença de grandes nomes do futebol cearense entre os homenageados, entre eles dois ex-jogadores profundamente identificados com o Ferroviário, que eternizarão seus pés na calçada da fama: Pacoti e Erandy.

Pacoti é um dos maiores atacantes da história coral em duas passagens pelo Ferrão, entre 1955-1958 e 1966-1967, com uma ótima média de 0,65 gols por jogo. Devido ao carisma do ex-jogador, o Governo do Estado do Ceará chegou a utilizar sua imagem em campanhas publicitárias na década passada. Pacoti é até hoje bastante conhecido no futebol brasileiro em razão de brilhar com a camisa do Vasco/RJ e do Sporting de Portugal. Em 1966, chegou a dirigir o comando técnico coral em apenas uma partida. Pelo artilheiro que foi e pela grande figura humana que o notabilizou, seu nome será eternamente associado ao Tubarão da Barra.

erandy2

Erandy no Ferrão em 1975

Por sua vez, Erandy será homenageado na Arena Castelão por ter sido o autor do primeiro gol do estádio, em 1973, quando defendia o Ceará. Dois anos depois, foi contratado pelo Ferroviário, onde atuou 59 vezes e marcou 30 gols. Na Barra, Erandy iniciou sua carreira como treinador naquele mesmo ano, dirigindo o clube em 138 partidas em quatro temporadas distintas, entre 1976 e 1989, consagrando-se como o quarto treinador que mais vezes dirigiu o clube. Como jogador, Erandy marcou pela primeira vez no Castelão vestindo a camisa coral contra o Guarany no Estadual de 1975.

O projeto na Arena Castelão prevê ainda outros nomes de jogadores e técnicos da história do futebol no mundo todo, além de personalidades da imprensa, que ajudaram a escrever a vitoriosa história do esporte no Brasil. Ao todos, serão 100 pegadas de personalidade do futebol, de diferentes nacionalidades e gerações. Craques que levaram o nome do Brasil ao mundo na conquista dos 5 títulos mundiais da Seleção Brasileira e de momentos inesquecíveis do futebol cearense, onde certamente figurarão outros nomes ligados ao Ferrão.

CAMPANHA NO ANO PASSADO ESCOLHEU O TIME DOS SONHOS

timedossonhosFACE

Ao completar 80 anos de existência em 2013, o Ferroviário não ganhou como presente apenas o lançamento do Almanaque do Ferrão, que eternizou cronologicamente todos os jogos oficiais e amistosos da história coral. Ainda como parte das comemorações, o clube elegeu também seu ´Time dos Sonhos` através de uma votação na Internet a partir de uma criteriosa pré-lista que contemplava 5 indicações por posição. É sempre oportuno recordar os principais nomes da caminhada coral. Confira:

1 – Marcelino: Veio da Portuguesa/RJ. Esteve presente em 10 partidas no título estadual de 1970. Recordista com 1295 minutos sem sofrer gols no Estadual de 1973. Atuou 170 vezes entre 1969 e 1976. Obteve 30% dos votos.

2 – Nasa: Defendeu o clube em 76 partidas na fase vitoriosa entre 1993 e 1995. Atuava também como volante. Oriundo do Guarani de Juazeiro. Obteve projeção nacional jogando pelo Vasco/RJ. Ficou com 51% dos votos.

3 – Luiz Paes: Jogou 153 partidas entre 1966 e 1971. Parou Pelé no Jogo das Faixas do título coral de 1968 quando foi também o capitão do time. Oriundo do Náutico/PE. Ficou com 42% dos votos.

4 – Celso Gavião: Zagueiro goleador com gols importantes. Foram 32 gols em 122 partidas. Veio do Botafogo/SP. Conseguiu projeção mundial no Porto de Portugal. Parou de jogar no próprio Ferrão em 91. Obteve 45% dos votos.

5 – Lima: Chegou em 1993 oriundo do Sul América de Manaus. Fez 50 partidas com a camisa coral. Titular absoluto no título de 1994. Conseguiu projeção mundial jogando pela Roma, sendo titular da equipe italiana em algumas temporadas. Obteve 40% dos votos.

6 – Marcelo Veiga: Xodó da torcida coral no título de 1988, quando foi o capitão da equipe. Veio do Santo André/SP. Fez 13 gols em 79 jogos. Ficou até o ano seguinte e depois conseguiu projeção nacional no Santos/SP. Obteve 65% dos votos.

7 – Mazinho Loyola: Cria das categorias de base que brilhou no título de 1988. Foi negociado com o São Paulo logo em seguida. Jogou 55 vezes e marcou 16 gols pelo profissional. Encerrou a carreira no próprio clube em 2004. Obteve 47% dos votos.

8 – Coca Cola: Jogador lendário na fase áurea dos títulos de 1968 e 1970. Jogou em 324 partidas e fez 71 gols. Oriundo do Campinense/PB. Depois de atuar pelo Ferrão, jogou no futebol português. Obteve 51% dos votos.

9 – Pacoti: Um dos jogadores mais emblemáticos do futebol cearense. Jogou ainda no Sporting de Portugal. Jogou 78 vezes em duas passagens pelo clube. Fez 51 gols pelo Ferrão. Oriundo do Nacional/CE. Obteve 35% dos votos.

10 – Acássio: Principal jogador coral no bicampeonato no 94/95. Defendeu o clube 132 vezes e marcou 74 gols. Veio do Fluminense/BA. Sempre deixava sua marca de goleador em clássicos. Chegou depois a defender a camisa do Vasco/RJ. Obteve 53% dos votos.

11 – Jorge Veras: Goleador coral entre 1982 e 1984. Também sempre deixava sua marca nos clássicos contra Ceará e Fortaleza. Fez 65 gols em 155 jogos com a camisa coral. Conseguiu projeção nacional no Grêmio/RS. Obteve 35% dos votos.

Técnico – César Moraes: Conhecido como Guri, foi um dos nomes mais simpáticos do futebol cearense até hoje. Campeão estadual pelo Ferrão em 1979 e 1994. Passou sete vezes pelo clube e levantou 4 títulos ao todo. Obteve 52% dos votos.

PESSOAS DE 12 PAÍSES PRESTIGIARAM O BLOG DO ALMANAQUE DO FERRÃO

mapasite

Almanaque do Ferrão: áreas escuras registram os países no mundo com acessos ao blog

Há menos de dois meses no ar, o blog do Almanaque do Ferrão já alcançou a audiência de pessoas de 12 países do mundo conforme podemos observar na imagem acima. Além do Brasil, são registrados acessos oriundos dos Estados Unidos, Portugal, Bolívia, Uruguai, Rússia, França, Espanha, Irlanda, Itália, Tailândia e Arábia Saudita, que garantem uma interessante internacionalização da marca coral e de distribuição de conteúdo já veiculado para quase 1000 indivíduos diferentes.

Como não poderia deixar de ser, a abrangente maioria dos acessos ocorre no Brasil, onde o Ferroviário Atlético Clube possuiu torcedores espalhados por todo território nacional. Além de seus fiéis aficionados, um número grande de desportistas de outras torcidas acompanha o blog em razão do perfil de conteúdo veiculado a cada atualização. São pessoas ávidas por curiosidades, estatísticas, casos e fatos inerentes à equipes tradicionais do futebol nacional, como é o caso do Ferrão, que desperta o interesse de um contingente muito grandes de apaixonados pelo esporte mais popular do país.

EX-LATERAL URUGUAIO DO FERRÃO NA SÉRIE A DO BRASILEIRÃO

ramirezcontrafortaleza

Ramirez comemora o gol que deu o título do 3º turno do Campeonato Cearense 1980 ao Ferrão

O ano está prestes a terminar e pelo menos uma pessoa com ligações históricas com o Ferroviário tem algo a comemorar. Falamos do uruguaio Sérgio Ramirez, ou simplesmente o ex-lateral direito Ramirez, que defendeu grandes clubes no futebol da América do Sul, entre eles o Independiente da Argentina e o Flamengo/RJ no auge do clube carioca. No posto de coordenador técnico do Joinville, como se observa na foto abaixo, ele conseguiu recentemente o título de campeão brasileiro e vai disputar a Série A na próxima temporada.

sergioramirez-joinville-rib

De acordo com o Almanaque do Ferrão, Ramirez vestiu a camisa coral em 18 jogos e marcou um gol histórico contra o Fortaleza, aos 36 minutos do 2° tempo de uma partida que despachou o Leão do Campeonato Cearense de 1980 e deu o título de campeão do 3° turno ao Tubarão da Barra. Em contato exclusivo com o blog, o ex-atleta coral revelou guardar boas recordações do Ferroviário, da cidade e de seu prédio de três andares na Rua Marcondes Pereira, próximo à churrascaria Parque Recreio, onde gostava de passar o tempo livre acompanhado de amigos e de seu violão.

sergioramirez_rivelino_1976_glo_60

Disparada atrás de Rivelino no Maracanã

No Ferrão, onde chegou a disputar também o campeonato brasileiro de 1981, o atual coordenador técnico atuou de lateral esquerdo, zagueiro e lateral direito, sua posição original, que o levou a titular da seleção uruguaia nos anos 70. Até hoje Ramirez é lembrado pela briga monumental que envolveu o craque brasileiro Rivelino em pleno Maracanã, em 28 de abril de 1976, num Brasil x Uruguai de tirar o fôlego. No futebol cearense será sempre lembrado pelo gol que matou o Leão e no catarinense, pelo visto, como um dos mais respeitados pela torcida do Joinville, que por sinal tem as mesmas belas cores da bandeira do Ferroviário.